Anda di halaman 1dari 29

1

Trabalho de Automação

Equipe: Alan Miguel


José Duarley
Jeferson Emanuel
João Victor
Raissa Costa
Professor: Msc. Fábio Araújo
2

Unidade de Conservação
3

Introdução
 Purificar o ar comprimido;
 Ajustar uma pressão
constante do ar;
 Acrescentar uma fina neblina
de óleo ao ar comprimido, para
fins de lubrificação.
4

Unidade de
Conservação
Filtro;
Regulador de Pressão;
Lubrificador.
5

Filtro
 O filtro livra o ar comprimido
das impurezas, inclusive da água
condensada evitando problemas
como obstrução e mau
funcionamento.
6

Atuação:
Força Centrífuga;
Passagem de ar através
de um filtro.
7

Partes de um Filtro de ar

A - Defletor Superior
B - Anteparo
C - Copo
D - Elemento Filtrante
E - Defletor Inferior
F - Dreno Manual
G - Manopla
8

Funcionamento
 O ar comprimido entra pelo
orifício no corpo do filtro e flui
através do defletor superior (A);
 A umidade e as partículas
sólidas contidas no ar são
jogadas contra a parede do copo
(C) devido a uma ação centrífuga;
 O anteparo (B) assegura
que a ação de Funcionamento do
Filtro de Ar ocorra sem que o ar
passe diretamente através do
elemento filtrante;
9

 O defletor inferior (E) separa a


umidade e as partículas sólidas, evitando
a reentrada das mesmas no sistema de ar
comprimido.

 Depois que a umidade e as maiores


partículas sólidas foram removidas, o ar
comprimido flui através do elemento
filtrante (D) onde as menores partículas
são retidas.

 Podendo ser executada por um


Dreno Manual (F), o qual é acionado por
uma manopla (G) girando no sentido anti-
horário, ou por um Dreno Automático.
10

Alguns Defeitos
 Obstrução
 Excesso de partículas de poeira
 Muito tempo de Uso
 Uso incorreto
11

Simbologia
 Dreno manual

 Dreno automático
12

Regulador de Pressão
 Mantém a pressão de
trabalho constante, dentro
do possível, independente
da pressão oscilante da
rede e do consumo de ar.
13

Atuação
Com Escape
Sem Escape
14

Partes de um Regulador de
pressão (com escape)

 A: Mola
 B: Diafragma
 C: Válvula de assento
 D: Manopla
 E: Orifício de exaustão
 F: Orifício de sangria
 G: Orifício de equilíbrio
 H: Passagem de fluxo de ar
 I: Amortecimento
 J: Manômetro
15

Funcionamento
 O ar entra no regulador através
do orifício de entrada;
 Com a Válvula de Assento (C)
aberta o ar passará para a área de
regulagem;
 O Controle de pressão é definido
pelo operador através da Manopla (D)
com a força da Mola (A) quando a mola
é girada no sentido anti-horário;
16

 Depois o Diafragma (B) e a


Válvula de assento (C) se desloquem
para baixo;
 A pressão sobre o Diafragma
(B) está balanceada através do
Orifício de Equilíbrio (G), quando o
regulador estiver operando;
 Caso a pressão secundária seja
superior ao limite regulado na
Manopla (D) vai causar um
movimento ascendente na Mola (A)
fazendo com que o Orifício de
Sangria (F) seja aberto para a saída
do ar;
17

 Portanto, podemos concluir que


uma saída de pressão pré-regulada é
um processo de abre e fecha da
válvula de assento (C);
 O dispositivo Auto
Compensador faz com que o
regulador seja montado em qualquer
posição, exigindo apenas um tempo
de resposta ao sistema;
18

Partes de um Regulador de
pressão (sem escape)
 A: Manopla
 B: Orifício de Sangria
 C: Válvula de Assento
 D: Defletor Superior
 E: Defletor Inferior
 F: Mola
 G: Orifício de Exaustão
 H: Diafragma
 I: Passagem do Fluxo de Ar
 J: Elemento Filtrante
19

Funcionamento
 Semelhante ao regulador de pressão com
escape
20

Alguns Defeitos
 Mola quebrada;
 Orifícios obstruídos;
 Água no sistema;
 Filtro com excesso de resíduos
21

Simbologia
 Com Escape

 Sem Escape
22

Lubrificador
 A lubrificação do ar é feita através
do lubrificador que abastece os
elementos pneumáticos com óleo
lubrificante.
23

Partes de um Lubrificador
A– Membrana de Restrição
 B – Orifício Venturi
 C – Esfera
 D – Válvula de Assento
 E – Tubo de Sucção
 F – Orifício Superior
 G – Válvula de Regulagem
 H – Bujão de Reposição de Óleo
 I – Canal de Comunicação
 N – Válvula de Retenção
24

Funcionamento
 Passando pelo lubrificador, o
ar comprimido é dividido em dois
caminhos, a maioria do ar flui para
o orifício de Venturi (B);
 A outra parte do ar flui para a
membrana de restrição (A),
pressurizando ao mesmo tempo o
ar através da esfera (C);
 A velocidade do ar provoca
uma depressão no orifício superior
(F) que se une a pressão do copo
através de um tubo de sucção (E) ;
25

 Essa ação faz com que o óleo escoe


através de um conjunto gotejador, e, seu fluxo é
controlado através de uma válvula de regularem
(G) e o óleo goteje através de uma passagem (I);
 Fazendo com que o óleo gotejado vá de
encontro com o orifício Venturi (B) fazendo com
que o ar seja pulverizado com óleo;
 Caso o Fluxo de ar aumente a membrana de
restrição (A) irá dificultar a passagem do fluxo de
ar, fazendo com que maior parte do ar passe pelo
orifício Venturi (B) assegurando assim que a
lubrificação seja feita de acordo com a demanda;
26

 Quando o Bujão de enchimento (H) for


retirado, o ar que estava no copo escapa para
a atmosfera e a esfera (C) veda a passagem
de ar no copo, quando for colocado
novamente o ar restante no Bujão será
retirado quando o sistema estiver totalmente
pressurizado. (PNEUMÁTICA INDUSTRIAL, Parker Hanniflin ind, 2000,
p.37)
27

Simbologia
 Lubrificador
28

Referências
 IFPB-CAMPUS DE CAJAZEIRAS, Unidade de Conservação:
Unidade de Conservação, CAJAZEIRAS,2015, 16 páginas.

 UNERJ-CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JARAGUÁ DO SUL,


Apostila de pneumática: Apostila de pneumática, JARAGUÁ DO
SUL, sem identificação de ano. 58 páginas.

 PARKER HANNIFIN IND. COM. LTDA. Parker: Tecnologia da


pneumática industrial training, M1001 BR. São Paulo, 2000. 188
Páginas.

 AUTOR DESCONHECIDO, Noções de Eletropneumática:


Apostila de Pneumática, Local desconhecido, internet. 75 páginas.
29

“Quem não tem coragem não vai a


lugar nenhum” (autor desconhecido)