Anda di halaman 1dari 64

Hamilton Estevão Alberto

_
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA
Faculdade de Engenharia - FENG

MANUAL DE COMPLETAÇÃO DE POÇOS

Professor : Hamilton Alberto


Hamilton Estevão Alberto

Sistema de completação Inteligente


O termo Intelligent Completion System indica um controle direito dos processos no
poço. Este Sistema tem o o bjectivo de controlar a emissão do fluxo, ambos em niveis
de produção e em nivel de ambiente, a operação é tão proxima quanto possivel as fonts
em ordem para adoptar a melhor estrategia de produção para controlara o
comportamento do poço.

Aproximadamente a fonte e particularmente as zonas productivas, é o one way para


faciltar as operações como pressão, temperature, e a medidadas de fluxo as well as
making operations such as separation and
re-injection of produced water more economical.

As principais razões que levam o uso de um ICS numa produçao, consiste na redução
de futuras workover jobs, e consequentemente aumentar a performace do poço. O
beneficio fundamental é de reduzir as operações de rotina e intervenções ocasionais
atraves do uso de instrumentos remote e dispositivos de monitorização no poç, como
control e/ou valvulas de produção.
Hamilton Estevão Alberto

Os aspectos mais interessantes de ICS incluem:

 flow control of different production levels;

 Selective closing of the levels where production is conditioned by water or


gas rates greater than the established ones;

 selective water injection for assisted production on different levels;

 instrumentation for precise measurements of pressure, temperature and


flow dynamics;

 devices for the separation of water, oil and gas downhole;

 remote control of production;

 instrumentation for selective testing of the production capacity of the various


levels.
Hamilton Estevão Alberto

O archetypal ICS é geared towards


wells contend areas isoladas por
multiplos ou singles packers. Cada
packer contém well-logging devices
para Medição de pressão e
temperatura, e monitorização. O
fluxo, as well as powered choke
valves allowing the regulation of
production. All monitored and
controlled levels são conectados ao
centro de controle na surperficie por
cabo. Este cabo transmite os dados
gathered by the sensors in each
production level, and carries the
command signals to the devices
located
along the tubing string.

Fig 1. Intelligent completion: completion with production control


in well (© 2004 Baker Hughes, Incorporated).
Hamilton Estevão Alberto

Analise das Forças


Hamilton Estevão Alberto

Hidraulica Downhole
A determinação do nivel de stress que o string de completação e as
compnentes estão sujeitas, sobre as boas e as más condições, é um passo
critico na conçepção de completação. Propriamente avaliado o lengthe e as
mudanças de forças irá assegurar a falha permatura e os custos de
remediação serão evitados.

Cada completação terá varias condições de downhole que afectará o projecto


total, escolha de ferramentas, e a operação dos components de completação
quando estiverem no lugar. Mudanças em temperaturas, pressões, aplicação
do peso, o gradient do fluído e a fricção são algumas das muitas variaveis
que must be considerada. Escolha do packer e das components do tubing
não deve somente concilhar os requisites minimos de stress, mas eles por si
só contribuem directamente para o calculo deste stress.
Hamilton Estevão Alberto

Figura 2. Factors influencing completion string force and length changes.


Hamilton Estevão Alberto

O calculo das forças downhole e de mudanças de length são largamente dependentes


no tipo de packer to tubing coupling.

 O tubing pode mover-se restrito (Figure 1a), contração ou expansão dentro do


Sistema de limites de travel. Isto é conhecido como um stung-through ou unlimited
motion arrangement. Unlimited refer a direction capabilities (up or down) and not
to a limited expansion or contraction that all systems will have.

 Um landed packer to tubing relationship (Figure 1b) provides for movement of the
tubing string upwards (contraction) only. Expansion of the tubing string would
result in increased packer compressive forces.

 A terceira categoria é um latched tubing to packer situation where any expansion or


contraction of the tubing string is restrained by the packer (Figure 1c). These forces
that are felt by the packer are transmitted back through the tubing string and
account for tension or compressive forces and corresponding length changes
(helical buckling) in the tubing string.
Hamilton Estevão Alberto

Buoyancy
“Principo de Archimede’s” , which deals with buoyancy, states;

“Um corpo (pipe) inteiro ou parcial submerso em um fluido, experimenta um força para cima
igual ao peso do fluído a volta"

Por examplo, consider a pressão hidrostatica actuando a volta do fim da secção da áres do tubing.
O buoyancy de um tubo é igual em qualquer posição, mas na posição vertical a força toda estará
concentrada na parte mais abaixo. Ex., na posição horizontal a força inteira estará distribuida
igualmente sobre o comprimento.
Figure 3:
a) O mesmo peso do fluido no anulo e no tubing.
b) A straight non-tapered tubing string.
c) No packer to limit the tubing motion.

Figure 3. Buoyancy example 1 – straight, open-ended string.


Hamilton Estevão Alberto

Para a instalação de um string tapered (dimunuido), factores adicionais deve


obrigatoriamente serem considerados. Se o fluido anular e tubular tem a mesma
densidade, calcular a força no lower(small) tubing na profundidade, e adicionar isto na
força resultante a partir da área de mudanças aonde ocorre a junção do string. Neste
exemplo, o movimento do tubing não é restrito pelo packer.

Figure 4. Buoyancy example 2 – tapered string, stung into packer


Hamilton Estevão Alberto

Hookload
Em calculo de completação, hookload é um termo
inapropriado ou mal entendido, hookload é o peso
resultante (registrado pelo peso indicador) do
tubing string e das components de completação. Ele
refer a todas pressões ou forças negativas e
positivas actuantes perpendicular e vectoral areas
os the production string.
Hamilton Estevão Alberto

Mudanças de forças e de comprimento


O aspecto mais importante quando se esta a instalar o packer consiste na
determinação do comprimento e das mudanças de forças através da variação de
pressão e temperatura. Quando as magnitudes e direcção destas forças e
comprimentos já são calculadas, esta informação deve ser usada com descreve-se
abaixo:

 To aid in the packer selection process


 To determine if tubing damage will occur
 To determine the proper spacing-out procedure for the packer and completion
components
Existem quatro diferentes efeitos que criam mudanças de comprimrnto e de forças.
Cada um destes efeitos deve ser obrigatoriamente analisado e combinado para
assessorar no efeito total para instalação de qualquer packer.
 Piston effect
 Buckling effect
 Ballooning effect
 Temperature effect
Hamilton Estevão Alberto

O efeito de pistão, efeito buckling e efeito ballooning resultam de mudanças de pressão


no sistema. O efeito de temperature esta somen te relacionado a mudanças de
temperaturas. Enquanto alguns efeitos estão relacionados, cada um deve ser
obrigatoriamente calculado de forma individual. Cada calculo de feito terá magnitude e
direção. Uma vez cada efeito é conhecido, são combinados para obter o valor do efeito
total. A decisão de adicionar ou subtrair é baseado na direcção que cada efeito( força
resultante) actua.

Efeito Pistão

O efeito Pistão é o resultado de mudanças de pressão dentro do tubing string ou no


annulus do casing. A mudança de pressão dentro do tubing string actua em diferentes
áreas no packer, área do packer (Ap) e o tubing ID (Ai). As mudanças de pressões no
annulus actuam entre a area do packer e o tubing OD de área (Ao). O resultado do
efeito de pistão é a força para cima ou para baixo no fim do tubing string. Porque o
efeito de pistão actua somenete no bottom do tubing string.
Se o tubing é livre de mover-se com respeito ao packer, o efeito de pistão irá resultar a
mudança de length do tubing. Se o tubing não é livre de mover-se com respeito ao
packer, o efeito de pistão irá resultar em mudanças de forças no packer.
Hamilton Estevão Alberto

Quando se detremina a força de Pistão, sempre consider a relação packer tubing esteja
balançada quando o packer é inserido. Considerar qualquer mudança após a insercção
do packer é como ter qualquer efeito na relação packer tubing.

A formula derivada p+ara o calculo da força de pistão (F1) é:


F1 = [(Ap - Ao) x (ΔPo)] - [(Ap - Ai) x (ΔPi)
Aonde:
Ap = Packer seal-bore area (in2)
Ao = Tubing OD area (in2)
Ai = Tubing ID area (in2)
As = Tubing wall cross-sectional area (in2)
ΔPo = Change in annulus pressure (psi)
ΔPi = Change in tubing pressure – at packer (psi)
Hamilton Estevão Alberto

Efeito de Buckling
O efeito de buckling é talvez o mais difícil efeito de ser percebido. O buckling é
causado por duas forças diferentes de distribuição.
 Compressive force on the end of the tubing.
 Force distribution acting across the tubing wall.

Buckling Temporario e Permanente

No buckling temporário, as forças foram


geradas grandes o bastante para causar o
buckling dentro do limite elástico do
material do tubing. Estas forças não
excedem o ponto de rotura do tubing e
quando as forças de buckling são released
retorna-se a posição inicial.
No buckling permanente, as forças de
buckling excedeem o lime elastic do
tubing e o tubing irá manter-se na posição
final mesmo quando as forças de buckling
são released.
Hamilton Estevão Alberto

O valor de "r" representa a distancia radial ( radial clearance) a


partir de for a do tubing (tubing OD) até a parede dos
revestimento (casing wall). Quanto maior é o valor de "r" maior
propabilidade de ocorrência do Buckling.
𝐶𝑎𝑠𝑖𝑛𝑔 𝐼𝐷 − 𝑇𝑢𝑏𝑖𝑛𝑔 𝑂𝐷
𝑟=
2
Buckling Compressional
Buckling Compressional é o
resultado do peso ou força
inicialmente aplicada no fim do
tubing (tubing end). A força aplicada
resulta no encurvamento (bowing)
do tubing. O compressional buckling
é um dos que em grande parte
contribui forças e pode ser o
resultado de combinação de muitas
forças. (ex., in a latched packer
system, an increase in temperature
will cause expansion of the tubing
resulting in buckling and possibly
corkscrewing).
Hamilton Estevão Alberto

Buckling calculations are simple but lengthy and should be approached systematically.

(r) 2 (Ap) 2{[PIfinal-PIinitial)] - [(POfinal-POinitial)]} 2


ΔL2 = –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
(buckling) (-8) (E)(I)(WS + WI - WO)
Efeito de Ballooning

Quando a pressão é aplicada dentro do tubing string, o diferencial de pressão a partir de


dentro do tubing para for a do tubing gera força that will attempt to burst the tubing.

These burst forces cause the tubing to swell (inchar). If the tubing is free to move the
length becomes shorter.

Se o tubing esta restrito de mover-se, uma força axial chmada de axial tensile (Fb) será
gerada a partir da aplicação interna de pressão e compressão axial a partir da aplicação
externa.
𝐹𝑏 = 2𝜇 𝐴𝑖 ∆𝑝𝑖 − 𝐴𝑜 ∆𝑝𝑜
A avariação de pressão é a mudança de pressão relative a pressão na
completação durante as condições iniciais. Se o tubing é livre de mover-se, a
pressão in terna irá causar com que o tubing comprima-se e aplicado a
pressão externa irá fazer com que o tubing alonga-se.
Hamilton Estevão Alberto

−2𝜇𝐿
∆𝐿𝐵𝐴𝐿 = 𝐴𝑖 ∆𝑝𝑖 − 𝐴𝑜 ∆𝑝𝑜
𝐸 𝐴𝑂 − 𝐴𝑖
Aonde: L is the length of the tubing (same units as DLBAL) and DLBAL is the length
change due to ballooning.
Para mudanças de pressões dadads, a pressão externa terá maior efeito do
que a pressão interna com a área maior.
The material property, 𝜇, is called Poisson’s ratio (approximately 0.3 for most
oilfield steels).
Hamilton Estevão Alberto

Se a pressão diferencial for reversa por aplicação de alta pressão fora do tubing for
maior que a pressão no tubing, as forças serão criadas na qual tenderam a colapsar o
tubing. Como o tubing tende a colapsar-se, irá resultar no acrescimo do length (se é
livre de mover-se). Se o tubing é restrito de mover-se, a força de compreensão será
exercida no packer.
Hamilton Estevão Alberto

Efeito de Temperatura
O efeito de temperature entre os quatros efeito, nãoe sta relacionado a pressão. O
comprimento e as forças sofrem mudanças através da mudança de temperature media
sobre o tubing.

Quando a temperature media é


decrescida, ex., por injecção de cool
fluído, o string irá incurtar-se n o
comprimento se o tubing é livre de
mover-se. Se o tubing é restrito de
mover-se a força de tensão será aplicada
no packer.

Quando a temperature media do tubing


cresce, ambos por injecção ou produção
de hot fluídos, isto irá causar o tubing
alongar-se, se é livre de mover-se. Se
esta restrito de mover-se, a força
comprensiva será aplicada no packer.
Hamilton Estevão Alberto

Na maioria das instalações de packers, o efeito de temperature será maior entre os


qutrios efeitos. Para encontrar a temperature media do tubing string, ambas surface e
bottom temperaturas devem ser conhecidas.

Na fase inicial da completação (static condition) a temperature media do tubing é a


temperature bottom hole mais a surface temperature dividido por dois (2).

Dois pontos essencias devem ser amantidos em mente uma vez que os equipamentos
downhole são instalados.

 O efeito da temperature não é imediato, pode levar muitos minutos a muitas horas.
Mas geralmente assume-se que o efeito de temperature ocorre imediatamente. Ista
assunção permite com que o efeito de temperature seja adicionado ao efeito de
pressão então estes todos factores podem ser considerados ao mesmo tempo.
In some situations this assumption can create problems resulting in equipment failure.
Consequently, forces or space-outs designed to take account of the temperature effect
should be applied with caution.

 In injection applications, the temperature of the injected fluid will vary with time as
a result of climatic changes. When an installation is planned where the injection
temperatures will vary, average temperature calculations should be based on worst
case injection temperature.
Hamilton Estevão Alberto

A wellbore surface temperature é tipicamente a temperature do tubing (°F) 20 ft


abaixo do wellhead. O mais preciso valor será usado. Se a tempearatura de surface
nãoésta disponivel geralmente usa-se um valor estimado que é 70 °F.

A bottom hole temperature deverá ser medida por equipamentos de downhole quando
possivel. Actividades Geotermicas ou zon as volcanicas podem elevara a temperature
downhole. The use of an accurate temperature gradient (approved for the particular
area/field) may be a viable alternative.
Gradient is the temperature increase (°F) for each 100 feet of depth. A simple formula
for temperature at depth using gradient would be:
Bottom-hole temperature
𝑮𝒓𝒂𝒅𝒊𝒆𝒏𝒕 (°𝑭) 𝒙 𝑻𝑽𝑫
𝑺𝒖𝒓𝒇𝒂𝒄𝒆 𝑻𝒆𝒎𝒑𝒆𝒓𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆 (°𝑭) +
100 ft
A general gradient of 1.6°F/100 ft represents an average gradient commonly used if
current temperature data is not available.
Hamilton Estevão Alberto

As mudanças de temperaturas downhole são influenciadas por qualquer variação.

Operações que resfriam o tubing string (injecção de liquidos a partir da superficie) a


temperature do string tendem a ser a mesma a do fluído injectado (providing a high
enough flowrate exists).

Em situação de injecção de steam (vapor), aquecer todo o string leva muitas horas.
Consequentemente a expansão do string torna-se longa. Em qualquer situação aonde
as mudanças de temperaturas são esperadas, usa os dados que fiavelmente
representam os extremos altos e baixos de temperatura.
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Forças Mecânicas Aplicadas

Em adição aos quatros efeitos effects (piston ,


buckling, ballooning and temperature effect)
criado por mudanças de temperature e pressão,
qualque aplicação Mecanica de mudanças de
força ou comprimento(length) must be
considerado. As forças Mecanicas são criadas por
ambas pulling tension into the tubing or slacking
( queda de rendimento) off weight onto the
packer.

As forças Mecanicas aplicadas são criadas por


ambos mudanças de forças ou de comprimento
must be combinar com os efeitos basicos em
ordem para a completação ser analizada
propriamente ou instalação do packer.
Hamilton Estevão Alberto

Calculo do Tubing Stress


O calculo final que se efctua na completação é para determinar as forças que
actuam no tubing e whether or not tubing failure will occur. Em situações
aonde existe restrição no tubing do que o recomendado 80% de factor de
segurança(safety factor) um grau pesado do tubing, further application of
mechanically applied force, or applied pressure may be needed to meet operational
requirements. Any extreme operating condition should be considered during the
planning phase (Figure 19). For example, to help eliminate an expensive fishing job,
some capacity may be allowed for stuck packer removal.

Factor de Segurança

Safety Factor compara o limite da resistência do tubing com a força aplicada.


𝐿𝑖𝑚𝑖𝑡
𝑆𝐹 =
𝐿𝑜𝑎𝑑
Se todos safety factor forem maior que 1 o tubing se manterá intacto.
O valor do safety factor depende de varias considerações, tais como tipo de material,
tipo de tensão, e da complexidade da estrutura.
Hamilton Estevão Alberto

Figure. Initial and final wellbore/completion conditions.


Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Lazy Wells
A figura baixo mostra. Quando o poço é shut in, a fase segrega-se fora. A
segregação gás- liquido será rápida, a volta de uma hora Xiao et al. (1995), do
que a segregação gás – óleo. A velocidade da separação água o óleo não é
critica. Ao mesmo tempo, ali poderá continuamente haverá influxo do fluído
como no local aonde a pressão do reservatório nasce. Com o fluído de
separação fora, de maneira similar ao iniciar um gás kick durante o drilling, a
pressão no posso irá rise da maneira a medida que o gás emigra para a
superficie. Isto pode causar então com que alguns fluídos se percam na
formação (Qasem et al., 2001). Em junção com qualquer fluído a fluir no/do
reservatório, o hold-up irá definer ocontexto do tubing. A partir da pressão
bottom hole e o gás compreensivel, it is then possible to work out the gas–oil
contact and the oil–water contact, although this is affected by changes in
tubing size and the effects of deviation. These wellbore storage effects are
well documented for pressure transient analysis (Olarewaju and Lee, 1989;
Ali et al., 2005; Al-Damak et al., 2006).
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Tamanho do poço de produção


O sizing de tubing de produção requer uma valiação economica. Uma
simulação do reservatório ( númerico, curva declinada ou material balance)
será requerida para integrar a performance do reservatório e a pressão do
reservatório. Curvas de elevação (lift) must be validadas a volta das condições
esperadas, e isto requer cuidadosamente a selecção de elevação vertical
para corelação da performance. Cuidado é requerido para evitar condições
extremas ou impossiveis como a non-zero liquid rate combined with a zero
condensate to liquid ratio, that is an inadvertent infinite gas rate. Aonde lazy
wells are concerned, it is possible to artificially (manually) truncate the lift
curves at the point that the well is identified as being unable to start unaided.

These points would have to be constructed using a transient well performance


model. The reservoir simulation should then be able to output the production
profiles for different tubing sizes and an economic analysis performed
accounting for the time value of money. The analysis can include options for
workovers for artificial lift or smaller tubing sizes.
Hamilton Estevão Alberto

Um size de maior tamanho é obviamente vantagioso na fase inicial da vida do poço.


Poderá ser possível instalar um tubing maior, tomar cuidado com a proporção inicial d
aprodução e depois mover para posições diferentes antes das consequências do
tubing maior torna-se aparente.

Dado um caso em que o tubing 7 5/8 in. O tubing é instalado no poço para conciliar
com o target da produção. Alta proporção de depletação com a instabilidade do fluxo
no tubing causa com que a produção seja interromipida temporariamente dentro de
vários meses. . Nota que diferentes stakeholders poderá também ter different
observações. Those interested in maximising long-term reserves will be more
interested in smaller tubing than those interested in short payback times, for
example nas areas aonde a pressão é baixa, geralmente proximo a superficie,
o size do tubing é reduzindo em areas aonde casing sizes são reduzidos.

Em muitos poços deep ou HPHT (high pressure, high temperature) a


integração proxima entre o tubing e o casing é requerido.
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Size de Poço Injector


Por comparação, o size de qualquer poço injector é muito mais fácil. A maior parte
de poços injectores são single fase (água ou gás), e consequentemente o hold-up
não é um pronlema. Mesmo que seteja presente o poço injector de steam (vapor), é
simplesmente uma desvantagem slightly.

Se o size do tubing do poço de injecção for maior, melhor ainda. Diminishing


returns and casing/hole size limitations do however come into play. Para offshore
os poços de injecção de água são padronizados (standard) isto é 7 in or 7 5/8 in.
Um poço considerado para injecção de gás é possivel converte-lo em productor de
gás mas tarde durante a vida do campo (field). Como a fase blow-down não
garante que o gás seco (dry gas) injectado era mesmo seco quando voltar a ser
produzido. Terá comumente free water ou presença de condesação. E por diante
ter o mesmo problema de mutifase que a maioria dos poços de gás tem.

Os poços de injecção a água não são normalmente convertidos em productores


(não é desconhecido), mas eles muitas vezes são convertidos a poços productores e
não obstante compromete (along with a suitable metallurgy) será requerido.
Hamilton Estevão Alberto

Multifase do fluxo e performance do tubing


A disponibilidade segura da predição do decaimento da pressão (drop pressure) no
tubing durante o fluxo ou condições de injecção é o core skill de qualquer Engenheiro
de completação. É fundamental preditar a proporção do fluxo (flow rates), selecionar o
size correcto de completação, assessorar os requisitos, e os tipos de elevação (artificial
lift), calcular a proporção da erosão e as diferentes taresfas (tasks).

A maior partes dos cálculos de performance dos poços, hoje em dia são realizados
usando softwares apropriados sem um entendimento total das limitações e dados
críticos são inseridos se necessário.
O total de pressão que decai (pressure drop) a partir do sandface () a superfície (a
arvore típica) compreende três componentes:
 Decaimento da pressão (Hydrostatic pressure drop)
 Decaimento da pressão de fricção (Frictional pressure drop)
 Aceleração da cabeça (Acceleration head)

No projecto do poço completo upper completion ou produção de óleo, o termo


hidrostático representa 80% da queda de pressão total através da completação, tendo
em conta o mau funcionamento do equipamento de aceleração e os fluídos precisam de
ser incluídos.
Hamilton Estevão Alberto

A queda da pressão hidrostática é diretamente calculada para um fluído incompressível


virtual e para a fase solteira (single phase) do fluido como o poço de injecção de água.
Para poços de gás (sem líquidos), a densidade e assim o comprimento do poço.

Para fluxo de multiface, a densidade é também função da proporção do fluxo


directamente ao efeito de slippage.

A queda da pressão de fricção (∆𝑝𝑓 ) depende da densidade(𝜌), velocidade (v ), diâmetro


do pipe (d) e o parâmetro chamado de factor de fricção de Moody (f):

𝑓 ∗ 𝑣2
∆𝑝𝑓 =
2𝑔𝑐 ∗ 𝑑
Aonde 𝑔𝑐 é o factor de conversão que é igual a 32.17

O factor de fricção depende do comportamento do fluxo aonde ele é laminar ou


turbulento.
Para o fluxo laminar (de a cordo com o fluxo Newtoniano para óleo, gás e água) aonde
não ocorre a dependência da rugosidade no tubing e considera-se que não há
movimento de fluido imediatamente fora do pipe, o factor de fricção é dado pela
64𝜇
equação: 𝑓 = 𝜌𝑣𝑑.
Hamilton Estevão Alberto

Aonde: 𝜇 a viscocidade do fluído (cp) e 𝜌𝑣𝑑/𝜇 também é conhe cido como o número
de Reynolds (𝑁𝑅 ), é admessional.

A maior parte do fluxo no pipe não é laminar, e resulta na queda de altas pressões
quando o fluxo é turbulento. A mudança entre o fluxo laminar e turbulento corre
quando o número de Reunolds esta entre 2100 e 4000. no fluxo tubular, o pipe rugoso
faz parte.

Varias correlações são disponíveis para preditar o single-phase do factor de fricção no


fluxo turbulento. O mais usado em softwares actuais é o Colebrook e White formula
(Colebrook, 1938).

1 2𝜀 18.7
= 1.74 − 2 log +
𝑓 𝑑 𝑁𝑟 ∗ 𝑓
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Para fluxo de múltiplas fase, a analise complica-se por causa do efeito de slippage. O
Slippage ocorre por causa de presença de duas fases (gás e liquido) que viajam
sobre diferentes velocidades directamante devido ao buoyancy. Isto é especialmente
o caso da baixa velocidade. É necessário preditar a velocidade de duas fases para
calcular a fricção. Porque os dois fluídos viajam sobre diferentes velocidades, eles
também afectam a área do pipe ocupado por pelo gás e o liquido.

A movimentação rápida do fluído (gás) irá ocupar pouco espaço quando se move
rápido. Este tem um efeito significativo na mistura de toda a densidade. A fricção da
área ocupada pelo liquido é chamada de hold-up (HL). É definido como:

Á𝑟𝑒𝑎 𝑑𝑜 𝑝𝑖𝑝𝑒 𝑜𝑐𝑢𝑝𝑎𝑑𝑜 𝑝𝑒𝑙𝑜 𝑙í𝑞𝑢𝑖𝑑𝑜


𝐻𝐿 = Á𝑟𝑒𝑎 𝑇𝑜𝑡𝑎𝑙
O valor do hold-up não pode ser calculado analiticamente (Beggs, 2003), e must be
detreminado po algumas formulas empiricas de correlação.
Hamilton Estevão Alberto

O contudo de liquido inserido (input liquid content) ( algumas vezes chmado non-slip
hold-up) pode ser calculada a partir dos dados de PVT. Poderá ser a função do fluído,
water cut, etc. a volta de pressão e temperature. A partir do hold up, toda densidade
com o efeito de slippage (𝜌𝑠 ) pode ser calculada a partir da equação:

𝜌𝑠 = 𝜌𝐿 𝐻𝐿 + 𝜌𝑔 1 − 𝐻𝐿

É normalmente assumido com respeito as três fases (óleo, gás e água) considerando-se
que não ocorre o efeito de slippage entre as diferentes fase liquidas. Alguns moselos
incorporam o slippage entre o óleo e a água.

A velocidade pode também ser calculada pelo hold-up. Oo parametro chamdo de


velocidade superficial (liquid ou gás) é muitas vezes usado comoo umpasso
intermedio e como o valor inserido em varias correlações. A velocidade liquidan
𝑞
superficial é : 𝑣𝑠𝑙 = 𝐴𝐿
Esta é avelocidade pela a qual o liquido flui através da secção completa do tubing.
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

A velocidade actual do liquido (vL) é baixo. 𝑉𝐿 = 𝑞𝐿/𝐴𝐻𝐿

O efeito de hold-up pode ser apresentado por examinação por exemplo com uma
mistura água-gás aonde o conteúdo do liquido de input é 40%, o fluxo do volume total
volumétrico (gás e liquido) a proporção é de 10,000 bpd e o diâmetro in terno do pipe
é 4.9 in.

O decaimento da pressão hidrostática dependerá absolutamente da densidade, o


impacto de slippage é claro. A fricção nas duas fases é severa em defini-la e terá uma
correlação em curso, mas em geral irá seguir a forma similar para o facto de single-
phase.
Hamilton Estevão Alberto

Predicão da temperatura
A predição da temperatura em fluídos de produção ou injecção e avolta tubing/casing
é um conhecimento critico para o numero de aplicações de completações. Estas
aplicações incluiem analises do stress do tubing, seleção do material (metais e
elastomers), produção de químicos e uma garantia do fluxo. Em adição a temperatura
do wellhead são alguns inputs para um projecto eficiente e operações de produção
das instalações.

Aplicações como em campos de HPHT, deepwater e crudes viscosos o stress tem um


papel importante que a temperatura joga em segurança e num projecto eficiente de
poço. Muitas técnicas de logging e os sensores de distribuição de temperaturas mais
recentes (DTS) dão um hilight do valor da t de aquisição de temperatura no e a volta
do wellbore.

Hasan and Kabir (2002). O mecanismo de tranferencia de calor (figura abaixo) para
um poço offshore ignorando um calor vertical, o calor separa-se a partir dos fluídos
produzidos e fluídos condesados/evaporados, o balanço de energia da produção é
dado por:
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

A gravidade e o ângulo do hole ( J and gc são factores de conversão), isto é o


trabalho é completado accelerando o fluído.

Então, conhecendo as propriedades do fluído é critico para obter a predição da


temperatura exacta. Quando a fase de transferências são incluídas e requere-se o
calor da energia ou extracção durante a evaporação ou condesação, então a iportancia
de um modelo exacto do fluido cresce mais.

Antes de examinar a sepração de transferência de calor a partir do tubing, pequenos


exemplos ilustram o efeito do fluído, primeiramente o efeito da água e do gás
produzido (figura abaixo). Nos três casos modelados, existe águas do mar (sea water)
injectado no senário de 30.000 bdp; um caso de produção de 30.000 bpd de óleo, com
associação de gás; e umcaso de 30,000 bpd, aonde 50% é água, o GOR é o mesmo em
ambos cenários de produção. O caso de injecção é o mais straightforward. A
capacidade maxima de calor da água e a falta de expansão do gás cria uma baixa
bottom hole temperature – é proximamente isotérmal. Este efeito longamente
endetido e incorporado nas analises dos stress dos poços de injecção.
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

EXEMPLOS DE COMPLETAÇÃO
Hamilton Estevão Alberto

Basic components of a beam pump


Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Single-Zone Completion #1

Description
A single zone completion using a hydraulic set retrievable packer is a simple a
commonly used completion design.
Design Advantages
 The entire completion string is retrievable.
 Circulation above the packer is possible
 The packer may be set after the wellhead is secured.
 Nipples and sliding sleeve enable a high degree of flow control and flexibility in
well control options.
 Recording and monitoring devices can be located in the completion

Design Disadvantages
 Suitable for low to medium pressure wells only (pressure differential across
packer).
 Limited ability to safely handle tubing forces or movement.
 Limited material selection

Optional Components
 Flow couplings
 Artificial lift equipment
 Safety valve
Hamilton Estevão Alberto

Figura 1. Single zone completion #1.


Hamilton Estevão Alberto

Single-Zone Completion #2
Description
A single zone completion using a high-performance retrievable mechanical double-grip
packer is commonly used in single zone gas well completions.
Design Advantages
 Completion design capable of handling medium to high-pressure and forces.
 The entire completion string is retrievable.
 Circulation above the packer is possible
 The packer may be used as a bridge plug.
 Nipples and sliding sleeve enable a high degree of flow control and flexibility in well
control options.
 Recording and monitoring devices can be located in the completion

Design Disadvantages
 Pressure compatibility for some completion sizes may be limited.
 Limited material selection

Optional Components
 Flow couplings
 Artificial lift equipment
 Safety valve
 TCP assembly
Hamilton Estevão Alberto

Figura 2. Single zone completion #2.


Hamilton Estevão Alberto

Dual-Zone Single-String Completion

Description
A completion design commonly used in shallow, low-pressure sweet natural gas wells
in North America. The lower zone is produced up the tubing string and the upper zone
produced through the annulus.

Design Advantages
 The entire completion string is retrievable.
 Economical design
 The packer may be used as a bridge plug
 Nipples and sliding sleeve enable a high degree of flow control and flexibility in
well control options.
 Recording and monitoring devices can be located in the completion

Design Disadvantages
 Suitable for shallow sweet well completions only
 Susceptible form fill or debris produced from upper zone.

Optional Components
 Provision for rod pump, plunger lift or siphon tube.
Hamilton Estevão Alberto

Figura 3. Dual-zone, single-string completion.


Hamilton Estevão Alberto

Dual-Zone Dual-String Completion

Description
A common completion configuration for wells where it is advantageous to produce
two zones simultaneously.
Design Advantages
 The entire completion string is retrievable.
 Both zones can be produced simultaneously yet are independently controlled.
 The packer may be set after the wellhead is secured.
 Nipples and sliding sleeve enable a high degree of flow control and flexibility in
well control options.

Design Disadvantages
 Suitable for low to medium pressure wells only (pressure differential across
packer).
 Limited ability to safely handle tubing forces or movement.
 Limited material selection

Optional Components
 Sliding sleeve above the dual-string packer
 Tail pipe facilities for recorders
 Selective set packers
 Gas lift equipment
 Safety valves
Hamilton Estevão Alberto

Figura 4. Dual-zone, dual-string completion.


Hamilton Estevão Alberto

Multi-Zone Single-String Completion

Description
A completion design that enables selective production from multiple zones through a
single production string.

Design Advantages
 The entire completion string is retrievable.
 Each zone can be independently controlled through operation of sliding sleeve.
 The hydraulic packers may be set after the wellhead is secured.

Design Disadvantages
 Production restricted to one zone at a time if commingling is not desirable
 Limited ability to safely handle tubing forces or movement.
 Limited material selection for packers

Optional Components
 Sliding sleeve above top packer to enable circulation between the annulus and
tubing
 Blast joints
 Provision for recorder below the lower packer.
Hamilton Estevão Alberto
Hamilton Estevão Alberto

Bibliografia
 ENCYCLOPAEDIA OF HYDROCARBONS - DRILLING AND COMPLETION OF WELLS
 Angel J. (2000) Intelligent oilfields. Managing the interfaces, «Offshore», 60, 184.
 Aeschliman, D. P., 1985. The Effect of Annulus Water on the Wellbore Heat Loss From a Steam
Injection Well With Insulated Tubing. SPE 13656.
 Aeschliman, D. P., Meldau, R. F. and Noble, N. J., 1983. Thermal Efficiency of a Steam Injection
Test Well with Insulated Tubing. SPE 11735.
 Ahmed, T., 1989. Hydrocarbon Phase Behaviour. Gulf Publishing Company, Houston TX.
 Al-Damak, S., Falcone, G., Hale, C. P., et al., 2006. Experimental Investigation and Modelling of
the Effects of Rising Gas Bubbles in a Closed Pipe. SPE 103129.
 Al-Marhoun, M. A., 1988. PVT correlations for Middle East crude oils. J. Petrol. Technol., 40(5):
650– 666. Trans 285. SPE 13718.
 Al-Meshari, A. A., Zurita, R. A. A. and McCain, W. D. Jr., 2005. Tuning an Equation of State –
The Critical Importance of Correctly Grouping Composition Into Pseudocomponents. SPE 96416.
 Ali, A. M., Falcone, G., Hewitt, G. F., et al., 2005. Experimental Investigation of Wellbore Phase
Redistribution Effects on Pressure-Transient Data. SPE 96587.
 https://plus.google.com/107800030542640320427/posts/XQEwxU6JXsG