Anda di halaman 1dari 33

EQUIPAMENTOS

DE SEPARAÇÃO
GÁS-SÓLIDO
CURSO: ENGENHARIA QUÍMICA
PROFESSOR: ATILANO ANTONIO VEGINI
MATÉRIA: PLANEJAMENTO E PROJETOS DA INDÚSTRIA
ACADÊMICO: ALINE KLAS
SEPARAÇÃO GÁS- SÓLIDO
Os principais objetivos na separação de partículas
sólidas de uma corrente gasosa estão associados com:

• Purificação de gases/vapores;

• Recuperação de material particulado;

• Controle ambiental (emissão de gases sem particulados);

• Razões de Segurança (partículas inflamáveis ou explosivas);


EQUIPAMENTOS DE SEPARAÇÃO
GÁS- SÓLIDO

 Filtro Manga

 Filtro tipo Lamelas/Colméias

 Precipitador Eletrostático
ESCOLHA DO EQUIPAMENTO
Fatores importantes para se escolher o
equipamento correspondente a necessidade:

 Tamanho das partículas

 Densidade

 Vazão de gás/vapor

 Carga de sólidos

 Grau de Separação desejado

 Temperatura
FILTROS MANGAS
 Filtrar os gases que por ele circulam
através de sacos ou mangas
dispostos em armações metálicas
verticalmente no interior do filtro;

 O material particulado (pó) fica preso


no lado externo da manga (câmara
suja) e somente o gás consegue
atravessá-la, passando então para
outro compartimento (câmara limpa),
sendo liberado para o meio ambiente.
1 - ELEMENTOS FILTRANTES (MANGAS)

2 - ELEMENTOS DE SUSTENTAÇÃO (GAIOLAS)

1 - MANGAS
2 - GAIOLAS
1 - ELEMENTOS FILTRANTES (MANGAS)

1 - MANGAS

2 - ELEMENTOS DE SUSTENTAÇÃO (GAIOLAS)

2 - GAIOLAS
FUNCIONAMENTO

Fonte: Perry, R. Green, D. Chemical Engineers’ Handbook


8

Fonte: DeltaDucon
CARACTERÍSTICAS

 Eficiência da ordem de 99% para partículas entre 0,1 e 100 µm

 Gases com vazões de até 200.000 m³/h

 Podem trabalhar com cargas de pó de até 2 kg/Nm³

 Área filtrante: 2,5 – 7000 m²


TIPOS DE FILTROS
 Classificação conforme ao método de limpeza
 Filtros Jato-Pulsante
 Filtro Manga Saculejante
 Filtro Manga Aberto

Filtro manga Jato Filtro manga


Pulsante aberto Saculejante
automático
FILTRO DE MANGAS
MATERIAIS DAS MANGAS
ACRÍLICO
POLI- ACRÍLICO ARAMIDA SULFAR POLIAMIDA
Nome genérico POLIAMIDA POLIÉSTER HOMOPO PTFE VIDRO
PROPILENO COPOLÍMERO AROMÁTICA (PPS) AROMÁTICA
FIBRA LÍMERO

Nome DRALON FIBRA DE


NYLON 66 HERCULON DRACON ORLON NOMEX TEFLON RYTON P 84
comercial T VIDRO

Operacional
contínua 94°C 94°C 132°C 120°C 125°C 204°C 260°C 190°C 260°C 260°C
recomendada
TEMPERATURA

Condições em
vapor
94°C 94°C 94°C 110°C 125°C 177°C 260°C 190°C 195°C 260°C
de água
saturada

Limite máximo
121°C 107°C 150°C 120°C 150°C 240°C 290°C 232°C 300°C 290°C
(picos)

SEM EXCE- SEM MUITO MUITO SEM SEM SEM SEM SEM
Biológica
EFEITO LENTE EFEITO BOM BOM EFEITO EFEITO EFEITO EFEITO EFEITO

EXCE- EXCE- EXCE-


A álcalis BOM FRACO FRACO FRACO BOM FRACO FRACO
LENTE LENTE LENTE
RESISTÊNCIA

A ácidos EXCE- MUITO EXCE- EXCE- MUITO MUITO


POBRE FRACO BOM FRACO
minerais LENTE BOM LENTE LENTE BOM BOM

A ácidos EXCE- EXCELEN EXCE- EXCE- MUITO MUITO


POBRE FRACO BOM FRACO
orgânicos LENTE TE LENTE LENTE BOM BOM

A agentes
FRACO BOM BOM BOM BOM POBRE
EXCE-
FRACO
MUITO 13EXCE-
oxidantes LENTE BOM LENTE

A solventes MUITO EXCE- MUITO MUITO MUITO EXCE- EXCE- EXCE- MUITO
BOM
orgânicos BOM LENTE BOM BOM BOM LENTE LENTE LENTE BOM

Suporta combustão SIM SIM SIM NÃO SIM NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO
QUADRADO CIRCULAR
FILTRO DE MANGAS
Filtro Mangas BERNAUER
Área Filtrante
Modelo Construção Características
(m²)

FB-ESP Retangular 2,5-7000 Construção mais utilizada, atendendo praticamente a todas as aplicações

Indicado para aplicações especiais, envolvendo alta pressão ou depressão no


FBR-ESP Circular 2,5-316
processo e/ou áreas limitadas.

Construção leve da carcaça e da estrutura. Pode ser utilizado em qualquer campo


FB-ESPL Retangular "leve" 7-1180 de aplicação, exceto para materiais explosivos, corrosivos e abrasivos, limitados a
temperaturas de até 120°C.

A prova de ondas de Opera com materiais explosivos, sendo construídos mecanicamente para resistir a
FB-ESP-EX 2,5-7000
explosão ondas de pressão de explosão de até 10bar.

Combina o ciclone com o filtro para uma pré-separação do material de maior


FBCR Ciclofiltro 5-316
granulometria por centrifugação, separando as partículas restantes nas mangas.
FILTROS TIPO LAMELA/COLMÉIA

16

Fonte: Taiy iy Nets Co. Ltda


FILTROS TIPO LAMELA/COLMÉIA
 Características
 Tem a forma de uma tela
 Operam em batelada
 Possibilidade de reutilização após a higienização
 Fácil operação
 Baixa perda de carga
 Materiais:
 Telas de metal
 Aço Inox
 Poliéster
 Nylon
17

Fonte: ArtCoifas - Soluções Industriais


FILTROS TIPO LAMELA/COLMÉIA

0,8 mmCA = 7,84 PA


2,1 mmCA = 20,58 PA
FILTROS TIPO LAMELA/COLMÉIA
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
 Funcionam com base na força eletrostática;

 Consiste em:
 Passar o gás entre dois eletrodos mantidos com uma
DDP de 10000 – 75000V e ionizá-lo;
 As partículas ionizadas são atraídas para um dos
eletrodos de pólo contrário ao da carga;

 Alta eficiência – 99,00 - 99,90 %


PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
 Funcionamento:
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS

Fonte:Universidade Federal do Espírito Santo – Equipamentos de controle


de poluição do Ar
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
CARACTERÍSTICAS
 Alta eficiência de coleta (99,90%);

 Coleta partículas muito pequenas (< filtro mangas);

 Apresenta risco de explosões quando processa gases ou


partículas explosivas;

 Custo inicial elevado, porém, baixo custo de operação e manutenção;

 Requer grande espaço físico


PRECIPITADORES
ELETROSTÁTICOS

Precipitadores Eletrostáticos BERNAUER® atingem


99% de separação, em um processo contínuo com
baixa perda de carga (aprox. 250 Pa).
PRECIPITADORES
ELETROSTÁTICOS
 Alta eficiência de coleta (99,9%);

 Limpeza por vibração e impacto;

 O sistema de eletrodos de alta voltagem é do tipo arame com contrapesos;

 A estrutura de apoio é constituída em perfilados de aço;

 Sua principal aplicação compreende: usinas termoelétricas, cimenteiras,

siderurgia, metalurgia, mineração, papel e celulose, química e petroquímica.


PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
EQUIPAMENTOS DE SEPARAÇÃO GÁS- SÓLIDO
EQUIPAMENTOS DE SEPARAÇÃO GÁS- SÓLIDO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 PERRY, Robert H; GREEN, Don W. Perry’s Chemical engineers’ handbook. 6. ed.
New York : McGraw-Hill, 1984. 1v.
 SCHWEITZER, Philip A. (Ed.).Handbook of separation techniques for chemical
engineers. New York : McGraw-Hill, 1979. 1v.
 Hamworthy Combustion. Divisão de Sistemas de Limpeza de Gás – Catálogo de
Informações. São Paulo, Brasil, 2008.
 Hydronics Projetos e Equipamentos. Controle Ambiental: Equipamentos e sistemas
para controle da poluição do ar. Acesso em: 15 set. 2010. Disponível em: <
http://www.hydronics.com.br/controle-ambiental.html >.
 EPA – Enviromental Protection Agency. Control of Particulate Matter Emissions –
Student’s Manual. United States.
 Mueller Enviromental Designs, Inc. Fundamentals of Gas Solids/Liquids
Separation. Houston, Texas. Acesso em: 15 set. 2010. Disponível em:
<www.muellerenviromental.com>.
 Pall Corporation. Pall Gas Solid Separation Systems. Washington, New York. Acesso
em: 20 set. 2010. Disponível em: <www.pall.com>.
 Silva E. Controle da Poluição do Ar na Industria Açucareira. Acesso em: 7 out.
2010. Disponível em: <www.nest.unifei.edu.br>.
 MOREIRA, R. de F. P. M.Separação de sólidos e Líquidos de Gases. UFSC,
Florianópolis. Acesso em: 12 out. 2010. Disponível em:
<http://www.enq.ufsc.br/disci/eqa5313/Separacao%20Sol_Liq%20%20de%20Gases.htm>