Anda di halaman 1dari 37

Ciência dos Materiais de

Construção Civil

AULA 01 – Estrutura Atômica


Prof.ª Eng.ª Mara Guerreiro
Estrutura Atômica
• Por quê o carbono, na forma de diamante, é um dos materiais mais
duros conhecidos até hoje, mas na forma de grafite é muito mole e
pode ser usado como lubrificante sólido?

A diferença está na maneira como os átomos estão ligados.


O Diamante é mais denso e duro.
2
Estrutura Atômica
• A Grafita (grafite) e o diamante são minerais formados a partir do mesmo
elemento químico, o Carbono puro, e é a base da formação do Diamante e do
Grafite.
• O diamante é formado através de altas temperaturas e pressão, petrificação do
magma.
• O Carbono puro é um elemento químico que está presente em todos os seres
vivos.
• A diferença entre o Diamante e o Grafite está na estrutura, o diamante é
resultante de uma ligação muito forte entre os átomos de Carbono fazendo dele
um material muito duro, enquanto o Grafite é resultado de uma rede frouxa de
átomos de Carbono, tornando-o mais maleável.

3
Estrutura Atômica
• A composição química e a estrutura atômica geram as propriedades e
comportamento dos materiais.
• Cientistas e Engenheiros que estudam e desenvolvem materiais
devem compreender sua estrutura atômica
• Macroestrutura: Estrutura do material em nível macroscópico
• Características:
• Porosidade
• Camadas superficiais Macroestrutura do concreto

4
Estrutura Atômica
• Microestrutura: É a estrutura do material numa escala de
comprimento de 10 a 1.000 nm (nanômetros).
• Características:
• Contorno dos grãos
• Distribuição dos grãos

5
Estrutura Atômica
• Nanoestrutura: É a estrutura do material numa escala de
comprimento de 1 a 100 nm.
• Características:
• Agregados atômicos

6
Estrutura Atômica
• Arranjos atômicos de curto e longo alcance:
• Constituem a forma como os átomos se agrupam para formar um
material.
• Estruturas:
• Moleculares: Agrupamento de átomos
• Cristalinas
• Amorfas

7
Estruturas Atômicas
• Estrutura Molecular: Átomos fortemente ligados entre si formando as
moléculas e essas se ligam por meio de ligações secundárias ( Van der
Waals).
• Exemplos: Gases: O2, N2, CO2
• Líquidos: H2O, HNO3 (ácido nítrico)
• Polímeros (macromoléculas)
• Materiais Betuminosos

8
Estruturas Atômicas
• Estrutura Amorfa:
• Material amorfo ou substância amorfa é a designação dada
à estrutura que não têm ordenação espacial a longa distância (em
termos atômicos), como os sólidos regulares. É geralmente aceito
como o oposto de estrutura cristalina. As substâncias amorfas não
possuem estrutura atômica definida.

9
Estrutura Atômica
• Estrutura Cristalina:
• Caracterizada quando existe uma organização na disposição espacial
dos átomos que constitui determinado arranjo atômico.
• A estrutura cristalina de um sólido é a designação dada ao conjunto
de propriedades que resultam da forma como estão espacialmente
ordenados os átomos ou moléculas que o constituem.

10
Estrutura Atômica
• Propriedades dos materiais sólidos:
– dependem do arranjo geométrico dos átomos;
– dependem das interações que existem entre os átomos ou moléculas
que constituem o sólido.
• Em materiais sólidos:
– os átomos são mantidos por ligações.
• Ligações:
– propiciam resistência;
– propiciam propriedades elétricas e térmicas aos materiais.

11
Estrutura Atômica
• Átomo: Unidade básica da estrutura interna de qualquer material.
• Composição:
- Núcleo muito pequeno, contendo prótons e nêutrons;
Elétrons orbitando em torno do núcleo.
Elétrons e prótons são carregados eletricamente, enquanto nêutrons são
neutros:
• Elétrons carregados negativamente;
• Prótons carregados positivamente
• Carga elétrica: 1,6 X 10-19 C.
• Prótons e nêutrons possuem aproximadamente a mesma massa: 1,67 X 10-
27 kg
• Elétrons possuem massa muito menor:9,11 X 10-31 kg

12
Estrutura Atômica
• Elemento Químico:
• Caracterizado pelo número de prótons presentes no núcleo,
denominado número atômico (Z);
– Átomo eletricamente neutro: Número de elétrons igual ao número de
prótons;
• Massa Atômica (A): Soma do número de prótons e número de
nêutrons; A = Z + N
• Especificada em termos de u.m.a ou massa por mol do material:
• 1 mol de material 6,02 X 1023 átomos

13
Estrutura Atômica – Tabela Periódica

14
Estrutura Atômica
• Classificação Periódica:
• Grupos:
– Colunas que reúnem átomos de características químicas e eletrônicas
semelhantes;
– Mais à esquerda (metais): Cedem elétrons mais externos.
Mais à direita (não-metais): Recebem elétrons.

15
Estrutura Atômica
• A periodicidade dos elementos baseia-se na ordem crescente dos
seus números atômicos, baseada no fato de que muitas propriedades
físicas e químicas dos elementos são funções periódicas de seus
números atômicos.
• Na tabela periódica existem 7 linhas horizontais ( 7 períodos) e 18
colunas.
• Os períodos (linhas) obedecem ao critério das quantidades de
camadas quânticas principais que o átomo de determinado elemento
possui.
• Exemplo: H e He tem apenas uma camada quântica principal (K), por
isso pertencem ao primeiro período.

16
Estrutura Atômica
• As colunas agrupam os elementos químicos cujas as propriedades
químicas são bastantes semelhantes entre si.
• Na tabela periódica existe a distinção entre os metais, não metais e os
semi-metais.
• Conceitualmente: Elemento químico é o conjunto de todos os
átomos com os mesmos números de prótons, ou seja, mesmo
número atômico. Aqui será tratado elemento químico e átomo com o
mesmo significado.

17
Estrutura Atômica
• Elétrons em Átomos
• Os elétrons que acompanham um átomo estão sujeitos a muitas
mudanças de comportamento devido às características vibratórias de
seu movimento ao redor do núcleo atômico.
• Átomos individuais:
• Elétrons tem estados de energia específicos: órbitas;
• Fenômenos não podem ser explicados em termos da mecânica
clássica;
• Comportamento de elétrons em átomos ou sólidos cristalinos é
explicado pela mecânica quântica;
• Modelo mais simples: Bohr.

18
Estrutura Atômica
• Modelo de Bohr
• Elétrons movem-se ao redor do núcleo em órbitas discretas;
• A posição de um elétron é definida em termos de sua órbita;
• Os níveis de energia dos elétrons são quantizados:
- São permitidos aos elétrons possuírem somente valores específicos
de energia:
• Eles podem mudar sua energia, saltando para um nível de energia
mais alto com absorção de energia, ou para um nível mais baixo
emitindo energia.
• Estes valores de energia são conhecidos como níveis de energia ou
estados.
19
Estrutura Atômica

MODELO DE BOHR

20
Estrutura Atômica
• Números Quânticos:
• Quatro parâmetros que caracterizam um elétron presente num
átomo:
• Número quântico principal n:
• Indica o número de camadas:
• Camadas também são representadas por letras K, L, M, N, O , P, Q
• Número de sub-camadas, l:
• São representadas por letras s, p, d, f;
• São restritas ao número quântico principal.

21
Estrutura Atômica
• Número de estados de energia, ml:
• Representa o número de estados de energia em cada subcamada:
• camada s, único estado;
• camada p, três estados;
• camada d, cinco estados.
• camada f, sete estados
– Spin do elétron, ms:
• Representa o momento de spin do elétron;
• » Assume os valores + ½ ( spin orientado para cima) e –½ (spin
orientado para baixo).

22
Estrutura Atômica

23
Estrutura Atômica

24
Estrutura Atômica
• Configurações Eletrônicas:
• Estados eletrônicos:
- Valores de energia permitidos para os elétrons
- Maneira pela qual são preenchidos:
Princípio de exclusão de Pauli: Não é permitido a dois elétrons num átomo
ter os quatro números quânticos iguais.
• Estado fundamental:
» Todos os elétrons ocupam os estados de energia mais baixos
• Estrutura de um átomo:
» Maneira como os estados são ocupados.
• Elétrons de valência:
» Aqueles que ocupam a camada mais externa preenchida.

25
Estrutura Atômica
• Camada de Valência: Está relacionada com a habilidade do átomo
para entrar em combinação química com outros elementos,
determinada pelo número de elétrons na camada mais externa, em
especial nos subníveis s, p,
• A camada mais externa é chamada de valência.
• Exemplo de Configuração Eletrônica:
• Oxigênio;
• Símbolo: O, Número Atômico: 8
• Conf. Eletrônica: 1s2 2s2 2p 4

26
Estrutura Atômica
• Forças e Energia de Ligação
• Quando dois átomos se aproximam, eles exercem uma força um no outro:
• Dois átomos distantes a força de interação é praticamente nula:

Diagrama que descreve o mecanismo básico da lei de Coulomb.


As cargas iguais se repelem e as cargas opostas se atraem.

27
Estrutura Atômica

• A medida que se aproximam, cada átomo exerce uma força sobre o


outro:

ATRATIVA

REPULSIVA

28
Estrutura Atômica
• Ligações Químicas:
• Para compreendermos muitas das propriedades de materiais, é
preciso conhecermos a natureza das forças que mantém os átomos
unidos.
• Atrações interatômicas: causadas pela estrutura eletrônica dos
átomos;
• Forças de Ligações:
• Longas distâncias: Interações são desprezíveis
• Curtas distâncias: Cada um exerce uma força sobre o outro, podendo
ser atrativas ou repulsivas, dependendo da ligação particular que
existe entre os átomos.
29
Estrutura Atômica
• Ligação Iônica
- Ligação inter- atômica mais fácil de ser descrita e visualizada;
- Atração mútua entre cargas positivas e negativas;
– Sempre encontrada em compostos de um elemento metálico e outro
não metálico.
Metálico: cede elétrons (cátion)
Não metálico: recebe elétrons (ânion)

Cátion é muito menor que o ânion

30
Estrutura Atômica

Para o cloreto de sódio, tanto o cátion Na + quanto o ânion Cl- ficam com os seus orbitais externos completos.
Atração Coulombiana; Ions positivos e negativos, em virtude de suas cargas elétricas se atraírem.

31
Estrutura Atômica
• Ligações Covalentes:
• Neste tipo de ligação, os átomos compartilham elétrons. Dois átomos
que estão covalentemente ligados irão contribuir com pelo menos um
elétron para a ligação e os elétrons compartilhados, serão
considerados pertencentes aos dois átomos.

32
Estrutura Atômica
• Ligações Metálicas
• Encontrada em metais ou ligas;
• Materiais Metálicos:
- Um, dois ou três elétrons de valência;
- Não são ligados, mas livres para circular
pelo material;
- Formam um “mar” de elétrons livres;

33
Estrutura Atômica
• Ligações de Van der Waals:
- São ligações mais fracas que as primeiras;
– São ligações encontradas em gases inertes;
– São ligações entre moléculas que são ligadas covalentemente;
– Dão origem a dipolos moleculares;
- Pontes de Hidrogênio

Moléculas: Pode ser definida como um grupo de átomos que são


ligados por ligações primárias fortes, mas cujas ligações a outros grupos
simulares são fracas.

34
Estrutura Atômica
- Ocorrem atrações entre dipolos gerados pela assimetria de cargas.
– O mecanismo dessas ligações é similar ao das ligações iônicas, porém
não existem elétrons transferidos.

35
Estrutura Atômica

36
Estrutura Atômica

ATÉ A PRÓXIMA AULA !!!!!!!!

37