Anda di halaman 1dari 41

DISTÚRBIOS DA ESTATICA PÉLVICA

PROLAPSO GENITAL

Clarissa Queiroz
PROLAPSO GENITAL
São alterações da posição dos órgãos pélvicos

• Deslocamento parcial ou total de um órgão pélvico do seu


sítio habitual
PROLAPSO GENITAL

▪ Incidência subestimada
▪ 30% das mulheres na pós menopausa
▪ 15% dos casos precisam de tratamento
cirúrgico
▪ Risco estimado de 30% de ser submetida
nova cirurgia por recorrência do prolapso
genital

Swift et al, 2005


PROLAPSO GENITAL

A integridade da função e localização dos orgãos


pélvicos depende da interação complexa entre os
músculos do assoalho pélvico, fáscias de tecido
conjuntivo e a vagina.

MECANISMOS DE SUSTENTAÇÃO E SUSPENSÃO

Mantém a estática pélvica


APARELHO DE SUSPENSÃO

• Localizado entre o assoalho pélvico e o peritônio


pariental
• Formado por tecido conjuntivo elástico e musculatura
lisa que se distribuem como aros ao redor do colo uterino
e parte superior da vagina.
• Lig pubovesicouterinos
• Paramétrios laterais
• Lig uterosacros
APARELHO DE SUSTENTAÇÃO
Diafragma Pélvico
APARELHO DE SUSTENTAÇÃO
Diafragma Urogenital
APARELHO DE SUSTENTAÇÃO
Fáscia Endopélvica

• Liga os órgãos pélvicos


(útero/vagina)

• Recobre útero/vagina/bexiga / reto


(visceral)
PROLAPSO GENITAL

FATORES DE RISCO
Gestação
Parto vaginal
Menopausa
Pressão abdominal aumentada
Traumatismos do assoalho pélvico
Fatores genéticos
Histerectomia
PROLAPSO GENITAL
CLASSIFICAÇÃO

SISTEMA BADEN -WALKER

Grau 0 Posição normal

Grau 1 Deiscência de metade em direção ao hímen

Grau 2 Deiscência até o hímen

Grau 3 Deiscência na qual metade atravessa o hímen

Grau 4 Deiscência máxima possível


PROLAPSO GENITAL
Parede Posterior
Parede Anterior
PROLAPSO GENITAL
CLASSIFICAÇÃO – (POP-Q)
QUANTIFCAÇÃO DE PROLAPSO DE ÓRGÃO PÉLVICO
Aa Ba C cérvice ou
cupula
parede anterior parede anterior

gh Pb tvl
hiato corpo perineal comprimento
genital vaginal
total

Ap Bp D
parede fórnice
parede posterior
posterior posterior
(Douglas)
PROLAPSO GENITAL
• O ginecologista fez a seguinte anotação:
Aa +3, Ba +5, C -8, D -10, Ap +2, Bp+2
• O ginecologista fez a seguinte anotação:
Aa +3, Ba +5, C -8, D -10, Ap +2, Bp+2
• O ginecologista fez a seguinte anotação:
Aa +3, Ba +5, C -8, D -10, Ap +2, Bp+2

+3 +5

+2 +2
• O ginecologista fez a seguinte anotação:
Aa +3, Ba +5, C -8, D -10, Ap +2, Bp+2

Ausência de
prolapso

+3 +5

+2 +2
• O ginecologista fez a seguinte anotação:
Aa +3, Ba +5, C -8, D -10, Ap +2, Bp+2

Ausência de
prolapso

+3 +5

Prolapso de parede vaginal


anterior ACENTUADO e
prolapso de parede posterior

+2 +2
PROLAPSO GENITAL
QUADRO CLÍNICO

SINTOMAS ASSOCIADOS A PROLAPSO DE


ÓRGÃOS PÉLVICOS
SINTOMAS DE ABAULAMENTO
SINTOMAS URINÁRIOS
SINTOMAS GASTROINTESTINAIS
DISFUNÇÃO SEXUAL
DOR PÉLVICA E LOMBAR
MULHERES ASSINTOMÁTICAS
PROLAPSO GENITAL
DIAGNÓSTICO

▪ Anamnese
▪ Exame ginecológico
▪ inspeção estática e dinâmica
▪ exame vaginal bimanual
▪ tração do colo uterino
▪ alongamento hipertrófico do colo
uterino
PROLAPSO GENITAL

Cistocele de Distensão Cistocele de Deslocamento


(LINHA MÉDIA) (PARAVAGINAL)
(perda da sustentação mais lateral que central)
PROLAPSO GENITAL
Enterocele
Retocele
PROLAPSO GENITAL
Prolapso Uterino
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO PROFILÁTICO

▪ Evitar os fatores predisponentes


▪ obesidade
▪ hipoestrogenismo
▪ atividade profissional
▪ obstipação crônica

▪ Adequada assistência ao parto


▪ Exercícios perineais / correção das lesões
perineais
PROLAPSO GENITAL

TRATAMENTO

EXPECTANTE CLÍNICO CIRÚRGICO

• VIAS DE ACESSO
• • PESSÁRIO
• TRATAR IUE
ASSINTOMÁTICA
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CLÍNICO

PESSÁRIOS
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CIRÚRGICO

PAREDE VAGINAL ANTERIOR

Colporrafia tradicional= tx sucesso 40 % Arco


tendineo
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CIRÚRGICO

PAREDE VAGINAL POSTERIOR

Colporrafia tradicional= baixa taxa de recidiva


Perineorrafia sempre ?
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CIRÚRGICO

ÁPICE VAGINAL
PROLAPSO UTERINO

Histerectomia ou manutenção do útero no momento da correção do prolapso ?


HISTERECTOMIA VAGINAL
PROLAPSO GENITAL
Complicações
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CIRÚRGICO

ÁPICE VAGINAL
PROLAPSO DE CÚPULA VAGINAL

▪ 0,1 a 3,4% das histerectomias


▪ Mais frequente pós-histerectomia vaginal
▪ Etiopatogenia
▪ déficit do colágeno
▪ hipoestrogenismo
PROLAPSO GENITAL
TRATAMENTO CIRÚRGICO

ÁPICE VAGINAL
PROLAPSO DE CÚPULA VAGINAL

• Sacrocolpopexia Abdominal- tradicional/ VDL


• Fixação do ligamento sacroespinhoso
• Cirurgia McCall- suspensão da cúpula com lig.
Uterossacros
• Telas de Polipropileno
Colpossacrofixação
Fixação cúpula no sacro espinhoso
Culdoplastia McCall
PROLAPSO GENITAL
Tratamento Cirúrgico Obliterativo

Colpocleise
PROLAPSO GENITAL
Tratamento Cirúrgico Obliterativo

Colpocleise parcial de Le Fort


Telas
Up hold Boston

Prolift