Anda di halaman 1dari 22

A ESCOLA DE CONFIGURAÇÃO

A Formulação de Estratégia como um Processo de Transformação

Grupo: Matheus, Elvio, Zoel e Renato.


A Escola de Configuração

• Apresenta-se como uma espécie de resumo das


outras escolas, uma maneira de integrar as suas mensagens;

• Descreve a estabilidade relativa da estratégia dentro de


determinados estados, interrompida por fatos ocasionais e
drásticos para novos estados, além de buscar integrar e
agrupar vários elementos, dentre eles:
• O processo de formulação de Estratégias
• O conteúdo das mesmas
• Estruturas organizacionais e seus contextos

• Esta escola difere de todas as outras no aspecto


fundamental: RECONCILIAÇÃO.
Configuração e Transformação

• Existem dois lados principais desta escola:

Um descreve estados O outro descreve o


da organização e do processo de geração
contexto que a cerca de estratégia como
como configurações uma transformação,
(formas, aparências, similar a um ciclo de
aspectos, tipos ideais). vida.

• Fala-se também de configuração para indicar que uma


realidade é definida pela intervenção de diferentes partes.
Configuração e Transformação

• São dois lados da mesma moeda;

• A transformação é uma consequência inevitável da


configuração. Há um tempo para coerência e um tempo para
mudar;

• Seja como plano deliberado para estabelecer padrões de


comportamento, ou como padrão emergente;

• Embora o processo de geração de estratégia possa se dispor


a mudar a direção, as estratégias resultantes estabilizam
essa direção.
Configuração e Transformação

• À medida que a organização empreendedora envelhece e


seu setor se acomoda na MATURIDADE, o estágio inicial dá
lugar a uma estrutura mais formalizada;

• Criar estratégias significa afrouxar estágios para que a


organização possa efetuar a transição para um novo estado
(o mais rápido possível, para não ficar sem estado);

• Reformulação ou Revitalização.
Premissas
• As organizações podem ser descritas na forma de uma
configuração estável num determinado contexto;

• Períodos de estabilidade, ocasionalmente, dão saltos


quânticos periódicos (processo de transformação);

• Ordenação ao longo do tempo em sequencias padronizadas,


ou seja, descrevendo ciclos de vida de organizações;

• As escolas de pensamento sobre formação da estratégica


são configurações particulares;

• As estratégias resultantes dependem do momento e da


situação atual, assumindo formas de planos ou padrões.
Estudos de Configuração na McGill University
• Prandip Khandwalla:
• Sua chegada na universidade no início dos anos 70
• Estimulou o interesse pela abordagem da
Configuração naquela escola.
• Descobriu uma justificação empírica para essa
abordagem:
• A eficácia nas organizações estava relacionada
• Às correlações entre vários atributos
• Organizações funcionavam de forma eficaz
porque:
• Reuniam diferentes características de
maneiras complementares o que:
• Estimulou o interesse pelo conceito de
configuração
Configurações de estrutura e poder

Organização Máquina
Organização
Empreendedora • Organização opera como uma máquina
• Simples, frequentemente altamente programada e bem
lubrificada.
pequena e em geral jovem
• Produto da Revolução Industrial
• Sua unidade consiste em
patrão e o restante. • Cargos se tornam cada vez mais
• Estrutura informal e flexível especializados
• Trabalho altamente padronizado.
• Grande parte da coordenação é
efetuada pelo patrão • Apresenta um líder sobre uma base
• Permite que ela opere em um operacional que elabora:
ambiente dinâmico • Equipe tecnocrática que programa o
• Pode superar as trabalho de todos
burocracias (ex: empresa • Quadro de acessoria para promover
empreendedora). um auxílio
• Elabora hierarquia de linha para
controlar as pessoas
• Tende a ser encontrada em indústrias
estáveis e maduras.
Configurações de estrutura e poder

Organização Profissional Organização Diversificada


• Aqui domina o profissionalismo • Mais um conjunto de unidades
• Organização entrega grande parte do relativamente independentes
seu poder unidas por uma estrutura
• Profissionais altamente treinados que frouxa do que uma
assumem o trabalho de operações (Ex: organização integrada
médicos e pesquisadores) • Cada divisão possui sua
• Estrutura bastante descentralizada própria estrutura para lidar
• Pelo fato do trabalho ser bastante com sua própria situação
padronizado • Sujeita a sistemas de
• Profissionais podem trabalhar de controle de desempenho
forma independente uns dos outros • Rede social remota
• Caracterizada por equipes de apoio,
pouca tecnocracia e pouca gerência de
linha no controle das ações.
Configurações de estrutura e poder
Estágios de uma organização
Sequência dos estágios ao longo do tempo
Contribuições de Miller para a Configuração
Arquétipos: São estados de estratégia, estrutura, situação e
processo. A dissertação de doutorado de Miller, usava estudos
publicados de empresas para induzir dez arquétipos de
formação de estratégia. Alguns exemplos incluem “Burocracia
Estagnada”, “O Gigante sem Cabeça”, “As Consequências”, “A
Empresa Dominante” e “ O Conglomerado Empreendedor”.

Visão Quântica de Mudanças: Descrevem mudanças nas


organizações como um Quantum. Significa a mudança de
muitos elementos ao mesmo tempo. Essa mudança pode tanto
ser rápida quanto gradual. Sugere que as organizações
resolvem forças opostas.
Contribuições de Miller para a Configuração
• Mudanças Revolucionárias ou Incrementais:
• A noção de Miller de mudança revolucionária é
contrariada pela noção de Quinn da mudança como
incremental na escola do aprendizado.
• Mudanças que parecem incrementais para um
observador, podem ser revolucionárias para outro.
• Ambos poderiam estar descrevendo dois estágios
sequenciais em um mesmo processo.
• Estrategistas
• Aprendem de forma incremental
• Conduzem mudanças estratégicas de forma
revolucionária.
Contribuições de Miller para a Configuração
• A Excelência e Seus Perigos:
• Miller afirmou
• A abordagem da Configuração oferece uma rica
base para descrever as organizações
• Muitos fatores podem ser levados em conta na
descrição de várias formas
• A configuração pode ser um estado natural de coisas:
forças darwinianas
• Podem levar as organizações
• Buscar coerência entre suas diferentes partes
• Podem ser sinérgicas e eficientes
• A coerência facilita a compreensão e
administração da empresa e possibilita a
aplicação de técnicas apropriadas por parte
dos gerentes.
Contribuições de Miller para a Configuração
• Miller no livro The Icarus Paradox (1990) descreveu 4
trajetórias principais que levam do sucesso ao fracasso:
Sondagens em períodos de transição: Estudos de
Andrew Pettgrew
• Para Andrew Pettigrew (1985;1987):
• A mudança na ICI (empresa química do Reino Unido) não
é um episódio, mas uma série de episódios
• É necessário ir além das teorias racionais lineares
• Suas conclusões corroboraram com a noção de mudança
quântica de Miller
• Tal estudioso
• Teceu noções de várias escolas de estratégia em
torno de períodos de vida distintos da organização
Sondagens em períodos de transição:
Estudos de Gerry Johnson (1987)
• As conclusões de Gerry Johnson (1987) tendem a focalizar a
visão interpretativa da estratégia em conjunto com uma visão
racionalista e adaptativa (ou incremental).
• Johnson concluiu que:
• Executivos “viam a si mesmos como incrementalistas
lógicos e acreditavam que essa era uma maneira sensata
de gerenciar”.
• Entretanto
• Eram movidos por um conjunto de crenças básicas
que determinava como interpretavam a
complexidade que enfrentavam e agiam a seu
respeito (o que levantava barreiras à mudança)
• É necessário descongelar o paradigma para romper
alianças políticas e questionar e romper rituais e rotinas
• Pessoas de fora desempenhavam um papel chave
• Introdução de novas perspectivas e ideias.
Sondagens em períodos de transição:
Estudos de David Hurst (1995)
•Mudança Organizacional
• Modelo de “ecociclo” de crise e renovação
• Consiste de dois arcos que se cortam para
• Formar o símbolo do infinito
• Em organizações humanas
• Ação empreendedora conduz à conservação ou
acomodação do procedimento
• Provoca crise e confusão
• Estimula respostas criativas
• Leva ao início de um novo ciclo
• A metade de trás do ciclo do infinito
• Denominada Curva de Aprendizado
• Representa um ciclo de renovação de morte e
reconcepção: domínio da “liderança carismática”.
• Descreve um percurso sem fim entre crise e renovação
• Modelo vai além da organização
TRANSFORMANDO ORGANIZAÇÕES
CRÍTICA, CONTEXTO E CONTRIBUIÇÃO
Obrigado!