Anda di halaman 1dari 12

GESTALTISMO

“A resposta certa, não importa


nada. O essencial é que as
perguntas estejam certas”.
Mário Quintana
 Sec XIX
 A experiência psicológica deveria ser analisada
a partir de sua relação com o mundo físico,
excluídas as características de sentido, valor ou
ordem.
 Relações mecânicas, diferentes do que é
experimentado
 Sensação como substrato de toda e qualquer
experiência psicológica – evento fisiológico
provocado por estímulo físico
 O organismo fisiológico é vínculo entre o que é
percebido e o dado objetivo.
 Início do Sec. XX – Brentano afirmava a
distinção entre os atos e os conteúdos da
experiência psicológica. Os conteúdos seriam
físicos e não psíquicos. Portanto, a Psicologia
deveria investigar, não os conteúdos e
representações, mas o ato de representar.
 A noção de estrutura começa a se desenhar
como chave para o estudo da experiência,
mudando o foco das pesquisas, da sensação
para a importância das relações entre as
sensações.
 Von Ehrenfels – Demonstrou o limite da
noção de sensação e atribui os resultados
encontrados em sua pesquisa com a
música às “qualidades estruturais”, que
dizem respeito às relações entre os
elementos e não aos elementos em si. As
qualidades estruturais não afetam os
elementos sensoriais que lhe servem de
apoio.
 Escola de Berlim
 Wertheimer, Koffka e Kohler
 Recusa radical em aceitar a sensação como
fundamento da experiência psicológica
 Referência da investigação: o que aparece tal e
qual aparece na experiência do sujeito ingênuo
 A tarefa da Psicologia é dar conta da percepção
tal como é vivenciada por cada um de nós.
 Relações entre parte e todo
 Psicofísica como base explicativa para os laços
de sentido entre o todo e as partes
 Pesquisa sobre a percepção do
movimento – expressa relações de
sentido e pertinência, relacionando
sensações – aspecto significativo da
experiência produzido pela atividade
intelectual.
 Conexões entre
 FENOMENOLOGIA

 Husserl (1859-1938) buscou realizar uma


profunda crítica da ciência positivista e da
razão objetiva vigentes em sua época.
 Para ele era necessário construir um novo
método para o conhecimento, que deveria
adotar uma perspectiva fenomenológica.
 A Fenomenologia seria então um método
para conhecer a essência das coisas e da
própria consciência.
 Husserl critica a perspectiva das ciências positivas
pois para estas os objetos são considerados como
independentes do observador.
 Defende que os objetos se apresentam enquanto
fenômenos para uma consciência, ou seja, a
fenomenologia procura enfatizar que o objeto se
constitui enquanto objeto a partir da sua relação
com uma consciência.
 Dessa forma o objeto não é independente do sujeito
que o conhece e nem o sujeito é independente dos
objetos que conhece.
 Para Husserl a consciência não é um
depósito de lembranças ou de imagens
dos objetos do mundo.
 Ela não é passiva, como se recebesse
simplesmente as impressões do mundo e
das coisas que afetaram nossos sentidos.
 A consciência é uma atividade direcionada
às coisas, ou seja, uma intencionalidade
que dá sentido às coisas.
 Leis da Gestalt
 Lewin - A teoria do campo psicológicoafirma que as
variações individuais do comportamento humano
com relação à norma são condicionadas pela
tensão entre as percepções que o indivíduo tem de
si mesmo e pelo ambiente psicológico em que se
insere, o espaço vital, onde abriu novos caminhos
para o estudo dos grupos humanos. Dedicou-se às
áreas de processos sociais, motivação e
personalidade, aplicou os princípios da psicologia
da Gestalt. Lewin desenvolveu a pesquisa-ação
(Action-Research), tentando com ela dar conta de
dois problemas levantados pela sociedade em sua
época: os problemas sociais e a necessidade de
pesquisa. Fez isso, pois nem sempre a pesquisa
social pode ser levada para os laboratórios.