Anda di halaman 1dari 28

ORGANIZAÇÃO

CAMILA REIS
DÉBORA CARLA GONÇALVES FAGUNDES,
ERLANE PEREIRA RIBEIRO
FAGNER BERNARDO DE SOUZA,
GARDENIA AMARAL SILVA,
ROSA ANGELA PINHEIRO,
RODRIGO ABRAS
SUELEN FURLAN
VERA MACEDO

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM
2018
Arte rupestre. Foto:
Janelle Lugge /
Shutterstock.com
Seti I perante Horus, Templo de Seti I, Abydos, Egito
Nascimento de Vênus - Sandro Botticelli-1483 - 1485
O trabalho de “cozinhar”, que obrigava
um contato direto e permanente do
artista com os elementos que compõem
as tintas, foi substituído pelas facilidades
oferecidas pela industrialização. O artista
alheou-se do convívio com os materiais
que lhes são próprios e, assim, vê-se
diante de uma consequência perda de
conhecimento de suas propriedades,
qualidades e compatibilidades.
(Colnago. Attílio, p18. 2003)
MOÇA COM O BRINCO DE PÉROLA, Johannes
Vermeer , Museu Mauritshuis, em Haia, 1665 ,Óleo
sobre Tela
A PRIMEIRA TINTA (PINTURA RUPESTRE)

•15.000 à 10.000 A.C (caverna de Lascaux na França e Altamira na


Espanha)

•Desejo que homem sentia de se expressar graficamente na pré- Historia

•Acredita-se que os materiais mais usados como aglutinante para as


pinturas rupestres foram sangue, argila, excrementos, látex de plantas,
gordura e clara de ovos.

•Os pigmentos eram obtidos misturando-se o pó de rochas, plantas e terra


colorida
Animais pintados na Gruta de Lascaux, França (retirado de https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Lascaux_painting.jpg )
acesso em 01 fev. 2018
A COMPOSIÇÃO DAS TINTAS

 A tinta é basicamente constituída pela mistura de


um pigmento, que lhe dá a cor, e um
aglutinante, que lhe dá viscosidade e garante a
sua adesão ao suporte. Uma vez aglutinados, os
pigmentos adquirem a consistência pastosa com
a qual estamos familiarizados. (Dias, p07, 2016)

 Principais elementos: Aglutinante, Pigmento,


Fungicida (conservantes) e diluente.
AGLUTINANTE
• São fundamentais para a criação de qualquer tinta, pois ele funciona como uma
espécie de cola que irá prender as partículas de pigmento na base para a pintura
formando uma película. Sem aglutinante o pigmento vai embora, mudando a cor da
tinta e a cor não tem a fixação necessária para realizar qualquer tipo de arte.

 Alguns exemplos de aglutinantes:


o Cola Branca (escolar)
o Gema de ovo
o Cera de abelha
o Óleo vegetais: Linhaça, cravo, nozes, etc
o Goma de Polvilho Amido de Milho
o Resina sintéticas (polivinílicas)
DILUENTE
 São elementos destinados a reduzir a
concentração de uma solução, por
adição de um líquido conveniente.
Para as tintas a base de água, o
diluente será a água destilada, para
as tintas a óleo, o diluente será
terebintina ou óleo da linhaça,
cravo ou nozes.
FUNGICIDA
 São usados para fins de conservação das tintas, na
prevenção contra o desenvolvimento de bactérias ou
fungos, os quais atuam particularmente sobre os
pigmentos de origem orgânicas.

 Os fungicidas mais usados são:


o Timol – diluído com álcool, solução saturada;
o Formol – em solução, é o mais utilizado;
o Óleo de pinho – solução saturada;
o Óleo de cravo – solução saturada
Formol é suficiente para conter a ação de microrganismos
PIGMENTOS

 É o elemento responsável pela COR DA TINTA,


compondo-se de partículas sólidas finamente divididas,
dependendo de sua origem alteram fundamentalmente os
aspectos da tinta.

o Inorgânico – Derivados de metais como ferro, cobre,


crômio, chumbo, cádmio entre outros, terras naturais.

o Orgânico – Derivados de vários produtos naturais como


madeira, sangue, lã, plantas, carbono entre outros.
TINTA
EM PRODUÇÃO ...
TINTA SIMPLES DE TERRA
(VÁRIAS CORES)

Material: terra e água

Como fazer:
Não é preciso fazer a decantação (tirar a
areia) para fazer esta tinta. Só é preciso
misturar água à terra e se quiser, acrescentar
cola. Está pronta a tinta.
PROCESSO DE PREPARAÇÃO DE PIGMENTO MINERAL

 Limpeza

 Decantação

 Secagem

Deixar a água barrenta descansar para


que o barro vá para o fundo,
separando-se da água; isso se chama
decantar. Depois, jogue a água com
cuidado fora para não voltar a misturar.
Retirar o barro do vidro, colocando em
um pedaço de pano e levar ao sol para
escorrer um pouco. Depois colocar o
“barro” em um recipiente plástico,
acrescentar um pouco de água e de
cola.
PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE PIGMENTO VEGETAL

Tinta de beterraba, espinafre, açafrão, cenoura e


maracujá.

Material: peneira, pano, água e cola, 20 gotas de vinagre

Como fazer: aproveitar a água em que a beterraba


cozinhou ou bater a beterraba no liquidificador. Para a cor
ficar mais forte, use pouca água. Pode acrescentar
qualquer cola para engrossar e ser o aglutinante. No caso
de ter beterraba que não preste para comer, pode fazer a
tinta com a própria beterraba batida ou amassada na
água e depois peneirada.
TINTA DE CARVÃO (COR PRETA OU CINZA)

Material: carvão, água, peneira ou pedaço de


pano.

Como fazer: socar bastante o carvão. Depois


misturar água no pó, peneirar ou coar num pano.
Deixar a mistura descansar. Jogar fora, com
cuidado, a água de cima e colocar um pouco de
cola para ser o aglutinante
TÊMPERA
De temperare (latim/italiano), que quer dizer misturar,
juntar (origem mesma da palavra tempero). Assim,
de certa forma, todas as tintas são tipos diferentes de
têmperas
TÉCNICAS
 Têmperas
o Têmpera a Goma
o Têmpera a Ovo
o Têmpera Caseina
o Têmpera vinílica
o Têmperas Alho
 Afresco
 Encáustica
 Pintura óleo
 Aquarela
TÊMPERA ALHO
Materiais
• 1 cabeça de alho (aproximadamente 45g) e 1 copo 150ml de água filtrada.
• Potes de plástico de 50ml ou mais, com tampa.
• Pigmentos corantes líquidos; cores: vermelho, amarelo e azul (marcas
Xadrez ou Suvinil). 20 gotas de vinagre

Modo de fazer
Descascar o alho ainda úmido e bater no liquidificador com a água filtrada.
Coar em tecido úmido e limpo (poderá aproveitar o bagaço para tempero).
Reservar o sumo do alho batido que deverá ser o aglutinante da tinta.
Separar esse sumo igualmente em no mínimo seis recipientes de plástico e
acrescentar o pigmento liquido, nas seguintes proporções:
Amarelo: 10 gotas
Vermelho: 10 gotas
Azul: 10 gotas
Laranja: 10 gotas de amarelo e 1 ou 2 de vermelho
Verde: 10 gotas de amarelo e 2 de azul
(Simulação) Violeta: 10 gotas de azul e 2 de vermelho (o ideal para conseguir
a cor violeta deve ser a mistura de pigmentos azul e magenta; no nosso caso,
estamos usando o vermelho como cor alternativa para se obter o violeta).
TÊMPERA VINÍLICA
Materiais
Potes pequenos de plástico ou vidro, com tampa, para armazenar as tintas;
cola vinílica de adesão média (Cascorez rótulo laranja ou verde); pigmento
em pó, marca Xadrez (azul, amarelo, rosa, vermelho, preto) ou Corim (vermelho
e amarelo claro); pigmento branco: dióxido de tirânio; água filtrada;
espátula ou colher de metal e um prato fundo de louça branca ou um gral
com pistilo de porcelana; fungicida: formol em solução e um conta gotas ou 20 gotas de vinagre.
Modo de fazer
Medida qualquer para medir o pigmento e o aglutinante, na proporção de 1 por 1, ou seja, para cada
medida de pigmento iremos medir uma de cola ou resina. Pode se usar um copinho de plástico
descartável de cafezinho que mede mais ou menos 50ml. A água filtrada será usada para fazer uma
pasta com o pigmento antes de receber o aglutinante. Lembrar que cada pigmento tem sua
característica e peso e isso vai interferir nas quantidades de diluente que o mesmo necessitará para
formar uma pasta espessa. Se for utilizada água em excesso, a pasta torna-se rala e ao acrescentar
o aglutinante, a tinta ficará muito diluída. A consistência ideal final da tinta é a de um yogurte.
TINTA
POR TODO LUGAR
BARRO NOBRE - por Gracinha Sabadini (Burarama)
BARRO NOBRE - por Gracinha Sabadini (Burarama)
BARRO NOBRE - por Gracinha Sabadini (Burarama)
REFERÊNCIA

Colnago. Attílio. Tintas: materiais de arte/ Attílio Colnago. Joyce Brandão.


2003, Vitória, Gráfica A1.

Barro Nobre por Gracinha Sabadini. Disponível em:


https://www.facebook.com/BARRO-NOBRE-por-Gracinha-Sabadini
245963642259632/ Acessa em 14/03/2018