Anda di halaman 1dari 51

TERMODINÂMICA II

TESTE I

Universidade Federal de São João Del Rei


Componentes

Felipe Lima
Kádima dos Santos
Larissa Martins
Luís Gustavo
Matheus Miki
Universidade Federal de São João Del Rei
Sumário
1. Equação de Jobacks
2. Equação de Lee-Kesler
3. Exercício 3.37 (Smith)
4. Exercício 3.50 (Smith)
5. Exercício 3.61 (Smith)
6. Exercício 4.9 (Koretsky)

Universidade Federal de São João Del Rei


2

Equação de Jobacks

Universidade Federal de São João Del Rei


Equação de Jobacks para
Cálculo de Cp

• Cálculo de Cp: Escolha 3 compostos com grupos funcionais


diferentes, avalie em função da temperatura e compare com dados
experimentais.

Universidade Federal de São João Del Rei


• Substâncias Escolhidas

a) 2-ethylphenol (C8H10O)

b) Acetona (C3H6O)

c) Fenilamina (C6H5NH2)

Universidade Federal de São João Del Rei


• Temperaturas para os cálculos de Cpº:

a) Cpº (300k)

b) Cpº (700k)

c) Cpº(1200k)

Universidade Federal de São João Del Rei


• Determinação da variação da energia padrão de Gibs e da Entalpia à
298,15k com base na contribuição dos grupos funcionais presentes
nas substâncias escolhidas à essas variações.

Eq. (1)

Eq. (2)

Universidade Federal de São João Del Rei


• Cálculo do Cpº na temperatura T definida anteriormente mediante
os coeficientes (A,B,C,D) tabelados.

Eq. (3)

Onde Nk é o numero de grupos do tipo k na molécula e Fk é a


contribuição do grupo identificado por k para a propriedade específica.

Universidade Federal de São João Del Rei


2-ethylphenol

Universidade Federal de São João Del Rei


• Substituindo os valores de somatório encontrados para cada
coeficiente de Cpº na equação 3 para cada temperatura desejada
podemos comparar a variação de Cpº ao longo de uma faixa de
temperatura para a mesma substância.

∆Gfº (298,15k) = 53,88 -79,61 = -25,73 KJ/mol

∆Hfº (298,15k) = 68,29 -217,52 = -149,23 KJ/mol

Universidade Federal de São João Del Rei


• Substituindo os valores de somatório encontrados para Ni∆hfk e
Ni∆gfk nas equações 1 e 2 temos que:

Cpº(300) = {-9,279 – 37,93} + {0,62952 + 0,210}(300)


+ {-3,074 – 3,91E-04}(300)² + {0,0359 + 0,206E-07}(300)³
Cpº(300)= 148,73 KJ/mol

• Analogamente, encontra-se:

Cpº(700)= 283,51 KJ/mol e Cpº(1200) = 379,55 KJ/mol

Universidade Federal de São João Del Rei


Acetona

Universidade Federal de São João Del Rei


• Analogamente aos cálculos feitos para o 2-ethylphenol, os valores
de ∆Gºf(298,15), ∆Hfº(298,15) da Acetona e os valores de Cpº para
cada temperatura requerida foram encontrados:

Universidade Federal de São João Del Rei


Fenilamina

Universidade Federal de São João Del Rei


• Analogamente aos cálculos feitos para o 2-ethylphenol, os valores
de ∆Gºf(298,15), ∆Hfº(298,15) da Fenilamina e os valores de Cpº
para cada temperatura requerida foram encontrados:

Universidade Federal de São João Del Rei


2

Equação de Lee-Kesler

Universidade Federal de São João Del Rei


Equação de Lee-Kesler na Avaliação da
Pressão de Vapor

• Avalie a Pv segundo a equação de Lee-Kesler para diferentes


temperaturas. Compare 3 diferentes compostos com seus dados
experimentais.

Universidade Federal de São João Del Rei


2

Exercício 3.37 (Smith)

Universidade Federal de São João Del Rei


Resolução do Exercício 3.37 (Smith)
A equação 3.12, quando truncada em quatro termos, representa com
precisão dados volumétricos do metano gasosos a 0°C com:

B=-53,4 cm3.mol-1
C= 2,620 cm6.mol-2
D=5000 cm9.mol-1

a) A partir dessas informações prepare um gráfico Z vs P para o metano a


0°C de 0 a 200 bar.
b) Até que pressões as equações 3.38 e 3.39 fornecem boas aproximações?

Universidade Federal de São João Del Rei


• A partir da equação:

• Atribuímos os valores conhecidos de: B; C; D; R; T e P (Variando


de 0 a 200 bar a cada 20 unidades de pressão)

• Com a utilização do Mathcad encontrou-se os valores para V.

• Determinou-se os valores de Z, Z1 e Z2 de acordo com as


equações (3.12, 3.38 e 3.39) respectivamente.

Universidade Federal de São João Del Rei


• Construiu-se a seguinte tabela com os resultados obtidos:
Tabela 1: Resultados obtidos através das fórmulas : 3.12, 3.38 e 3.39
P (bar) V Z Z1 Z2
0 Infinito 1 1 1
20 108,2116776 0,953 0,953 0,951
40 51,43745012 0,906 0,906 0,895
60 32,58840659 0,861 0,859 0,83
80 23,24904616 0,819 0,812 0,749
100 17,80439774 0,784 0,765 0,6222
120 14,32603007 0,757 0,718 0,5+0,179i
140 12,00369381 0,74 0,671 0,5+0,281i
160 10,40387719 0,733 0,624 0,5+0,355i
180 9,273123825 0,735 0,577 0,5+0,416i
200 8,436650207 0,743 0,53 0,5+0,469i

Universidade Federal de São João Del Rei


Gráfico de P(bar) x Compressibilidade
Z, Z1 e Z2
1.2

0.8

Z
0.6
Z1
Z2

0.4

0.2

0
0 50 100 150 200 250

Universidade Federal de São João Del Rei


b) A equação (3.38) :

Expressa um proporcionalidade direta entre Z e P, e é


frequentemente utilizada para valores em temperaturas subcríticas até
as suas pressões de saturação. Em temperaturas mais elevadas, ela
fornece uma aproximação razoável para gases até pressões de vários
bars, com a faixa de pressão aumentando, à medida que a temperatura
aumenta.

Universidade Federal de São João Del Rei


b) A equação 3.39:

Para pressões acima da faixa de aplicabilidade da equação 3.38,


mas inferiores à pressão crítica, a equação do tipo virial truncada no
terceiro termo frequentemente fornece excelentes resultados.

Universidade Federal de São João Del Rei


2

Exercício 3.50 (Smith)

Universidade Federal de São João Del Rei


Resolução do Exercício 3.50 (Smith)
Qual é a pressão em um vaso de 0,5m³, quando ele é carregado com
10Kg de dióxido de Carbono a 30ºC?

DADOS TABELADOS:
TC: 304.2 K
PC: 73.83 bar
Fator Concêntrico (ω): 0.224
Massa Molar: 44.01 (g/mol)
Calculando Volume Especifico (L/mol)

𝑉𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 𝑑𝑜 𝑠𝑖𝑠𝑡𝑒𝑚𝑎
𝑉𝑒𝑠𝑝𝑒𝑐𝑖𝑓 = ∗ 𝑀𝑀
𝑀𝑎𝑠𝑠𝑎𝑐𝑎𝑟𝑟𝑒𝑔𝑎𝑑𝑎
0,5
𝑉𝑒𝑠𝑝𝑒𝑐𝑖𝑓 = ∗ 44,01
10
𝑉𝑒𝑠𝑝𝑒𝑐𝑖𝑓 = 2,2005
Calculando a Temperatura Reduzida (K)

𝑇 𝑠𝑖𝑠𝑡𝑒𝑚𝑎
𝑇𝑟 =
𝑇𝑐𝑟í𝑡𝑖𝑐𝑎

30 + 273,15
𝑇𝑟 =
304.2
𝑇𝑟 = 0,996548
Calculando a Pressão (bar)
• Usando a segunda correlação de Pitzer:
𝑃
0 𝑟
𝑃
1 𝑟
𝑍 =1+𝐵 + 𝜔𝐵
𝑇𝑟 𝑇𝑟
• Calculando B 0 e B1 :
0,422
𝐵0 = 0,083 − = −0,341341
𝑇𝑟1,6

0,172
𝐵1 = 0,139 − = −0,0355160
𝑇𝑟4,2
Calculando a Pressão (bar)
• Usando a segunda Equação dos Gases Ideais:
𝑅𝑇
𝑃=
𝑇𝑐
𝑉− 𝐵0 + 1
𝜔𝐵 𝑅
𝑃𝑐
8.31451 𝑥 10−2 (30+273,15)
P= 304.2
2,2005− −0,341341 +(0,224(−0,0355160)8.31451 𝑥 10−2
73.83
𝑃 = 9,926857 𝑏𝑎𝑟
2

Exercício 3.61 (Smith)

Universidade Federal de São João Del Rei


Resolução questão 3.61
Questão: Gás natural (considere metano puro) é enviado para uma cidade
através de um gasoduto a uma vazão volumétrica de 150 milhões de pés
cúbicos padrão por dia. As condições médias de envio são 50 (°F) e 300
(psia). Determine:
a) A taxa volumétrica de envio em pés cúbicos reais por dia.
b) A taxa molar de envio em kmol por hora.
c) A velocidade do gás nas condições de envio m/s.
O tubo é de aço , 24 (in) sch40, com diâmetro interno de 22.624(in). As
condições padrão são 60 (°F) e 1 (atm).
Para o metano: ω= 0.012 Tc= 190.6K Pc= 45.99 bar
Correlações de Pitzer nas condições ideais.
T = 288.706 K P= 1atm
𝑇
𝑇𝑟 = 𝑇𝑟 = 1.515
𝑇𝑐

𝑃
P𝑟 = P𝑟 = 0.022
𝑃𝑐

0.422
𝐵𝑜 = 0.083 − 1.6
𝑇

𝐵0 = - 0.134
0.172
𝐵1 = 0.139 − 𝐵1 = 0.109
T4.2

𝑃𝑟
𝑍0 = 1 + 𝐵𝑜 𝑍0 =0.998
𝑇𝑟

𝑃𝑟
𝑍1 = 𝐵1 𝑍1 =0.00158
𝑇𝑟

Z = 𝑍0 + ω𝑍1 Z = 0.998

𝑍𝑅𝑇 𝑚³
𝑉1 = 𝑉1 =0.024
𝑃 𝑚𝑜𝑙
a) Para o metano: ω= 0.012 Tc= 190.6K Pc= 45.99 bar
Passando a temperatura para K : T= 283

Correlações de Pitzer nas condições reais.

𝑇
𝑇𝑟 = 𝑇𝑟 = 1.486
𝑇𝑐

𝑃
P𝑟 = P𝑟 = 0.45
𝑃𝑐

0.422
𝐵𝑜 = 0.083 − 1.6
𝑇

𝐵0 = - 0.141
a) 𝐵1 = 0.139 −
0.172
𝐵1 = 0.106
T4.2

𝑃𝑟
𝑍0 = 1 + 𝐵𝑜 𝑍0 =0.957
𝑇𝑟

𝑃𝑟
𝑍1 = 𝐵1 𝑍1 =0.0322
𝑇𝑟

Z = 𝑍0 + ω𝑍1 Z = 0.958
a)
𝑍𝑅𝑇 𝑚³
𝑉2 = 𝑉2 =0.00109
𝑃 𝑚𝑜𝑙

𝑓𝑡³ 𝑉2
𝑞1 = 150 ∗ 106 𝑞2 = 𝑞1
𝑑𝑎𝑦 𝑉1

𝑓𝑡³
𝑞2 = 6,915 ∗ 106
𝑑𝑎𝑦
b) Taxa molar de envio kmol por hora:

𝑞1
𝑛1 =
𝑉1

𝑘𝑚𝑜𝑙
3
𝑛1 = 7,845 𝑥 10

c) 𝜋
D= 22.624in A = 𝐷² A = 0.259m²
4

𝑞2
𝑢 =
𝐴
𝑚
𝑢 = 8,738
𝑠
2

Exercício 4.9 (Koretsky)

Universidade Federal de São João Del Rei


Resolução do Exercício 4.9 do
Livro Koretsky 7ª Edição
Compare 1 mol de NH3 a 10 bar e 500 K, com 1 mol de Ne, a 10 bar e 500
K. Responda as perguntas a seguir usando argumentos moleculares.
Explique sua escolha com diagramas e descrições das interações
envolvidas.

a) Em que caso o fator de compressibilidade, z, é maior?


b) Em que caso, a entropia, s, é maior? Você precisa considerar somente a
contribuição “ espacial” da entropia.

Universidade Federal de São João Del Rei


a) Fator de Compressibilidade

“ É a relação entre o volume molar medido de um gás real dividido


pelo volume molar de um gás ideal.”

Universidade Federal de São João Del Rei


Molécula Amônia (NH3)

SUBSTÂNCIA POLAR

GEOMETRIA PIRAMIDAL

“A amônia que é uma substância polar, apresenta interações


intermoleculares do tipo ligação de hidrogênio ou dipolo permanente.”

Universidade Federal de São João Del Rei


Molécula Neônio (Ne)

SUBSTÂNCIA APOLAR

“ O Neônio é um gás nobre, sendo assim é uma substância Apolar. “

Universidade Federal de São João Del Rei


Diagrama de Compressibilidade

Figura 1: A Figura mostra na parte (a)


que maior será o desvio de idealidade
quanto maior for a massa molar, já a
parte (b) apresenta a variação do Z a
partir da pressão.

Universidade Federal de São João Del Rei


Resultado Final (a)
• Para gases ideais Z = 1;;
• Z < 1 ( Forças atrativas);
• Z > 1 ( Forças Repulsivas);
• Forças repulsivas são dominantes quando a distância média entre as
moléculas são muito pequenas.
• Como a geometria do NH3 é piramidal apresenta predominância de
forças de atração, logo seu volume molar tenderá a diminuir, diminuindo
consequentemente o Z ( Fator de Compressibilidade).

A molécula Ne apresenta maior Fator de Compressibilidade.

Universidade Federal de São João Del Rei


b) Entropia

“A entropia é uma grandeza da termodinâmica que mensura o grau de


irreversibilidade de um sistema, encontrando-se geralmente associado ao
que denomina “desordem”.

Universidade Federal de São João Del Rei


Resultado Final (b)
• Os dois são gases;
• NH3 é Assimétrico;
• Ne é Simétrico;
• Pelo fato dos dois serem gases é difícil de afirmar qual apresenta maior
entropia, entretanto pela geometria e por apresentar uma interação mais
forte o NH3 tende a apresentar maior entropia.

Maior entropia NH3

Universidade Federal de São João Del Rei


2

Referências
Bibliográficas

Universidade Federal de São João Del Rei


Referências Bibliográficas
• KORETSKY, M.D. Termodinâmica para Engenharia Química, 1ª ed. Rio
de Janeiro: LTC, 2007.
• POLING, B. PRAUSNITZ, J.M. The Properties of Gases and Liquids. 5 a
Ed. New York: McGraw Hill, 2001.
• VAN NESS, H.C.; SMITH J.M.; ABBOTT, M.M. Introdução à
Termodinâmica da Engenharia Química, 7 a Eed. Rio de Janeiro: LTC,
2009.
• VAN WYLEN, SONNTAG, G. BORGNAKKE, C. Fundamentos da
Termodinâmica. 7 a ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2009

Universidade Federal de São João Del Rei