Anda di halaman 1dari 15

IBEMD – Instituto Brasileiro de Educação Musical à

Distância

DINÂMICA, AGÓGICA, MATIZES E


EXPRESSÃO MUSICAL

Carlos Antonio Fragoso Guimarães


DINÂMICA

Dinâmica, em música, tem o mesmo sentido da


palavra grega Dynamus (força): significa o grau de
“força”, ou intensidade, aplicada a uma nota ou trecho
musical para que soem de modo mais suave ou mais
forte, de acordo com as indicações do compositor.

Portanto, a Dinâmica musical refere-se processo de


mudança de intensidade na execução de notas ou
trechos musicais no decorrer da peça, dando maior
expresividade à música.
SINAIS DE DINÂMICA
 ppp molto pianissimo (muitíssimo suave)
 pp pianissimo (suavíssimo)

 p piano (suave)

 mp mezzo-piano

 mf mezzo-forte

 f forte

 ff fortissimo

 fff molto fortissimo


SINAIS DE VARIAÇÃO DINÂMICA

Crescendo gradualmente o volume ou


intensidade:

Diminuindo gradualmente o volume ou


intensidade:

Acentuação súbita da nota marcada


(sforzato):
ANDAMENTO, AGÓGICA OU CINÉTICA MUSICAL

Andamento ou Cinética Musical (do grego kine = movimento),


também chamada de agógica, é o estudo da velocidade com que
uma peça deve ser executada.

O termo agógica vem do verbo grego ágo que significa conduzir,


andar, levar. O termo foi criado pelo musicólogo alemão Karl
Wilhelm Julius Hugo Riemann(1849-1919), em 1884, para designar
as flutuações de tempo introduzidas na execução de
uma composição musical, com o fim de deixar uma margem de
expressão ao intérprete.

O rubato é um termo específico para o afrouxamento do tempo, que


deixa certa margem de liberdade para “quebrar” o andamento de
um determinado trecho musical, mas que deve ser usado com
cautela.
INDICAÇÕES DE ANDAMENTO
Os compositores utilizam termos técnicos em italiano para indicar o
andamento, que são escritos no início e ao longo de uma partitura . Os mais
conhecidos, do mais lento para o mais rápido, são:

Gravissimo: Menos de 40 batidas por minuto (bpm). Extremamente lento.


Grave: de 40 a 48 bpm. Muito lento; grave; sério; demasiadamente vagaroso;
Largo: de 48 a 58 bpm. Lento, muito vagaroso;
Larghetto: de 59 a 65 bpm. Um pouco mais rápido que o largo
Adagio: de 66 a 72 bpm. Devagar; calmo; lentamente
Andante: de 73 a 80 bpm. Em passo tranquilo; andando
Andantino: de 80 a 95 bpm. Um pouco mais rápido que o andante
Moderato: de 96 a 104 bpm. Velocidade moderada; moderadamente.
Allegretto: de 105 a 120 bpm. Mais rápido que o moderato e mais lento
que allegro
Allegro: de 121 a 140 bpm. Depressa; rápido
Vivace: de 141 a a 168 bpm. Vivo; com vivacidade;
Presto: de 169 a 180 bpm. Muito depressa; muito rápido
Prestissimo: de 181 a 208 bpm. O mais depressa possível
INDICAÇÃO DO METRÔNOMO

As marcações de tempo em bpm podem ser melhor


definidas com o auxílio de um metrônomo, um
mecanismo de relojoaria especialmente construído para
definir uma pulsação constante. Os valores associados a
cada andamento são apenas estimativas. Alguns
compositores podem definir valores diferentes. Por
exemplo, não é incomum que em uma partitura
o allegro seja definido com 120 bpm.
A indicação accelerando ou stringendo significa que um
trecho musical deve começar lento e ir aumentando
gradativamente de velocidade até ficar rápido; o
contrário disto são dados pelos termos
ritardando ou rallentando.
NUANCES DE ANDAMENTO
 A música pode também apresentar algumas
nuances no andamento, enriquecendo-se com
maior expressividade.
 Estas nuances são representadas com outras
palavras adverbiais italianas como poco; poco a
poco; piu (mais); poco piu (pouco mais); ma non
tanto (mas nem tanto); non tropo (não muito),
assai (muito), quase (quase), meno (menos),poco
meno, sempre, abbastanza (bastante), moderato
(moderado), mosso (movimentado), como, por
exemplo, na indicação "allegro ma non troppo“.
EXPRESSÃO MUSICAL
 Expressão, em música, é o conjunto de todas as
características e indicações de uma composição musical que
ajudem a inferir sentimentos, estados de alma, e que podem
variar de acordo com a interpretação.
 A expressão engloba variações de andamento (cinética
musical) e de intensidade (dinâmica musical), bem como a forma
com que as notas são tocadas individualmente (acentuação -
staccatto, tenuto legato) ou em conjunto (articulação
ou fraseado).
 Em geral, o compositor da obra musical fornece na partitura as
indicações da execução esperada, mas dois intérpretes nunca
executarão a música da mesma forma. Mesmo entre duas
execuções pelo mesmo intérprete, podem ocorrer pequenas
variações. Essas variações não são falhas; ao contrário, são
esperadas, e é a expressão que diferencia uma execução
mecânica, excessivamente precisa, de uma boa interpretação,
que consegue transmitir as emoções planejadas pelo compositor
e também as do próprio intérprete.
SINAIS DE EXPRESSÃO
 Na notação musical existe um conjunto de indicações
de expressão que, combinadas, permitem ao
intérprete conhecer a intenção do compositor ao criar
determinada peça musical. Os sinais de expressão são
bastante úteis quando se deseja conseguir a
interpretação mais próxima da concepção original.
 Geralmente, as indicações de expressão são
utilizadas junto à indicação de andamento no início da
composição, do movimento ou de uma seção, e
fornecem uma indicação genérica do clima que deve
dominar a execução. Essas indicações também podem
ocorrer isoladamente.
 Como a maior parte dos termos da notação musical,
as marcas de expressão são grafadas quase sempre
em italiano.
ORIENTAÇÃO DE EXPRESSÃO
Termo Significado Andamentos mais freqüentes
com afeto, com
Affettuoso andante, adagio, largo
sentimento
com vigor, com
Con brio ou Con Spirito allegro, moderato, andante
espírito
Cantbile cantando, lírico, leve allegro, moderato, andante
Vivace vivo (leve e rápido) allegro
majestoso (notas
Maestoso andante, adagio
bem marcadas)
doce (leve e com
Dolce moderato, andante, adagio
sentimento)
agitado (rápido e
Agitato presto, allegro, allegretto
dramático)
Animato animado presto, allegro
brusco (muito
Bruscamente allegro, presto
marcado)
ACENTUAÇÃO E ARTICULAÇÃO
Assim como na leitura de um poema temos versos que
obedecem à métrica e se dividem de acordo com a
pontuação, na música devemos unir as notas em pequenos
grupos que formam uma idéia musical completa. Esses
grupos são chamados frases, e a forma como as frases são
dispostas ao longo da música é chamada fraseado.
Em geral, na música vocal, cada frase corresponde às
frases do texto e permitem aos cantores respirar e exprimir
as idéias da letra sem interrompê-las em pontos
inadequados. Na música instrumental, embora não exista
letra, a função das frases é semelhante: permite que o
ouvinte perceba a estrutura e o encadeamento dos temas e
o desenvolvimento da peça.
O que permite distinguir as frases na música é a ligação
ou separação de cada nota em relação às notas vizinhas. O
executante pode inferir o fraseado durante o estudo da
obra, mas quando o compositor deseja transmitir com
precisão o fraseado desejado, ele pode usar marcas
de articulação ou de acentuação.
SINAIS DE ACENTUAÇÃO
 Os acentos são outra forma de se trabalhar as matizes
de dinâmica. Os acentos mais comuns encontrados
nas partituras são:
 O Marcato: nota stacada com muito vigor. É dado pelo
sinal “>” .
 O Sforzato, indicado por “^”, representa uma
acentuação aguda da nota onde é marcado.
 O Staccato: a nota é destacada, perdendo parte de seu
tempo. Geralmente é indicado por um ponto acima da
nota. O Staccato seco, ou real, é dado por uma
pequena seta apontando a nota. Também é sinal de
articulação das notas, assim como a linha de Legato.
 Tenuto: indica que a nota deve soar o seu tempo real,
sendo levemente acentuada. É indicado por uma “-”
acima da nota.
QUIÁLTERAS
Quiálteras são grupos de figuras de tempo que aparecem
em número maior ou menor do que o esperado pelo padrão
do compasso, mas o efeito musical supera essa mera
interpretação teórica.
As quiálteras permitem maior fluência e variação dentro
da métrica do ritmo, cujo efeito é o de uma “quebra” ou
variação, permitindo em determinado tempo de um
compasso simples que ele soe como se fosse composto ou, ao
contrário, diminuindo o tempo de uma pulsação de um
compasso composto, como se ele fosse simples (ou mesmo
em um compasso simples, causando um efeito de retardo).
Isso ajuda a dar uma sensação mais natural e menos
matemática a uma peça ou trecho de uma peça musical.
As quiálteras, portanto, podem ser aumentativas, se o
número de notas é maior que o da subdivisão padrão, ou
diminutivas, se as figuras são em número menor que o
esperado pela subdivisão normal do compasso. São
utilizadas como um artifício para dar mais fluidez ou
diferenciação à peça musical, em seu sentido rítmico.
BIBLIOGRAFIA
 Enciclopedia Delta- Larousse (1967). Editora
Delta, Rio de Janeiro.
 Conteúdo das aulas 68 a 71 do Curso de Teoria
Musical do IBEMD.
 Wikipedia.