Anda di halaman 1dari 58

Conceito:

A palavra anatomia deriva do grego anatome


(Ana= através de; tome= corte)
É a ciência que estuda, macro e
microscopicamente, a constituição e o
desenvolvimento dos seres organizados.
Em 1981 foi proposto pela Associação Americana de
Anatomistas um excelente conceito:
“A anatomia é a análise da estrutura biológica, sua
correlação com a função e com as modulações de
estrutura em resposta a fatores temporais, genéticos e
ambientais. Tem como metas principais a compreensão
dos princípios arquitetônicos da construção dos
organismos vivos.
Anna Scarparo Stoffel
A descoberta da base estrutural do funcionamento das
várias partes e a compreensão dos mecanismos
formativos envolvidos no desenvolvimento destas. A
amplitude da anatomia compreende, em termos,
desde o crescimento e envelhecimento; até mudanças
de curto prazo, associadas com fases diferentes de
atividade funcional normal. Em termos do tamanho da
estrutura estudada vai desde todo um sistema
biológico, passando por organismos inteiros e/ou seus
órgãos até as organelas celulares e macromoléculas.”

Anna Scarparo Stoffel


A anatomia pode ser subdividida em três grandes
grupos:

– Anatomia macroscópica: é o estudo das estruturas


observáveis a olho nu, utilizando ou não recursos
tecnológicos. Apresenta duas grandes divisões, a
Anatomia Regional, na qual os dados anatômicos
macroscópicos são descritos segundo as grandes
divisões naturais do corpo (membro inferior,
membro superior, cabeça e pescoço, tórax,
abdome e pelve) e a Anatomia Sistêmica, na qual
a abordagem é feita segundo os vários sistemas (
conjunto de órgãos com mesma função básica ).
Anna Scarparo Stoffel
– Anatomia Microscópica: é aquela relacionada com
as estruturas corporais invisíveis a olho nu e requer
o uso de instrumental para ampliação, como lupas,
microscópios ópticos e eletrônicos. Este grupo é
dividido em Citologia e Histologia.

– Anatomia do desenvolvimento: estuda o


desenvolvimento do indivíduo a partir do ovo
fertilizado até a forma adulta. Ela engloba a
Embriologia.

Anna Scarparo Stoffel


NOMENCLATURA

• A primeira tentativa de uniformizar e criar uma


nomenclatura anatômica internacional ocorreu em
1895. Depois em sucessivos congressos de Anatomia
em 1933, 1936 e 1950 foram feitas revisões e
finalmente em 1955, em Paris, foi aprovada
oficialmente a Nomenclatura Anatômica, conhecida
sob a sigla de P.N.A. (Paris Nomina Anatômica).
Revisões têm sido feitas, ao longo do tempo, já que a
nomenclatura anatômica tem caráter dinâmico,
podendo ser sempre criticada e modificada, desde que
haja razões suficientes para as modificações e que
estas sejam aprovadas em Congressos Internacionais
de Anatomia. A última revisão criou a Terminologia
Anatômica, que está atualmente em vigor.
Anna Scarparo Stoffel
CONSTITUIÇÃO DO CORPO

Da menor até a maior dimensão de seus componentes,


seis níveis de organização são relevantes para a
compreensão da anatomia e fisiologia: os níveis
químico, celular, tecidual, orgânico, sistêmico e
organísmico.

• Nível Químico: Inclui os átomos (Menores unidades da


matéria) e as moléculas (Dois ou mais átomos ligados
entre si).
• Nível Celular: A união das moléculas formar as
células.AS células são as unidades básicas, estruturais e
funcionais do corpo humano.
Anna Scarparo Stoffel
• Nível Tecidual: Os tecidos são grupos de células e
materiais em volta delas, que trabalham juntos para
uma determinada função celular. Existem quatro tipos
básicos de tecidos: tecido epitelial, conjuntivo,
muscular e nervoso.
• Nível Orgânico: Os órgãos são estruturas compostas
por dois ou mais tipos de tecidos diferentes. Eles têm
funções específicas e, usualmente, possuem formas
reconhecíveis.
• Nível Sistêmico: um sistema consiste em órgãos
relacionados que têm a mesma função.
• Nível Organísmico: É o maior nível organizacional. O
organismo é um indivíduo vivo. Todas as partes do
corpo, funcionando umas com as outras, constituem
um organismo total - uma pessoa viva.
Anna Scarparo Stoffel
DIVISÃO DO CORPO HUMANO

O corpo humano divide-se em cabeça, pescoço,


tronco e membros. A cabeça corresponde à
extremidade superior do corpo estando unida ao
tronco por uma porção estreitada, o pescoço. O tronco
compreende o tórax e o abdome com as respectivas
cavidades torácica e abdominal; a cavidade abdominal
prolonga-se inferiormente na cavidade pélvica. Dos
membros, dois são superiores ou torácicos e dois
inferiores ou pélvicos. Cada membro apresenta uma
raiz, pela qual está ligada ao tronco, e uma parte livre.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
POSIÇÃO ANATÔMICA E POSIÇÕES DO CORPO

Para evitar o uso de termos diferentes nas


descrições anatômicas, considerando-se que a posição
pode ser variável, optou-se por uma posição padrão,
denominada posição de descrição anatômica (POSIÇÃO
ANATÔMICA). Deste modo, os anatomistas, quando
escrevem seus textos, referem-se ao objeto de
descrição considerando o indivíduo como se estivesse
sempre na posição padronizada.

Anna Scarparo Stoffel


Nela o indivíduo
está em posição ereta
(em pé, posição
ortostática ou bípede),
com a face voltada para
a frente, o olhar dirigido
para o horizonte,
membros superiores
estendidos, aplicados ao
tronco e com as palmas
voltadas para frente,
membros inferiores
unidos, com as pontas
dos pés dirigidas para
frente.
Anna Scarparo Stoffel
Toda descrição anatômica é feita considerando
o indivíduo em posição anatômica.

Anna Scarparo Stoffel


O corpo em suas variáveis possui outras descrições de
posições:

• POSIÇÃO SUPINA ou DECÚBITO DORSAL – o corpo está


deitado com a face voltada para cima.

Anna Scarparo Stoffel


• POSIÇÃO PRONA ou DECÚBITO VENTRAL – o corpo está
deitado com a face voltada para baixo.

Anna Scarparo Stoffel


• DECÚBITO LATERAL – o corpo está deitado ou
posicionado de lado.

Anna Scarparo Stoffel


• POSIÇÃO DE LITOTOMIA – o corpo está deitado com a
face voltada para cima, com flexão de 90° de quadril e
joelho, expondo o períneo.

Anna Scarparo Stoffel


• POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG – O corpo está deitado
com a face voltada para cima, com a cabeça sobre a
maca inclinada para baixo aproximadamente de 40°.

Anna Scarparo Stoffel


PLANOS DE DELIMITAÇÃO E SECÇÃO DO CORPO
HUMANO

Planos de Delimitação são planos tangentes à


superfície do corpo humano.
Tem-se assim, os seguintes planos
correspondentes: dois planos verticais, um tangente ao
ventre – plano ventral ou anterior – e outro ao dorso –
plano dorsal ou posterior; dois planos verticais
tangentes aos lados do corpo – planos laterais direito e
esquerdo e, finalmente, dois planos horizontais, um
tangente à cabeça – plano cranial ou superior – e outro
à planta dos pés – plano podálico – (de podos = pé) ou
inferior.
Anna Scarparo Stoffel
• Ventral ou Anterior: plano vertical tangente ao ventre.
• Dorsal ou Posterior : plano vertical tangente ao dorso.
• Lateral Direito: plano vertical tangente ao lado do
corpo na lateral direita.
• Lateral Esquerdo: plano vertical tangente ao lado do
corpo na lateral esquerda.
• Superior ou Cranial: plano horizontal tangente à
cabeça.
• Inferior ou Podálico: plano horizontal tangente à planta
dos pés.

Anna Scarparo Stoffel


Ventral Dorsal Cranial e Lateral
Caudal esquerdo e
direito
Anna Scarparo Stoffel
Estes planos descritos são planos de delimitação, porém
existem planos de secção.

Os planos de secção são “ cortes” feitos no corpo em


posição anatômica.

• Plano Sagital ou Mediano


• Plano Frontal ou Coronal
• Plano transversal ou Horizontal

Anna Scarparo Stoffel


• Sagital ou Mediano: Planos de secção paralelos aos
planos laterais que divide o corpo em metades direita e
esquerda.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Frontal ou Coronal: Planos de secção paralelos aos
planos ventral e dorsal, que divide o corpo de forma a
separar os planos ventral e dorsal.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Transversal: Divide o corpo em partes superior e
inferior. Paralelo aos planos cranial, podálico e caudal.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
Eixos são linhas imaginárias que encontram-se com
os planos de maneira perpendicular promovendo
movimentos articulares.

• Eixo crânio-caudal: rotação medial e rotação lateral


(plano transversal).

• Eixo ântero-posterior: adução e abdução (plano


Frontal).

• Eixo látero-lateral: flexão e extensão ( plano sagital).

Anna Scarparo Stoffel


TERMOS DE RELAÇÃO ANATÔMICA

• Anterior/Ventral/Frontal: estrutura que se situa mais


próxima ao plano ventral em relação a uma outra.
• Posterior/Dorsal: estrutura que se situa mais próxima
ao plano dorsal em relação a uma outra.

Exemplo: O osso esterno e as cartilagens costais


encontram-se anteriormente em relação ao coração. Já
a coluna vertebral localiza-se posteriormente em
relação ao coração.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Inferior/Caudal: estrutura que se situa mais próxima ao
plano podal em relação a uma outra.

• Superior/Cranial: estrutura que se situa mais próxima


ao plano cranial em relação a uma outra.

Exemplo: Os grandes vasos localizam-se


superiormente ao coração enquanto que o
diafragma encontra-se inferiormente ao coração.

Anna Scarparo Stoffel


SUPERIOR / CRANIAL

INFERIOR/ CAUDAL
Anna Scarparo Stoffel
• Medial: a estrutura que se situa mais próxima ao plano
mediano em relação a uma outra.

• Lateral: a estrutura que se situa mais próxima ao plano


lateral (direito ou esquerdo) em relação a uma outra.

Exemplo: Os ligamentos colaterais do joelho. O


ligamento colateral fibular está localizado lateralmente
enquanto que o ligamento colateral tibial está
localizado medialmente, ou seja, mais próximo à linha
sagital mediana.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
TERMOS DE COMPARAÇÃO
• Proximal: A estrutura encontra-se próxima da raiz
do membro, do encéfalo, da medula espinhal ou do
coração. Na direção do tronco.
• Distal: Estrutura encontra-se afastada da raiz do
membro, do encéfalo, da medula espinhal ou do
coração. Longe do tronco ou do ponto de inserção.
Exemplo: O braço é considerado proximal
quando comparado ao antebraço (distal), pois está
mais próximo da raiz de implantação do membro
(cintura escapular).

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Mediano: situada exatamente ao longo do plano de
secção mediano.

• Médio: quando as estruturas estão alinhadas na


direção craniocaudal ou ânterodorsal.

• Intermédio: quando as estruturas estão em


alinhamento látero-lateral.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Superficial: A estrutura se localiza mais próxima da
superfície do corpo.

• Profundo: A estrutura se localiza mais afastada da


superfície do corpo.

Exemplo: A pele é uma estrutura superficial


comparada às artérias ou os ossos que estão
localizados mais profundamente. No sistema venoso é
comum utilizarmos esses termos para diferenciar o
sistema venoso superficial (mais próximo à superfície)
do sistema venoso profundo (passa mais
profundamente junto com o sistema arterial).

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
• Palmar ou volar : face anterior da mão. A face posterior
das mãos é chamada dorsal.
• Plantar : face inferior do pé. A face superior dos pés é
chamada dorsal.
• Homolateral / Ipsilateral: do mesmo lado do corpo ou
de outra estrutura.
• Contralateral: do lado oposto do corpo ou de outra
estrutura
Exemplo: Se considerarmos a mão direita como
referência, o membro inferior direito é considerado
homo/ipsilateral, pois está localizado do mesmo lado.
Já o membro inferior esquerdo é considerado
contralateral, pois está localizado no lado oposto à
mão de referência (mão direita).
Anna Scarparo Stoffel
Aferente e eferente indicam direção e são usados em
anatomia para vasos e nervos.
• Aferente significa que impulsos nervosos ou o
sangue são conduzidos da periferia para o centro.
• Eferente se refere à condução do centro para a
periferia.
Exemplo: No sistema circulatório, as veias cavas
superior e inferior são aferentes por drenarem todo
o sangue da periferia para o coração, que é o centro
deste sistema. A artéria aorta é eferente, pois
impulsiona o sangue do coração para a periferia.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
Exemplo: A raiz
dorsal do nervo espinhal
é aferente por conduzir
impulsos nervosos da
periferia para a medula
espinhal, já a raiz ventral
é eferente.

Anna Scarparo Stoffel


CAVIDADES DO CORPO
Os espaços dentro do corpo que contêm os órgãos
internos são chamados de cavidades do corpo. As
cavidades ajudam a proteger, isolar e sustentar os
órgãos internos.

• A cavidade dorsal do corpo está localizada próxima à


superfície posterior ou dorsal do corpo. Ela é composta
por uma cavidade craniana, que é formada pelos ossos
cranianos e contém o encéfalo e suas membranas
(chamadas de meninges), e por um canal vertebral que
é formado pelas vértebras (ossos individuais) da coluna
vertebral e contém a medula espinhal e suas
membranas (também chamadas de meninges), bem
como o começo (raízes) dos nervos espinhais.

Anna Scarparo Stoffel


• A cavidade ventral do corpo está localizada na porção
anterior ou ventral (frontal) do corpo e contém órgãos
coletivamente chamados de vísceras. Como a cavidade
dorsal, a cavidade ventral do corpo apresenta duas
subdivisões principais - uma porção superior, chamada
de cavidade torácica, e uma porção inferior, chamada
de cavidade abdominopélvica. O diafragma
(diaphragma = partição ou parede), uma camada
muscular em forma de domo e importante músculo da
respiração, divide a cavidade ventral do corpo em
cavidades torácica e abdominopélvica.

Anna Scarparo Stoffel


• A cavidade torácica contém duas cavidades pleurais em
torno de cada pulmão, e a cavidade pericárdica (peri =
em volta; cardi = coração), espaço em torno do
coração. O mediastino (medias = meio; stare = parar,
estar), na cavidade torácica, contém uma massa de
tecidos entre os pulmões que se estende do osso
esterno à coluna vertebral. O mediastino inclui todas as
estruturas na cavidade torácica, exceto os próprios
pulmões. Entre as estruturas localizadas no mediastino
estão o coração, o esôfago, a traquéia e muitos grandes
vasos sanguíneos, como a aorta.

Anna Scarparo Stoffel


• A cavidade abdominopélvica, como o nome sugere,
está dividida em duas porções, embora nenhuma
estrutura específica as separem. A porção superior, a
cavidade abdominal, contém o estômago, o baço, o
fígado, a vesícula biliar, o pâncreas, o intestino delgado
e a maior parte do intestino grosso. A porção inferior, a
cavidade pélvica, contém a bexiga urinária, porções do
intestino grosso e os órgãos genitais internos.

Anna Scarparo Stoffel


Anna Scarparo Stoffel
TERMOS DE MOVIMENTOS
• Flexão: curvatura ou diminuição do ângulo entre os
ossos ou partes do corpo.
• Extensão: endireitar ou aumentar o ângulo entre
os ossos ou partes do corpo.

Anna Scarparo Stoffel


• Pronação: movimento do antebraço e mão que gira o
rádio medialmente em torno de seu eixo longitudinal
de modo que a palma da mão se posicione
posteriormente.
• Supinação: movimento do antebraço e mão que gira o
rádio lateralmente em torno de seu eixo longitudinal
de modo que a palma da mão se posicione
anteriormente.

Anna Scarparo Stoffel


• Adução: movimento na direção do plano mediano em
um plano coronal.
• Abdução: afastar-se do plano mediano no plano
coronal.

Anna Scarparo Stoffel


• Rotação Medial: traz a face anterior de um membro
para mais perto do plano mediano.
• Rotação Lateral: leva a face anterior para longe do
plano mediano.

Anna Scarparo Stoffel


• Retrusão: movimento de
retração (para trás)
como ocorre na retrusão
da mandíbula e no
ombro.
• Protrusão: movimento
Retrusão
dianteiro (para frente)
Protrusão
como ocorre na
protrusão da mandíbula
e no ombro.

Anna Scarparo Stoffel


• Elevação: elevar ou mover uma parte para cima, como
elevar os ombros.

• Abaixamento: abaixar ou mover uma parte para baixo,


como baixar os ombros.

• Retroversão: posição da pelve na qual o plano vertical


através das espinhas ântero-superiores é posterior ao
plano vertical através da sínfise púbica.

• Anteroversão: posição da pelve na qual o plano vertical


através das espinhas ântero-superiores é anterior ao
plano vertical através da sínfise púbica.

Anna Scarparo Stoffel


• Inversão: movimento da sola do pé em direção ao
plano mediano. Este movimento também é uma
supinação.
• Eversão: movimento da sola do pé para longe do plano
mediano. Este movimento também é uma pronação.

Anna Scarparo Stoffel


• Dorsiflexão (flexão dorsal): movimento de flexão na
articulação do tornozelo, como acontece quando se
caminha morro acima ou se levantam os dedos do
solo.
• Plantiflexão (flexão plantar): dobra o pé ou dedos em
direção à face plantar, quando se fica em pé na ponta
dos dedos.

Anna Scarparo Stoffel