Anda di halaman 1dari 12

Universidade de Fortaleza

Centro de Ciências Tecnológicas – CCT


Curso Engenharia Mecânica

Aluno: João Pedro da Silva Bandeira


Tema

A APLICAÇÃO DA FMEA COMO UMA FERRAMENTA DE


AUXÍLIO PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM PLANO
DE MANUTENÇÃO DAS BOMBAS DE ÁGUA DE
CIRCULAÇÃO DE UMA USINA TERMELÉTRICA A
CARVÃO DO ESTADO DO CEARÁ.
Introdução
Energia Elétrica

Crise Energética de 2001

Usinas Termelétricas

Planos de Manutenção

FMEA
Justificativa

Este trabalho justifica-se pela necessidade e


importância da utilização do FMEA para o
desenvolvimento de um plano de manutenção para
garantir a disponibilidade e confiabilidade das bombas
de água de circulação de uma usina termelétrica a
carvão.
Objetivos
Objetivo Geral:
Aplicar os princípios da ferramenta FMEA para o desenvolvimento um plano de
manutenção das bombas de água de circulação de uma usina termelétrica a carvão do
Estado do Ceará.

Objetivos Específicos:
• Avaliar e selecionar os sistemas a serem trabalhados, levando em consideração suas
relevâncias para a segurança, economia e disponibilidade do processo;
• Realizar levantamento das falhas funcionais dos sistemas selecionados, considerando
seus os modos de falha, causas, efeitos e impactos;
• Estabelecer atividades programadas de manutenção preventiva e preditiva que
garantam a confiabilidade e disponibilidade das bombas de água de circulação.
Fundamentação Teórica
Manutenção:
A NBR 5462 conceitua a atividade de manutenção da seguinte maneira: “Combinação de
todas as ações técnicas e administrativas, incluindo as de supervisão, destinadas a
manter ou recolocar um item em um estado no qual possa desempenhar uma função
requerida” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1994, p. 6).

Tipos de Manutenção:
• Manutenção Corretiva não Planejada
• Manutenção Preventiva
• Manutenção Preditiva
• Manutenção Detectiva
• Manutenção Corretiva Planejada
• Engenharia de Manutenção
Fundamentação Teórica

Fonte: Adaptado de Kardec e Nascif (2012)


Fundamentação Teórica
FMEA:
É um método sistemático de avaliação de falhas de projetos ou processos que visa
identificar diferentes maneiras pela qual podem ocorrer as falhas, bem como os efeitos
dessas falhas sobre o desempenho do equipamento ou processo, além dos riscos ao
ambiente e às pessoas.

De acordo com Carpinetti (2017), o método FMEA é composto pelas seguintes etapas:.
• Etapa 1: Nessa etapa são identificadas as falhas, efeitos, possíveis causas e os
mecanismos existentes para a detecção das falhas. A partir dessa análise, são
definidas as notas de severidade, ocorrência e detecção para, em seguinte, priorizar as
falhas de acordo com indicador RPN.
• Etapa 2: Após a análise das causas das falhas e os meios de detecção, considerando a
priorização realizada na Etapa 1, devem-se definir as ações necessárias para eliminar
ou minimizar a ocorrência das falhas.
• Etapa 3: Após a implantação do plano de ação, a equipe de FMEA deve periodicamente
reanalisar as falhas, ocorrências e detecção, para avaliar se as ações propostas
Fundamentação Teórica

Fonte: Carpinetti (2017)


Fundamentação Teórica
Funcionamento de uma Usina Termelétrica a carvão
As usinas termelétricas utilizam a energia gerada pelo processo de combustão para
produzir vapor de água e, com isso, gerar de energia elétrica, operando segundo o ciclo
Rankine (ÇENGEL; BOLES, 2013).

Fonte: Moran et. al (2013)


Fundamentação Teórica

Fonte: Drbal, Boston e Westra (1996)


Referências
LORA, Electo Eduardo Silva; NASCIMENTO, Marco Antônio Rosa do. Geração termelétrica: planejamento, projeto e
operação. Rio de Janeiro: Interciência, 2004. 1 v.

KARDEC, Alan; NASCIF, Júlio. Manutenção: função estratégica. 4. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2012.

GARCIA, Agenor Gomes Pinto. Leilão de eficiência energética no Brasil. Rio de Janeiro: Synergia, 2008.

CARPINETTI, Luiz Cesar Ribeiro. Gestão da qualidade: conceitos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

DRBAL, L, F.; BOSTON, P. G.; WESTRA, K. L., Power Plant Engineering. Boston: Springer, 1996.

ÇENGEL, Yunus A.; BOLES, Michael A.. Termodinâmica. 7. ed. Porto Alegre: Amgh, 2013.

MORAN, Michael J. et al. Princípios de termodinâmica para engenharia. 7. ed. Rio de Janeiro: Ltc, 2013.