Anda di halaman 1dari 37

Técnica Asséptica

Universidade Federal de Campina Grande


UFCG
Prof. Rivaldo Fernandes Filho
Introdução

• Segunda metade do século XIX – novas


técnicas e evolução de conceitos
revolucionários
• Bases da moderna cirurgia
• Pilar fundamental – Princípios de assepsia e
anti-sepsia
Introdução
• Assepsia – Conjunto de procedimentos utilizados
com o objetivo de manter o doente, o campo
operatório e o ambiente cirúrgico livre de
microorganismos
• Esterilização – total eliminação de todas as formas
de vida. Físico ou químico
• Anti-sepsia – inibir reprodução ou eliminar germes
de uma superfície animada. Químico
• Desinfecção – Eliminação de todos os germes, menos
os esporos bacterianos de superfícies inanimadas.
Físico ou Químico
Introdução
• Descontaminação – processo pelo qual se reduz o
número de germes de um determinado local. Geral
• Limpeza – Eliminação de material estranho visível
em um determinado elemento
• Germicida – Substância química que destrói germes.
Animada ou inanimada
– Desinfetantes - germicidas para inanimados
– Anti-sépticos – germicidas para animados
Bacteriologia da pele
• Ductos sudoríparos – livre de germes
• Ductos sebáceos – material protéico, detritos
celulares e germes
• Distribuição não uniforme
• Flora Permanente – Estafilococos coagulase-
negativos e difteróides. Difícil
descontaminação
• Flora transitória - colonização temporária,
dependente do ambiente, fácil
descontaminação
Classificação dos Intrumentos

• Spaulding – 1968

– Artigos críticos - esterilização


– Artigos semicríricos – desinfecção ou esterilização
– Artigos não-críticos - limpeza
Cuidados com o doente

• Banho na véspera (Goffi)


• Trocar a roupa pessoal e a do leito
• Tricotomia – pouco antes do ato cirúrgico
• Lâminas de barbear – 5,6%
• Agente depilatório – 0,6% (não remoção)
• Introdução na sala de cirurgia sem lençóis e
cobertores da enfermaria
Cuidados com o doente
• Taxa de infecção do sítio cirúrgico x
Tricotomia

– Imediatamente antes – 3,1%


– Noite anterior – 4% (1,8% antes)
– 24 h antes – 7,1%
– Mais 24 h antes – 20%
RECOMENDAÇÕES
GERAIS!!!
tricotomia

Estritamente Não utilize Prefira


necessário lâminas tricotomizador

Menor área 2 horas


possível antes
Cuidados com a equipe
• Banho na véspera (Goffi)
• Paramentação
• Lavagem das mãos
– Lavagem básica
– Lavagem e anti-sepsia
– Anti-sepsia direta
• Preparo do campo operatório
– Degermação
– Anti-sepsia
Lavagem das Mãos e Anti-
Sepsia
• Procedimento antigo
• Halsted – 10 minutos
• Cruse – 3 a 5 min para a primeira operação e 2
a 3 para as seguintes
• CAC – 2 min com clorexidine ou iodo
• CDC – 5 min para a primeira e 2 min para a
seguintes
Guia CDC para Prevenção de Infecção
do Sítio Cirúrgico, edição de 1999.
✓ 1) Manter as unhas rentes e não utilizar unhas artificiais -
Recomendado IB
✓ 2) Proibir uso de anéis pulseiras, relógios e anéis - Sugerido II

✓ 3) O preparo das mãos da equipe deve ser realizado antes de se


tocar o campo e instrumentais estéreis ou a própria pele preparada
do paciente. Deve iniciar com a limpeza de cada leito subungueal;
envolver das mãos até acima do cotovelo, durar de 3 a 5 minutos
com o emprego de um anti-séptico apropriado. Após a realização as
mãos devem ser mantidas para cima, com os cotovelos flexionados
para que a água escoe para o cotovelo. A secagem deve ser
realizada com toalha estéril – Recomendado IB.
Escovação
Escovação
Paramentação
Antisépticos
• Bom anti-séptico
– Efetividade
– Baixo custo
– Segurança
• Adequados
– Álcoois
– Hexedine
– Iodofórmios
Álcoois
• Baixo custo, seguros e de rápida ação
• Bactericida não esporicida, ativo contra
bactérias, fungos, micobactérias e vírus
• Desnaturação protéica
• Isopropílico – bem mais ativo, não volátil e
barato. Poder proporcional a concentração
• Etílico – ideal entre 70 e 90%
• Baixa ação residual
Hexedine
• Gluconato de clorexidine
• Praticamente nula conta vírus e micobactérias
e Amplo espectro microbiano, com menor
atividade contra fungos e gram-negativos
• Ruptura da parede celular
• Grande atividade residual (6 h), não alérgeno e
não deixa manchas
• Aquosa a 4% ou a base de álcool
• Não afetada pela matéria orgânica
Iodofórmios
• Tóxicos e irritantes, moderado efeito residual,
início de ação lenta (2 min)
• Oxidação
• Substituição por iodo e inibindo a síntese de
ácidos nucléicos
• Ativo contra gram positivos e negativos,
micobactérias, fungos e vírus
• Aquosa, degermante e alcoólica
• Afetada pela matéria orgânica
Anti-sepsia
Anti-sepsia

Antes - Degermação
Anti-sepsia
Desinfecção
• Limpeza prévia
• Desinfetantes – esterilizantes
– Glutaraldeído
• ácido é desinfetante; ativado é esterilizante. Duração de
14 dias
• Tempo de exposição 30 min a 10 horas
• Não corrosivo
• Usado em materiais endoscópicos
Desinfecção
• Desinfetantes – esterilizantes
– Formaldeído
• Estado líquido ou gasoso
• Bactericida, tuberculicida, fungicida e virucida após 30
minutos
• Corrosivo tóxico, irritante e carcinogênico
• Utilizado em capilares do sistema dialisador e vidrarias
– Ácido paracético
• Desinfetante em 10 minutos e esterilizante em 30 min
• Esterilização de materiais termossensíveis
• Não são tóxicos
Esterilização
• Aplicado aos instrumentos críticos
• Natureza física e química
• Física
– Estufa
• Calor seco
• Oxidação e dessecação
• Limitado por ser pouco penetrante
• Distribuição irregular
Estufa
Esterilização
• Físico
– Óxido de etileno
• Artigos termossensíveis
• Alquilação das proteínas
• Inflamável e explosivo; tóxico e carcinogênico
– Vapor sob pressão
• Autoclave – Bergmann em 1888
• Temperatura, pressão, umidade e tempo –
termocoagulação e desnaturação protéica
• Economia operacional e facilidade de controle
• Indicadores de esterilização – químico ou biológico
• Químico
Autoclave