Anda di halaman 1dari 25

TECIDO CONJUTIVO E

ADIPOSO

DISCIPLINA: HISTOTECNOLOGIA E HISTOLOGIA APLICADA A MICROSCOPIA


PROF. DRº.: LEONARDO SERAFIM
ALUNO: BSC. MATHEUS DE FREITAS MOURA
Tecido Conjuntivo
Tecido Conjuntivo
Frouxo
Características Gerais: Tecido Conjuntivo
Propriamente Dito Modelado
• Células com morfologia/funções Denso
distintas Não Modelado

Tecido conjuntivo
• Células Separadas Adiposo
• Matriz Extracelular
• Densidade Celular
• Vascularizado Tecido Elástico
Tecido Conjuntivo de
Propriedades especiais
Tecido
Funções: Hematopoiético

• Conexões e Sustentação Tecido Mucoso


• Transporte de
Substâncias Tecido
• Reparo Cartilaginoso  Figura 1: Corte histológico
Tecido Conjuntivo de de pele de rato em fase de
• Defesa Suporte Esquema adaptado do
cicatrização pós lesão. H.E.
Livro
A.M. Histologia
Junqueira eBásica,
• Termoregulação Tecuio Ósseo Junqueira
Carneiro,
p. 114. 12ª Ed. Histologia 12ª
e Carneiro.
ed. 2013
Básica. 2013.
Componentes do Tec. Conj.: Células do Sistema Fagocitário
Mononuclear
Tipo Celular Localização

Monócito Sangue

Macrófago Tec. Conj. e


Sistema Imune.
Célula de Kupffer Fígado

Micróglia Sistema
Nervoso
Células de Pele
Langehans

Células Linfonodo
dedrintícas

Osteoclasto Ósseo

Célula gigante Tec.


multinucleanada Conjuntivo
Fonte: Junqueira e Carneira. Histologia Básica. 12ªed (2013, p 91)
Componentes do Tecido Conjuntivo de Origem
Mesenquimal
1) Origem :
• Mesoderma (Folheto
Embrionário)
• Mesênquima (Tecido
Embrionário)
• Células Tronco Mesenquimais
(Medula Óssea)

3) Tipos Celulares :
• Fibroblastos/Fibrócitos
• Adipócitos
• Pericitos*
• Pigmentadas*

3) Matriz Extracelular e
Substância Fundamental

4) Fibras:
• Colágena
• Reticular
• Elástica Fonte: Junqueira e Carneira. Histologia Básica. 12ªed (2013, p 91)
Fibrócitos
Conhecidos como fibroblastos quiescentes,
ou seja, não maduros.

Morfologia:

• Alongadas e Fusiformes
• Núcleo Heterocromático circundado de
citoplasma pálido

Função

• Produção e Secreção de Substâncias


• Procolágeno
• Proelastina
• Proteoglicanos

 Figura 4: A. Fibrócitos (setas), fibras de colágeno (C), tecido conjuntivo, fígado de cachorro (adulto). (Eurell, A. J. (2006, p. 33)
Fibroblasto
Morfologia:
• Maiores e mais abundantes
• Núcleo Eucromático
• Maior quantidade de prolongamentos
citoplasmático (basófilo)
• Maior quantidade de R.E, Golgi e
Mitocôndrias

Funções:
• Produção ativa de matriz extracelular
• Diferenciação Celular (Dependente de
Sinais)

▲ Figura 5: Fibroblastos (F) entre as fibrilas de colágeno.


(Coloração H.E. Junqueira e Carneiro. (2013, p. 92)
Pericito (Ciocca, 2008):
Células que envolvem microvasos

Morfologia:
 Formato Estrelado
 Núcleo proeminente
 Citoplasma perinuclear

Localização:
 Aderidas Membrana basal de
microvasos

Função:
 Regulação hemodinâmica de vasos
 Angiogênese
 Secreção de substâncias
 Suporte
 Reparação
 Figura 6: Pericitos (setas) envolvendo uma arteríola
pré-capilar. MEV, (Fujiwara and Uehara, 1984).
Miofibroblastos (Wanderley, F.G.C et
al., 2014): Células provenientes de fibroblastos ou
de células musculares lisas, que contém
filamentos de actina.

Morfologia:
• Fusiforme e estrelado
• Numerosas e Longas extensões
citoplasmáticas
• Citoplasma com muitos microfilamentos,
• RER e C. Golgi bem desenvolvidos
• Núcleo invaginado

Localização:
• Múltiplos tecidos

Função:
• Cicatrização
• Papel em processos neoplásicos

 Figura
 8: Recorte
Figura 7: Miofibroblasto com prolongações
aumentado citoplásmicas
da foto anterior. grossasfibras
As setas mostram e
extensas.Recorte: Mostra zona de fibras
contráteis nos miofibroblastos. Wikipédia contráteis. TEM. Aldana,,
Hernán. (2005)Unidad 4, Histología (Facultad de medicina,
Universidad de Morón)
Células
Pigmentadas

 Figura 9: Células contendo


pigmentos na lâmina própria
na carúncula uterina de
ovelha. H.E. (x325); Eurell, A. J.
(2006, p. 37)
Componentes do Tec. Conjutivo:
Matriz Extracelular
Conjunto de substâncias em que as
propriedades bioquímicas e biofísicas
permitem integrar a informação de caga,
convertendo em capacidades mecânicas.
(Jaalouk e Lammerding, 2009. Nature
Reviews)

Composição: Macromoléculas, água,


proteínas e polissacarídeos. Também
depende do tipo de tecido.
 Figura 2: Modelo 3D do complexo estrutural de matriz extracelar e suas
interações entre células e moléculas da matriz. (Aghmiuni, A.L. 2017)
Funções: Preenchimento, Resistência,
estabilidade e sustentação mecânica,
Sinalização e Informação celular

Se dividem em:
Matriz Extracelular Fibrilar
 Figura 3: Complexo de proteoglicanos e os principais tipos de GAGs. Adaptado Matriz Extracelular Fundamental
de “The Cell, A Molecular Approach”. Cooper, G.M. 4ª ed. 2007
Componentes da Matriz Extracelular Fibrilar

Sistema Colágeno:

- Fibras Colágenas e
Reticulares

- Composição: Hidrolisina e
Hidrosiprolina (A.A.)

- Localização: Pele, Osso,


Cartilagem, Músculo Liso e
Lâmina Basal

- Tipos de Colágeno:
- Tipo I*, II, III, V e XI.
(Fibrilas de Colágeno)
- Colágeno VI, XII e XIV
- Colágeno Tipo IV
 Figura 11: Micrografia eletrônica de fibras de colágenos. (X88.000). Eurell, A. J. (2006, p.
38)
- Colágeno Tipo VII
 Figura 10: Esquema mostra a complexidade desde a síntese de moléculas de colágeno
(tropocolágeno) e agregação destas para formação de fibrilas, fibras e feixes. Eurell, A. J. (2006, p. 38)
A B

Fibras
Colágenas

C
 Figura 12: A) Tecido conjuntivo
e denso do plano nasolabial
de vaca. H.E. Bacha, W. 2ª Ed.
p. 27. B) Corte corado pela
técnica do tricrômico de
Masson, que mostra as fibras
de colágeno em verde. C)
Corte corado pela técnica do
tricrômico de Mallory, que
cora estas fibras em azul e às
vezes em amarelo, como
mostra a figura. Fonte: MOL.
3.0. ICB-USP. Disponível em:
http://mol.icb.usp.br/index.ph
p/4-11-tecido-conjuntivo/
Fibras Reticulares
A B C

 Figura 13: A) Fibras reticulares de fígado de porco. Impregnação por prata pelo método Achucarro.
B) Fibras Reticulares de linfonodos caninos. Impregnação por prata Palmgren. C) Fibras Reticulares
no Baço (setas). Coloração pela técnica de ácido periódico-Schiff (PAS). Fonte: MOL. 3.0. ICB-USP.
Disponível em: http://mol.icb.usp.br/index.php/4-11-tecido-conjuntivo
Fibras Elásticas
B
A

 Figura 14. A) Ligamento da Nuca de ovelha. Tecido elástico. Bacha, W. 2ª Ed. p. 28. B) Fibras
elásticas presentes no pulmão. Ambas colorações: Weigert. Fonte: MOL. 3.0. ICB-USP. Disponível em:
http://mol.icb.usp.br/index.php/4-11-tecido-conjuntivo. 2 – Fibra elástica; 3 – Núcleo de FIbroblasto
Tipos de Tecidos
Conjuntivos
 Tecido Conjuntivo Propriamente Dito
 Frouxo e Denso (Modelado e Não Modelado)
 Tecido Conjuntivo de Propriedades Especiais
 Tecido Mucoso – Cordão Umbilical
 Tecido Elástico – Na parede da aorta, ligamento
peniano e ligamento nucal de bovinos
 Tecido Adiposo – Formado por adipócitos
 Tecido Reticular - Hematocitopoiético
 Tecidos Conjuntivos de Sustenção
 Tecido Cartilaginoso
 Tecido Ósseo
 Sangue

 Figura 15; Corte histológico de pele de rato em fase de cicatrização pós lesão. H.E. A.M. Junqueira e Carneiro, p. 114. 12ª Ed. Histologia Básica. 2013.
Tecido Conjuntivo Frouxo

Tecido Conj Frouxo


Caracterização:
• Muitas células residentes e transientes:
Fibroblastos
• Pouca quantidade de Matriz Extracelular
• Grande Flexibilidade e Maciez

Localização e Funções:
• Principalmente em epitélios de
revestimento e glandulares (suporte)
• Condução de vasos e nervos (Transição
celular e transporte de substâncias)
Tecido Epit. De
Revestimento
Tecido Conjuntivo Frouxo
Tecido Conj Frouxo A B

Tecido Epit. De
Transição

 Figura 17: A) Superfície da bexiga. Coloração: HE. Aumento: médio. B) Malha frouxa de fibras do tecido conjuntivo
no duodeno de vaca e várias células presentes em substância amorfa (MEC Fundamental). H.E. 1 – Fibra de
Colágeno; 2 – Eosinófilo; 3 - Núcleo de Fibroblasto; 4 – Leucócito; 5 – Linfócito; 6- Mastócito; 7 – Células
Plasmáticas. Bacha, W. 2ª Ed. p. 28
Tecido Conjuntivo Denso
Composição:
• Maior presença de fibras do A B
que células e substância
fundamental

Função:
• Resistência às forças de
tração e ao estiramento;
• Envolve órgãos, glândulas e
outros tecidos, formando
cápsulas e envoltórios;
• sustentação e levando vasos
e nervos
• Cicatrização

Modelado e Não Modelado


 Figura 18: A) Testículo. Coloração: HE. Aumento: grande. B) Derme.
Coloração: HE. Aumento: médio. Fonte: MOL. 3.0. ICB-USP. Disponível
em: http://mol.icb.usp.br/index.php/4-11-tecido-conjuntivo
Tecido Conjuntivo Não Modelado e
Modelado
A B

 Figura 19: A) Fibras Colágenas. Não Modelado. Derme de Cavalo. B) Nos Tendões e Ligamentos, as
fibras de colágeno são organizadas paralelamente. Fibroblastos são localizados entre as fibras. 2 –
Arteríola; 3 – fibra colágena; 7 – Núcleo de fibroblasto; 10 – Tendão (corte longitudinal); 11 – Tendão
(corte transversal). Bacha, W. 2ª Ed. p. 28
Tecido Adiposo
Características Gerais do Tecido Adiposo
Histogênese:
• Mesoderma (Folheto embionário)
• Mesênquima (Tecido embrionário)
• Células Mesenquimais Multipotentes
• Célula Precursora: Lipoblasto
• Adipócitos (Multilocular ou Unilocular)

Componente Químico:
• Triacílgliceróis

Localização:
• Sob a Pele
• Colchões do pé e almofadas digitais
• Entre outros tecidos

Funções:
• Isolamento Térmico
• Resistência/Apoio Mecânico
• Depósito Energético
• Preenchimento de espaço
 Figura 20: Origem e desenvolvimento das células adiposas.
• Secreção de substâncias Junqueira e Carneiro. Histologia Básica. 12ªed (2013, p 122)
A B
Tecido Adiposo 1
1
Unilocular 2
2
Morfologia:
• Grandes e Esféricas
• Branco ou Amarelo (Sudam III)
C D
Localização:
• Panícula Adiposa
2 2
Reserva Energética 1

Secreção de Substâncias:
• Leptina e Lipase Lipoproteíca 1

 Figura 21: Tecido Adiposo. Coloração: A e B) H.E.; C) Azul de Toluidina e D) Imunohistoquímica para microscopia de fluorescência. Fonte: MOL. 3.0.
ICB-USP. Disponível em: http://mol.icb.usp.br/index.php/5-3-tecido-adiposo/
Tecido
Adiposo
Multilocular
(Marrom)
Morfologia:
• Menores e Poligonal
 Figura 22: Tecido adiposo multilocular. Coloração: • Presença gotículas
hematoxilina e eosina. Aumento: grande. Fonte:
MOL. 3.0. ICB-USP. Disponível em: lipídicas e mitocôndrias
http://mol.icb.usp.br/index.php/5-3-tecido-adiposo/ Regulação: Norepinefrina
Localização: Determinada
Função: O papel
 Figura 23: Desenho da ultraestrutura da célula adiposa
multilocular mostrando uma terminação do sistema mitocondrial (UCP1)
nervoso simpático, com vesículas contendo material
elétron-denso. Junqueira e Carneira. Histologia Básica.
12ªed (2013, p 124)
Tecido Conjuntivo Multilocular Unilocular

 Figura 24: Cartilagem hialina. Coloração: hematoxilina e eosina.


Aumento: médio. Fonte: MOL. 3.0. ICB-USP. Disponível em :
http://mol.icb.usp.br/index.php/5-3-tecido-adiposo

 Figura 25: Fotomicrografia de tecido adiposo multilocular (pane inferior); parte


superior da fotomicrografia mostra o tecido unilocular. {Pararrosanilina e azul
de toluidlna. Médio aumento.) Junqueira e Carneiro. Histologia Básica. 12ªed Multilocular
(2013, p 124)