Anda di halaman 1dari 16

Campus Campo Mourão

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA EFICIÊNCIA TÉRMICA DE


NÚCLEOS ISOLANTES DE TELHAS TERMOACÚSTICAS EM
EDIFICAÇÕES NA REGIÃO DE CAMPO MOURÃO –
PARANÁ

Victor Dias Scarelli

Orientador: Profª. Drª. Paula Cristina Souza


Coorientador: Prof. Dr. Luciano Fleischfresser
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

INTRODUÇÃO
– Desempenho térmico de coberturas metálicas em
edifícios;
– Telhas termoacústicas;
– Poliestireno expandido (EPS) e poliisocianurato (PIR).
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

OBJETIVOS
 OBJETIVO GERAL

Avaliação comparativa da eficiência térmica de


núcleos isolantes de telhas termoacústicas, por meio
das variações de temperatura superficial das telhas e
da taxa de fluxo de calor que atravessa perfis
isolantes.
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

OBJETIVOS
 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

– Medir as temperaturas das superfícies superior e inferior de duas


coberturas de telhas termoacústicas com núcleo interno isolante de
espuma rígida de poliestireno expandido (EPS) e espuma rígida de
poliisocianurato (PIR);

– Comparar os resultados das médias de diferenças de temperatura


medidas entre as superfícies estudadas em faixas de temperatura;

– Computar e comparar a taxa de fluxo de calor nas telhas das coberturas


acompanhadas através das resistências térmicas calculadas por faixas
de temperatura.
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
 Transferência de calor

– Resistência térmica
𝐿 ∆𝑇
𝑅= ou 𝑅 =
λ q′′

– Taxa de fluxo de calor


∆𝑇 ∆𝑇
𝑅= ⇔ 𝑞′′ =
q′′ 𝑅
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

COBERTURAS ESTUDADAS

 Cobertura A com isolante EPS


– Telhas de aço galvalume tipo trapezoidal nas duas superfícies;
– Núcleo isolante de EPS com espessura constante de 30 mm.
 Cobertura B com isolante PIR
– Telhas de aço galvalume tipo trapezoidal e lisa nas superfícies;
– Núcleo isolante de PIR com espessura variando entre 30 e 50 mm.

Cobertura A (EPS) Cobertura B (PIR)


Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

CÁLCULO DA TAXA DE FLUXO DE CALOR

 Resistências térmicas calculadas com base na espessura dos isolantes,


considerando a espessura adicional para o PIR dada pela NBR 15366-
1(ABNT, 2006):
ℎ. °𝐶 ℎ. °𝐶
𝑅𝐸𝑃𝑆 = 0,833 𝑒 𝑅𝑃𝐼𝑅 = 1,750
𝑘𝑐𝑎𝑙 𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
 Cálculo do fluxo de calor q’’ em 𝑚2

Δ𝑇 Δ𝑇 Δ𝑇 Δ𝑇
𝑞 ′′ 𝐸𝑃𝑆 = ⇔ 𝑞 ′′ 𝐸𝑃𝑆 = 𝑞 ′′ 𝑃𝐼𝑅 = ⇔ 𝑞 ′′ 𝑃𝐼𝑅 =
𝑅𝐸𝑃𝑆 0,833 𝑅𝑃𝐼𝑅 1,750
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

MATERIAIS UTILIZADOS

Termopar tipo K Termômetro digital Canais T1 e T2


Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

INSTALAÇÃO DOS APARELHOS E COLETA DE


DADOS

 Medição das temperaturas;


 Período de medição;
 Estudo por faixas de temperatura.

Fixação entre o termopar e a telha

Fixação do termômetro na cobertura A (EPS) Cobertura B (PIR)


Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

CALIBRAÇÃO DOS TERMÔMETROS

– Medição teste com leitura de dados configurada para cada 15


minutos durante 24 horas;
– Desvio padrão amostral máximo entre as leituras simultâneas
dos canais de 0,32°C;
– Erros de precisão dos aparelhos.

Temperaturas medidas pelos canais na medição teste


Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

ANÁLISE DAS TEMPERATURAS

– Sombreamento sobre a cobertura A (EPS)


– Faixas de temperatura afetadas: 30°C a 40°C

Temperaturas superficiais T1 (superior) e T2 (inferior) das telhas na cobertura A


Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

RESULTADOS E DISCUSSÕES
Resultados obtidos para o isolante EPS (cobertura A)
Faixa de temp. Frequência ΔT médio (°C) q’’ (kcal/h)
70-75 0 - -
65-70 0 - -
60-65 2 20,15 24,18
55-60 2 16,25 19,5
50-55 12 15,65 18,78
45-50 32 12,74 15,29
40-45 55 9,98 11,97
35-40 27 4,98 5,98
30-35 34 1,70 2,04

Resultados obtidos para o isolante PIR (cobertura B)


Faixa de temp. Frequência ΔT médio (°C) q’’ (kcal/h)
70-75 2 33,25 19,00
65-70 2 32,90 18,80
60-65 7 29,73 16,98
55-60 22 27,67 15,81
50-55 34 24,68 14,10
45-50 27 20,73 11,85
40-45 20 16,90 9,66
35-40 25 12,74 7,28
30-35 27 9,26 5,30
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

ANÁLISE COMPARATIVA DAS VARIAÇÕES DE


TEMPERATURA

Eficiência relativa através das variações médias de temperatura.


Faixa de temp. ΔT médio EPS (°C) ΔT médio PIR (°C) Ƞ (%)
70-75 - 33,25 -
65-70 - 32,90 -
60-65 20,15 29,73 32,22
55-60 16,25 27,67 41,28
50-55 15,65 24,68 36,59
45-50 12,74 20,73 38,54
40-45 9,98 16,90 40,96
35-40 4,98 12,74 60,89
30-35 1,70 9,26 81,65

Eficiência relativa do PIR em relação ao EPS calculada pela equação:


𝛥𝑇 𝑟𝑒𝑓−𝛥𝑇
Ƞ = 100. (%)
𝛥𝑇 𝑟𝑒𝑓
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

ANÁLISE COMPARATIVA DA TAXA DE FLUXO DE


CALOR

Eficiência relativa através das taxas de fluxo de calor

Faixa de temp. q’’ EPS (kcal/h) q’’ PIR (kcal/h) Ƞ (%)


70-75 - 19,00 -
65-70 - 18,80 -
60-65 24,18 16,98 29,74
55-60 19,5 15,81 18,91
50-55 18,78 14,10 24,90
45-50 15,29 11,85 22,52
40-45 11,97 9,66 19,35
35-40 5,98 7,28 -21,76
30-35 2,04 5,30 -159,44

Eficiência relativa calculada pela equação:

𝑞′′ 𝑟𝑒𝑓 − 𝑞′′


Ƞ = 100. (%)
𝑞′′ 𝑟𝑒𝑓
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

CONCLUSÕES
Variações de temperatura nas coberturas
 PIR mais efetivo na diminuição das temperaturas inferiores das telhas:
– Eficiência variando de 30% a 40% para temperaturas de 40°C a 65°C;
– Resultados inconclusivos para temperaturas abaixo de 40°C.
Taxa de fluxo de calor nas coberturas
 PIR mais efetivo na diminuição da taxa de fluxo de calor que adentra as
coberturas para temperaturas de 40°C a 65°C:
– Eficiência máxima de 30% para temperaturas superiores de 60°C a 65°C;
– Eficiência variando de 19% a 25% para temperaturas 40°C a 60°C;
 EPS mais efetivo na diminuição da taxa de fluxo de calor que adentra as
coberturas para temperaturas abaixo de 40°C:
– Efeito das variações de temperatura maior que o da resistência térmica;
– Resultados inconclusivos para temperaturas abaixo de 40°C.
Campus Campo Mourão
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

OBRIGADO!