Anda di halaman 1dari 17

CENÁRIOS ECONÔMICOS E O MUNDO DOS NEGÓCIOS

Joseph Schumpeter

Prof. Ms. Dieter Brackmann Goldmeyer

Acadêmicos:
Henrique Focchesatto
Luana Longarai
Marcelo Henrique Pante
Joseph Alois Schumpeter
(Triesch, Checoslováquia, 08/02 /1883 - Taconic, Connecticut, 08/01/1950)
Nikolai Dimitrievich Kondratiev,(Goloejevskaja, 04/03/1892 - Suzdal, 17/09/1938),
economista russo, conhecido por ter sido o primeiro a tentar provar estatisticamente
o fenômeno das “ondas longas”, movimentos cíclicos (ciclo econômico) de
aproximadamente 50 anos de duração, conhecidos posteriormente na Economia,
como ciclos de Kondratiev.
Foi Economista, Administrador e por fim, Professor na Universidade de
Harvard.

Joseph Schumpeter talvez tenha sido o pensador mais influente de


todos os tempos sempre que se pensa em inovação,
empreendedorismo e capitalismo. As ideias de Schumpeter sobre o
capitalismo, o empreendedorismo e a inovação, ainda hoje, encontram
eco entre estudantes e homens e mulheres de negócios.

Joseph Alois Schumpeter (1883-1950)


HISTÓRIA

 1883- Nascido no Império Austro Húngaro, posteriormente Tchecoslováquia, atual Morávia,


República Checa ;
 Pais proprietários de uma fábrica têxtil, estava bem familiarizado com os negócios de sua família;
 1901- Entrou na Universidade de Viena, para estudar Ciências Econômicas e Direito;
 1907- Casou com Gladys Ricarde Seaves, filha de dignitário da igreja anglicana e doze anos mais
velha.
 No mesmo ano o casal partiu para o Cairo, onde advogou perante o Tribunal Misto Internacional
do Egito, sendo também Conselheiro de Finanças de uma princesa egípcia.
 1909- Começou a lecionar antropologia na Universidade de Czernovitz (hoje Ucrânia).
 Publicou, aos 28 anos, seu famoso livro Teoria do Desenvolvimento Econômico;
HISTÓRIA

 1911- Assumi a cadeira de Ciências Econômicas na Universidade de Graz;


 Foi ministro das finanças da Áustria, em 1919, por 10 meses;
 No mesmo ano, assumiu a presidência do banco privado Bidermann Bank de Viena, que faliu em
1924. A experiência lhe custou toda a sua fortuna pessoal deixando-o endividado por alguns anos.
 1925 até 1932- Professor da Universidade de Bonn;
 Com a ascensão de Hitler, deixa a Europa em 1932, imigrando para os EUA;
 Naquele mesmo ano, é convidado a lecionar em Harvard, permanecendo até sua aposentadoria,
em 1949;
 Foi presidente da American Economic Association, em 1948.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

Schumpeter usou a expressão “destruição criativa” pela primeira vez em 1942 (para se referir à
maneira como os produtos e métodos capitalistas inovadores estão constantemente tomando o lugar
dos antigos). Essa expressão adquiriu contornos quase lendários e é frequentemente repetida em
palestras, livros e reuniões empresarias, tornando-se praticamente senso-comum e palavra de
ordem em alguns ambientes

“A destruição criativa é o fato essencial do capitalismo”, escreveu. “Capitalismo estabilizado é uma


contradição, em termos”.

.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

A Teoria Schumpeteriana, derivada dos ciclos longos de Kondratieff, tem como foco as inovações
empresariais e seu papel como o principal indutor do crescimento econômico.
Schumpeter defende que a concorrência aguça o desejo do empreendedor de buscar novas formas
de incrementar a tecnologia, novas maneiras de fazer negócios e outros tipos de vantagens
competitivas que poderiam incrementar as margens de lucro e impactar diretamente padrão de vida
do empreendedor.
Schumpeter descreve o processo onde a inovações mais recentes substituem as inovações mais
antigas como “destruição criativa”.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

A introdução de uma inovação no sistema econômico é chamada por Schumpeter de “ato


empreendedor”, realizada pelo “empresário empreendedor”, visando à obtenção de lucro, que,
segundo o autor, é o motor de toda a atividade empreendedora.
Quando fala de lucro, Schumpeter não se refere à remuneração usual do capital investido, mas ao
“lucro extraordinário”, isto é, o lucro acima da média do mercado, que engendraria novos
investimentos e a transferência de capitais entre os diferentes setores da economia.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

Schumpeter estabelece cinco casos de inovação, sendo eles:


• A introdução de um novo bem.
• A introdução de um novo método de produção ou comercialização dos ativos existentes.
• A abertura de novos mercados.
• A conquista de uma nova fonte de matérias-primas.
• A quebra de um monopólio.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

Ainda de acordo com o economista, para que uma inovação seja realizada, é necessário que três
condições sejam cumpridas:
• que, em determinado período, existam novas e mais vantajosas possibilidades do ponto de vista
econômico privado, na indústria ou num ramo da indústria;
• que haja acesso limitado a tais possibilidades, seja em razão das qualificações pessoais
necessárias, seja por causa de circunstâncias exteriores;
• que a situação econômica permita o cálculo de custos e um planejamento razoavelmente
confiável, isto é, que haja uma situação de equilíbrio econômico.
Imagem 1: Teoria schumpeteriana se torna uma derivada dos ciclos de Kondratieff: As ondas de inovação são cada vez mais curtas
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

Afirma Schumpeter: “Historicamente, o primeiro Kondratieff coberto por nossa análise, significa a
revolução industrial, incluindo o prolongado processo de absorção. Nós o datamos dos anos oitenta
do século XVIII até 1842. O segundo cobre o que chamamos de era da máquina a vapor e do aço.
Vai de 1842 a 1897. E o terceiro, O Kondratieff da eletricidade, da química e dos motores, nós o
datamos de 1898 em diante. ”
O entendimento Schumpeteriano é que o boom econômico está relacionado ao fato de que
empresário inovador, ao desenvolver novos produtos e novos processos, é seguido por uma turba de
imitadores, empreendedores plagiadores que investem recursos tentando copiar os bens elaborados
pelo empreendedor inovador. Consequentemente, uma onda de investimentos de capital ativa a
economia, gerando a prosperidade, criando a bonança e elevando os indicadores economicos e as
taxas de emprego.
TEORIA SCHUMPETERIANA OU “DESTRUIÇÃO CRIATIVA”

A medida que as inovações tecnológicas ou as modificações nos produtos antigos são


assimilados pela conjuntura e seu consumo generalizado, a taxa de crescimento da economia
diminui (o que não gera mais ganhos extraordinários) e assim se inicia o processo recessivo
da redução dos investimentos e a baixa da oferta de emprego. A constante mudança entre
prosperidade e recessão, isto é, da volatilidade da produção é entendido como um obstáculo
periódico e transitório, aparte do curso normal de expansão da renda nacional, da renda per capita e
do consumo.
Anteriormente, o caráter cíclico do capitalismo era explicado pelos economistas das mais diversas
formas, desde a atividade cósmica, do subconsumo da subpopulação e até colheitas frustradas.
Então, nesse sentido, a grande contribuição de Schumpeter foi delimitar a relação existente entre o
nível de investimento explicado pelo movimento inovador, e que tão logo é transformado em produtos
e posteriormente em prosperidade, empregos, renda, além do estabelecimento de um novo
paradigma.
PRINCIPAIS LIVROS

-A natureza e a essência da economia política (Das Wesen und der Hauptinhalt der
Nationaloekonomie), de 1908;
-Teoria do desenvolvimento econômico (Die Theorie der Wirschaftlichen Entwicklung), de 1911;
-Ciclos econômicos (Business cycles), de 1939;
-Capitalismo, Socialismo e Democracia (Capitalism, Socialism and Democracy), de 1942;
-História da análise econômica (History of economic Analysis), publicado postumamente, em 1954.
BIBLIOGRAFIA

https://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Schumpeter

http://terracoeconomico.com.br/schumpeter-inovacao-destruicao-criadora-e-desenvolvimento

https://www.colegioweb.com.br/historia/joseph-schumpeter.html

https://noticias.uol.com.br/midiaglobal/prospect/2007/11/29/ult2678u129.jhtm

https://fernandonogueiracosta.wordpress.com/2012/04/13/o-profeta-da-inovacao-joseph-schumpeter-e-a-destruicao-criativa/

http://peritiaeconomica.com.br/schumpeter-inovacao/

https://www.infopedia.pt/$joseph-alois-schumpeter

Vídeo Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos- um século de sucesso - Mark Thornton - Parte 1 – YouTube

Vídeo Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos- um século de sucesso - Mark Thornton - Parte 2 – YouTube

Vídeo Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos- um século de sucesso - Mark Thornton - Parte 3 – YouTube

Vídeo Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos- um século de sucesso - Mark Thornton - Parte 4 - YouTube
BIBLIOGRAFIA

Vídeo Aula de Economia Politica- Schumpeter 1 – YouTube

Vídeo Aula de Economia Politica- Schumpeter 2 - YouTube

Vídeo O que é Escola Austríaca- - YouTube

Vídeo A Evolução de Schumpeter – YouTube

Vídeo Aula 09 - Destruição Criativa – YouTube

Vídeo Destruição Criativa - Uma breve definição e exemplos atuais – YouTube

Vídeo Destruição criativa como processo de inovação – YouTube