Anda di halaman 1dari 34

CONTABILIDADE

FINANCEIRA
FINANCIAL ACCOUNTING

Por: Abudo Issufo Amade


GÉNESE E EVOLUÇÃO

• A génese da Contabilidade é explicada pela


necessidade sentida pelo homem de preencher
as deficiências da memória, mediante um
processo de classificação e registo que lhe
permitisse recordar facilmente as variações
sucessivas de determinadas grandezas, para
que em qualquer momento pudesse saber da
sua extensão.
• Assim, a contabilidade primitiva visava
fundamentalmente suprir as limitações da
memória humana. Além disso, desempenhava
igualmente uma outra função importante, a de
constituir um meio de prova em caso de litígio
ou entre partes discordantes.
• Os processos de registos utilizados, que
inicialmente eram bastante simples, foram se
generalizando, tendo chegado aos nossos dias
sistematizados naquilo que se designa por
método Contabilístico. Este método, é
constituído por um conjunto de registos
relativos as grandezas que se pretende
observar e as variações aumentativas e
diminuitivas que essas grandezas possam
sofrer.
• A contabilidade que a princípio tinha um papel
de natureza jurídica, transforma-se
progressivamente numa fonte de informações,
na medida em que pode facultar a todo o
momento, o conhecimento da situação do
agente económico e o andamento dos seus
negócios.
• Actualmente às empresas não interessa apenas
o registo histórico dos factos patrimoniais.
Também a previsão do futuro é um facto
relevante na gestão moderna, assente também
ela nos dados fornecidos pela contabilidade.
• Com o desenvolvimento das técnicas de gestão
foi-se operando uma mudança no conceito
tradicional da contabilidade. Ela já não e
entendida apenas como elemento de simples
recolha e interpretação dos dados históricos. É
alem disso, uma técnica eficiente de gestão.
• De facto, a gestão moderna, não se limita a
recordar o passado e conhecer o presente,
torna-se necessário também conhecer o futuro,
planear a actividade, estabelecer objectivos,
mediante uma prévia selecção entre as diversas
alternativas possíveis. Ora, o estabelecimento
destas opções exige elementos que as
fundamente. Os dados contabilísticos
constituem um importante auxiliar no
fornecimento desses elementos.
• Também é sabido que a tributação , na maioria
dos países é lançada sobre o lucro real das
empresas. Daqui advém a necessidade de ser
efectuada de acordo com as normas e preceitos
legais.
• Igualmente a nível da economia nacional e
internacional, as informações obtidas na
contabilidade se revelam úteis. Nenhum estado
pode orientar devidamente a sua economia,
sem que possua as informações sobre a
situação das empresas, da sua eficiência, dos
sectores mais rentáveis, dos custos de
produção, volume de matérias necessárias.
• A administração pública para estabelecer o seu
orçamento e para seguir a aplicação das verbas
que lhe são consignadas, necessita de recorrer
a técnica contabilística
CONCEITOS E OBJECTIVOS DA
CONTABILIDADE
• O que e Contabilidade?
• Uma definição de Contabilidade muito
difundida é a da American Accounting
Association que considera como o processo de
identificação, medida e comunicação da
informação económica com vista a ilustrar os
juízos e as decisões de quem utiliza a
informação.
•A Contabilidade é definida como a ciência que
estuda o património, isto é, o conjunto de bens,
direitos e obrigações de uma entidade.

•Processo mediante o qual é identificada, medida,


registada e divulgada a informação econômica de
uma organização ou empresa, com a finalidade de
possibilitar às pessoas interessadas que avaliem a
situação da entidade.
• Quem são os Usuários da informação
contabilística? (Stakeholders)
• A informação contabilística é requerida por
vários usuários de forma a influenciar na
tomada de importantes decisões; de entre
outros se destacam:
– Investidores:
– Gestores:
– Credores:
– Trabalhadores:
– Governo
– Clientes:
Objectivos da Contabilidade
• O mais importante é que a contabilidade deve
responder as necessidades comuns da maioria
parte dos utentes isto é assim porque quase
todos os utentes tomam decisões económicas,
por exemplo para:
– Decidir quando comprar, deter ou vender um
investimento em capital próprio;
– Avaliar os deveres da gestão ou sua
responsabilidade;
– Avaliar a capacidade da empresa de pagar e
proporcionar outros benefícios aos seus
empregados;
– Avaliar a segurança das quantidades emprestadas a
empresa;
– Determinar os lucros distribuíveis e os dividendos
– Preparar e usar as estatísticas do rendimento
Nacional;
– Regulamentar as actividades da Empresa.
OBJECTIVOS DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Proporcionar informação acerca :


– da posição financeira - balanço: grau de controlo de
recursos económicos; estrutura financeira; liquidez e
solvência
– do desempenho - Demonstração de Resultados:
eficácia na utilização dos recursos,
rentabilidade/produtividade
– dos fluxos de caixa - capacidade em gerar caixa e
equivalentesde uma entidade que seja útil a um
vasta gama de utentes na tomada de decisões
económicas.
Para satisfazer o objectivo anteriormente referido,
as demonstrações financeiras proporcionam
informação de uma entidade acerca de:
• Activos
• Passivos
• Capital próprio
• Proveitos/Rendimentos (réditos e ganhos)
• Custos/Gastos (gastos e perdas)
• Outras alterações no capital próprio
• Fluxos de caixa
FONTES DAS INFORMAÇÕES

• Donde é que as informações contabilísticas


provem?
• As informações contabilísticas provem
originalmente de:
– Facturas, Recibos;
– Notas de crédito e de débito
– Cheques
– Comunicações bancárias
DIVISÕES DA CONTABILIDADE
• Uma empresa, como organismo vivo que é,
mantém por um lado, relações com o exterior
(fornecedores, clientes, investidores, Estado,
etc.) e, por outro lado, tem a sua vida interna
própria onde é feita a combinação de todos os
factores produtivos (matérias-primas, mão-de-
obra, energia) com vista a produção final de
certos bens e serviços.
• A empresa não pode desenvolver a sua
actividade isoladamente, mas sim em
constante relação com o meio exterior a quem
deverá adquirir os factores produtivos que
necessita e a quem deverá vender os produtos
ou serviços que produz
• Entretanto existe uma zona interna em que se
desenvolve propriamente a actividade produtiva da
empresa onde se desenvolvem as relações entre os
recursos humanos, financeiros e materiais para a
produção final.
• Assim a par de uma contabilidade geral, que nos dá a
situação económico-financeira da empresa, pois se
preocupa com compras, vendas, cobranças, os
empréstimos, encontramos também uma contabilidade
Interna, de Custo ou Analítica de Exploração que
permite um controlo directo e pormenorizado da
actividade da empresa.
Estas duas contabilidades têm, com efeito,
objectivos distintos e daí não admirar que
apresentem características diferentes a saber:
Contabilidade Geral, Externa ou Financeira
– Regista os factos patrimoniais que fazem prova
perante terceiros
– Regista as operações externas da empresa
– Permite conhecer a qualquer Altura, a situação
patrimonial da empresa
– Dá a conhecer, período a período em regra no final
de cada ano, os resultados obtidos com a
exploração nesse período, apura o lucro global da
empresa e elabora o balanço anual
– Possibilita a feitura de análises económicas e
financeiras, peças importantes para a orientação
dos Gestores da empresa
– Os principais utilizadores são entidades externas
Contabilidade Analítica de Exploração
– Visa o apuramento de resultados, fornecendo
sempre que se queira, os custos totais e unitários
dos produtos, subprodutos e resíduos resultantes da
actividade produtiva da empresa.
– Permite a criação de centros de custos e
consequentemente, a hierarquização de
responsabilidades dentro da empresa que e
dividida por secções;
– Possibilita estudos de rendibilidade e
economicidade tanto internas como também com
outras empresas do mesmo ramo de actividade,
permitindo assim a obtenção e correcção de erros
ou desvios cometidos na fase da produção;
– Auxilia a Gestão da empresa, dando-lhe os meios
para habilitar a tomar decisões mais esclarecidas,
rápidas, seguras e eficazes.
PERIODICIDADE DE REGISTO
Tendo em consideração que o período do
registo ou relevação dos factos patrimoniais
podem ser diferentes dai o falar-se também
em:
– Contabilidade Previsional, a que traduz a
estrutura e a actividade que se pretende no futuro;
exprimindo, pois os resultados das previsões.
Permite a elaboração de planos de actividades e
formulação de regras a que a acção se deve
subordinar.
– Contabilidade Histórica, a que nos mostra se os
objectivos traçados pela gestão da empresa foram
ou não atingidos. Permite, pois uma visão,
retrospectiva sobre essa gestão
NATUREZA DAS ACTIVIDADES
Se tomarmos em conta a diferente natureza das
unidades económicas, podemos considerar a:
– Contabilidade Comercial
– Contabilidade Industrial
– Contabilidade Agrícola
– Contabilidade de Seguros
– Contabilidade Publica
INFORMAÇÃO FINACEIRA

• Características qualitativas
Para que a informação financeira divulgada
seja útil e necessário que seja entendida pelos
utentes, o que só acontecera se reunir as
seguintes características;
Compreensibilidade:
Relevância:
Fiabilidade
Comparabilidade
Representação Fidedigna
Neutralidade
Plenitude:
PRINCIPIOS CONTABILISTICO
FUNDAMENTAIS
Para dar uma imagem correcta da sua situação
económica e financeira a empresa deverá
observar os princípios que adiante se
enumeram:
Da continuidade
Da consistência
Da prudência
Da especialização dos exercícios
Do custo histórico
Da substância sobre a forma
Da materialidade