Anda di halaman 1dari 25

CURSO: FARMÁCIA

DISCIPLINA: MICOLOGIA
CLÍNICA

CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

Profª Crystiane Rodrigues Araujo Mota


CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

Critérios:

 Local da lesão

 Vias de penetração

 Vias de disseminação

 Resposta do hospedeiro
CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

1. MICOSES SUPERFICIAIS
 Localização da lesão: superficial
 Penetração: contato direto
 Normalmente não se dissemina por via sanguínea e/ou
linfática
 Não induz resposta inflamatória
 Exemplos: Pitiríase versicolor
Tinha nigra
Piedra branca
Dermatofitoses
Pitiríase versicolor

Dermatofitose
CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

2. MICOSES SUBCUTÂNEAS

 Localização da lesão: Derme

 Penetração : Microtraumatismos

 Disseminação: via linfática

 Resposta do hospedeiro : inflamatória

 Exemplos: Esporotricose Lobomicose

Cromoblastomicose Eumicetomas
Esporotricose

Cromoblastomicose
CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

3. MICOSES SISTÊMICAS

 Localização da lesão:acomete órgãos internos

 Via de penetração: inalatória

 Vias de disseminação: sanguínea e linfática

 Resposta do hospedeiro: inflamatória granulomatosa

 Exemplos: Paracoccidioidomicose

Histoplasmose

Coccidioidomicose
Paracoccidioidomicose

Histoplasmose
CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES

4. MICOSES OPORTUNÍSTICAS

 Definição: causadas por fungos que normalmente são


sapróbios e que em decorrências de fatores adversos
passam a produzir lesões.

 Indivíduos com ↓ resposta imune

 Antibioticoterapia prolongada

 Rompimento de barreira de defesa da pele e/ou de


mucosas
 Exemplos: Criptococose

Candidíase

Aspergilose
Candida sp

Cryptococcus sp
Métodos de Diagnóstico
Métodos de diagnóstico
I. Colheita de material

II. Exame microscópico direto

* Auxiliares primários no diagnóstico


* Várias técnicas, dependendo do material

1. Montagem com hidróxido de potássio (KOH)


KOH: dissolver estruturas teciduais, clarear pigmentos
evidenciando as estruturas fúngicas
2. Montagem com tinta da China ou nigrosina
• Observação de cápsula

3. Montagem com Gram

• fungos: G +
• Utilizados para pesquisas de leveduras em
secreções

4. Montagem em Giemsa
• Esfregaço sangue: forma leveduriforme de
Histoplasma capsulatum
III. Cultura

Isolamento e identificação

Meios utilizados

 Ágar Sabouraud (com antibiótico e/ou

cicloheximida)

 Ágar Sabouraud c/ infusão de cérebro e coração

(SABHI)

 Ágar infusão de cérebro e coração (BHI)

 CHROMagar: leveduras
IV. Identificação

Macroscopia
Microscopia
Testes fisiológicos
Identificação de fungos
Exame filamentosos
macroscópico:
* - algodonosa
Textura: - velutina
- granular ou pulverulenta
- glabrosa Combinação
* - plana ou destes aspectos:
Topogragia: lisa tentativa
- rugosa diagnóstica
-
umbelicada
* Cor
- verrucosa
Exame microscópico

Diferenças morfológicas das estruturas de

reprodução

 Exame microscópico direto

- colônia: colocado entre lâmina e lamínula com

azul de lactofenol

* vantagem: estudo imediato das estruturas

reprodutivas

* desvantagem: desorganização das estruturas


Microcultivo (cultivo em lâmina)

- inocular fragmento de cultura em meio

previamente depositado sobre a lâmina

* vantagem: manutenção da integridade das

estruturas fúngicas

* desvantagem: demora no diagnóstico

- Observar a periferia do material com azul de

lactofenol
Dimorfismo

 Crescimento TA: forma filamentosa

 Crescimento à 37o C : forma leveduriforme

Testes fisiológicos

Teste urease: T. mentagrophytes + / T. rubrum -


Identificação de leveduras

Exame macroscópico: textura, topografia, coloração


e bordas

Exame microscópico:

- visualização leveduras - cápsulas

- blastoconídios -

clamidoconídios

- pseudohifas - tubo

germinativo
clamidoconídios

tubo germinativo
cápsula
Identificação de leveduras

Assimilação e fermentação de
carboidratos
Teste urease
Sistemas comerciais : API 20C

Auxanograma
Cultura

Exame direto
microcultivo
OBRIGADA!