Anda di halaman 1dari 14

Faculdade de Direito Santo Agostinho - FADISA

Graduação em Direito
Direito das Minorias
Prof. Reinaldo Silva Pimentel Santos

Direito das Minorias – Slide 7

Gênero e Orientação Sexual

Montes Claros, setembro de 2018


Elementos introdutórios

O conceito de sexo será suficiente para Sexo e gênero são


as discussões sobre diversidade?
suficientes?

Classificação das
espécies conforme
características
morfo-fisiológicas.

Necessidade de
desenvolvimento de
outros conceitos.
Sexo, gênero e orientação sexual
Sexo: conjunto de características morfo-
Sexo biológicas que ensejam a classificação do ser
vivo como macho ou fêmea. (Ex.: presença
de gametas masculinos, testículos, presença
do cromossomo XY para machos, etc.)
Gênero

Orientação
Sexual
Sexo, gênero e orientação sexual

Gênero: trata-se de papel social atribuído a


Sexo um indivíduo, considerando o sexo aparente
e outros fatores presentes.

1ª. Premissa: o gênero é diretamente influenciado pelo corpo social.


Gênero
2ª. Premissa: é possível que haja um descolamento entre a construção social
que foi atribuída ao indivíduo e a forma como ele se percebe.

Ex.: Considerando os conceitos oferecidos pela biologia, Reinaldo é


macho (gametas, cromossomos, etc.). Disso, é socialmente
Orientação atribuído um gênero a Reinaldo (espera-se que por ser macho ele
Sexual seja viril, corajoso, dentre outras características). Essa atribuição
ocorre reiteradamente na sociedade.

Mas seria possível que Reinaldo não se percebe-se perante a


atribuição que foi realizada socialmente?
Sexo, gênero e orientação sexual

Gênero: trata-se de papel social atribuído a


Sexo um indivíduo, considerando o sexo aparente
e outros fatores presentes.

1ª. Premissa: o gênero é diretamente influenciado pelo corpo social.


Gênero
2ª. Premissa: é possível que haja um descolamento entre a construção social
que foi atribuída ao indivíduo e a forma como ele se percebe.

Identidade de gênero: é a forma como o indivíduo se percebe, se


visualiza.
Orientação
Sexual Se eu me visualizar da mesma forma que me foi atribuído, tem-se
um cisgênero.

Se eu me visualizar de maneira distinta ao que me foi atribuído,


tem-se um transgênero.
Sexo, gênero e orientação sexual

Sexo Orientação sexual: diz respeito à direção da


atração sexual ou romântica que o indivíduo
apresenta.

Heterossexualidade (heteroafetividade)
Gênero
Homossexualidade (homoafetividade)

Bissexualidade (biafetividade)
Orientação
Sexual As orientações diferentes da
Podemos indicar a existência de heterossexualidade podem ser
uma ‘opção sexual’? compreendidas como
transtorno ou distúrbio?
O papel da sociedade

“Em todas as sociedades, existem normas sexuais que


aprovam certas práticas, enquanto desestimulam ou
condenam outras. Os membros de uma sociedade
aprendem essas normas com a socialização. Nas últimas
décadas, por exemplo, as normas sexuais em culturas
Efeito da ocidentais estão ligadas a ideias de amor romântico e
socialização relacionamentos familiares. Essas normas, porém, variam
amplamente em culturas diferentes. A homossexualidade é
um exemplo. Algumas culturas tem tolerado ou incentivado
a homossexualidade ativamente em certos contextos. Entre
os gregos antigos, por exemplo o amor de homens por
rapazes era idealizado como a forma mais superior de amor
sexual.” (GIDDENS, s/d, p. 415)
Foucault e a História da Sexualidade

Heteronormatividade compulsória;

Perversões sexuais;

Criminalização das sexualidades.


Normalização de condutas e garantias de direitos

“Os oponentes ao casamento


homossexual o condenam como
algo frívolo e antinatural.
Consideram que ele legitima uma A orientação sexual
orientação sexual que o Estado seria tema afeito ao
deveria estar limitando. [...] Estado?
Alguns ainda consideram a
homossexualidade como uma Qual o papel do
perversão e se opõem
violentamente a qualquer Estado?
cláusula que a normalize.”
(GIDDENS, s/d, p. 421)
Normalização de condutas e garantias de direitos

Questão: Casamentos homoafetivos devem ser permitidos na Europa? Questão: Adoção de crianças por casais homoafetivos deve ser permitido na Europa?
Disponível em
http://ec.europa.eu/commfrontoffice/publicopinion/archives/eb/eb66/eb66_en.p http://ec.europa.eu/commfrontoffice/publicopinion/archives/eb/eb66/eb66_en.pdf. Acesso
df. Acesso em 21 set. 2018 em 21 set. 2018
Garantia de Direitos e Igualdade

Disponível em
https://ilga.org/downloads/2017/ILGA_WorldMap_SPANISH_Overview_2017.pdf. Acesso em
21 set. 2018
A questão da violência
O papel do Direito

Proibição constitucional da Não há previsão constitucional específica, apesar de decisões judiciais e


discriminação por orientação sexual Constituições estaduais. Nesse sentido, vide Alagoas (Art. 2°, I)

Crimes de ódio. Possibilidade de


agravante em virtude da orientação Não há previsão federal específica. Agravante?
sexual

Resolução n° 01/99 do Conselho Federal de Psicologia.

Proibição da ‘terapia de conversão’ Art. 3° - os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a
patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem
adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para
tratamentos não solicitados.
O papel do Direito

ADIn 4.277-DF e ADPF n.° 132.

Possibilidade de união homoafetiva Resolução n.°175/2013 – CNJ

Art. 1º É vedada às autoridades competentes a recusa de habilitação,


celebração de casamento civil ou de conversão de união estável em
casamento entre pessoas de mesmo sexo.