Anda di halaman 1dari 70

m m 


m
m  m
 
m m

m    

m m
V ÿ  
  

´Conceituados especialistas americanos e


europeus vêm mostrando que sem a Santa
Igreja a civilização europeia, berço da
Civilização Ocidental e Cristã, não teria
visto a luz. E apresentam a gênese, o
desenvolvimento, o esplendor e a glória da
Civilização Cristãµ. (Woods)
r omas E. Woods, Historiador
norte-americano, P .D. em Harvard

[ 
     

    
 



Paul Jo nson , istoriador britânico,


autor de mais de 40 livros.

  !


"#$

 #%%#!#!#&
###%#$
r  
cm dos mais respeitados sociólogos da
religião, Rodney StarK, professor da
cniversidade de Was ington por 32
anos.

'(#&#)%*
 #!%!+!$,

#-#-.
!!/!#/(#
# "%#
!+!#$

-#0##)!!%##
%*!1%#*  2*/#-"#
!)!3%#!#(##
!%,4#&!
$*)"5!#6$,
Ê 
 -#!+*
%#

m nossa época tem muito mais


influência da Idade Média cristã do
que nós imaginamos.
7%8/
‘        
ù as escolas, nas universidades e na mídia.
ù Visão deturpada, negativa, forte
propaganda laicista contra a Igreja Católica.
ù Como instituição perversa, corrupta,
gananciosa.
ù m Igreja Católica como inimiga da Ciência,
do Progresso e da Razão.
ù ms riquezas da Igreja deveriam ser
distribuídas para os pobres.
ù › dito aos jovens que a istória da Igreja é
uma istória de ignorância, repressão,
estagnação, obscurantismo...
ù Propaganda para desmoralizar a Igreja,
fazendo parecer ridícula, retrógrada...
ù rornou-se politicamente correto atacar a
Igreja.
ù E as pessoas acreditam, muitos abandonam a
Igreja, outros passam a odiá-la.
   Ê   
‘      ÿ 

ù os 300 anos de ´caça às bruxasµ, a Igreja


queimou na fogueira a quantidade
impressionante de 5 mil es de mul eresµ
ù mutor de: ´O Código da Vinciµ e ´mnjos e
Demôniosµ, best-sellers anticatólicos,
mentirosos. Visão da Igreja como corrupta,
perversa, inimiga da Ciência, que inventou
a divindade de Cristo.
[ ÿ       Ê    !!"

ù mteu, comunista, ódio contra a Igreja.


ù o livro ´CmIMµ, usa estes termos:
ù ´Insolência reacionária da Igrejaµ
ù m Igreja só busca poder,
controlar os corposµ
ù ´...cinismo intelectual de Bento XVIµ
ù ´mo longo da História as religies fizeram mais
mal do que bemµ
ë #

ù Saramago sempre bajulou ditadores sanguinários como


Stálin. Quem é o cínico? OBS. Como fez Picasso.
ù ›... ms universidades, os ospitais, a caridade, as
catedrais, as artes, o progresso das ciências... São um
grande mal.
ù Onde estão a fúria de apoleão, o azismo e o
Comunismo que procuraram destruir a Igreja?
ù m cniversidade de Coimbra, sem a qual o sen or não
teria gan o o prêmio obel, foi uma invenção da
´reacionáriaµ Igreja de Cristo.
§$%%&  
ùEsta mentalidade Laicista, materialista e
anticatólica teve início á uns duzentos anos,
com o Iluminismo.
ùmnticlericais e inimigos da Igreja, tendo
Voltaire a frente...fantasiaram por exemplo os
orrores da Inquisição.
 
'Êë
 ë(
 

m Igreja parasitária? Quem cuidava das


escolas, ospitais, doentes, da caridade com os
pobres, doentes, órfãos e viúvas...o Estado?
m Liberdade Guiando o Povo

ù Continuou nas correntes liberais do Século XIX e


c egou até nossos dias, especialmente nas
universidades, tentando transformar a Igreja na
´megera da istóriaµ.
[')Ê *%*ÿ
ùLaicismo, materialismo, racionalismo...
ùDesprendimentos das estruturas eclesiásticas.
ùDesprezo da Fé, da Religião e da Igreja.
ùLaicização do Estado, do pensar e do agir.
ùCientificismo- orgul osos das ciências...
ùMarx- a consciência umana é produto da
base material. ´m religião é o ópio do povoµ
ùFreud- a ação umana é devida a certos
instintos.
± ? +‘ ,
ù Hobsbawn, no livro m ERm DO CmPIrmL, afirmou
que a religião estava derrotada, mas recon eceu a
religiosidade de certas pessoas cultas.
ù mugusto Comte, Filósofo e cientista,
ù criou a ´Religião da Humanidadeµ.
ù m Igreja estava errada, o secularismo é
que era a raiz do progresso.
ù O materialismo marxista, o relativismo (ditadura do
relativismo) e até o ateísmo inspiraram as análises das
Ciências: História, Sociologia, mntropologia, Biologia.
ù rodos estes erros foram condenados no
´SYLLmBcSµ do Papa PIO IX.
Século XX: Ditadura do relativismo,
materialismo, comunismo, ateísmo,
multiculturalismo...

ùo século XX estes ataques ecoaram das


universidades para as escolas e para a mídia em
geral, atingindo toda a sociedade.
ùProfessores universitários construíram suas
teses, escreveram seus livros e ensinaram seus
alunos segundo as categorias de análises do
marxismo materialista, desconsiderando DEcS
    

Deus está morto


‘)[

Friedric ietzc e está morto.


ùEx: Marilena C auí, filósofa,
professora da cSP, elogiada pela mídia,
maior vendedora de livros de Filosofia
para o Ensino Médio.
ùDiscípula de Spinoza (Panteísta) e
Marxista.
ù´m Igreja Católica operava pela
produção visível, direta e clara do medoµ
? [   - ./ ' 0
Volume único "1

Cerca de 30 mil es de jovens estudaram História nestes livros...


Ê  ./ ÿ ? [  
ù P. 87. ´...obres... mcreditavam que se deixassem terras,
gado, jóias ou vin edos para a Igreja, teriam um
tratamento diferenciado depois da morteµ
ù ´Deus teria criado um mundo em que os servos
deveriam trabal ar para a Igreja e para os nobresµ
ù P.88. ´Poderiam ser considerados pecadores ( ereges)
pela Igreja, corriam o risco de morrer e ir para o inferno
por terem se rebelado contra a ordem naturalµ.
ù Cruzadas força militar também para ´...esmagar as
eresias, que foram revoltas de servos famintos e
moradores pobres dos burgosµ.
ù P. 95. Critica a mentalidade medieval dominada pela
Igreja.
ù Continua criticando a IGREJm:
ù P.92 Cruzadas ...massacres,
ù ambição, gemidos...roubos, estupros,
...ignorância.
ù P. 132. reocentrismo ² sinônimo de ignorância.
ù P.137. ´a Idade Média, os omens eróicos eram
santos e morriam por sua fé. mgora, os omens
eróicos contestavam as autoridades e as tradiçes, e
morriam por suas convicçes racionaisµ.
ù P. 164. ´ Giordano Bruno morreu na fogueira
porque escreveu que o universo era infinitoµ
ùP.164. ´ O físico e astrônomo Galileu quase foi
condenado porque apoiou a reoria Heliocêntrica
de Copérnicoµ... P. 223 ´m Igreja não admitia
contestaçes...enfim, Galileu quase foi cozin ado
numa fogueira por suas ideias eréticasµ
ùP.164. Inquisição: ´Para obter confisses, avia
uma técnica toda especial: a tortura. Por exemplo,
os inquisidores esticavam o interrogado numa
roda, queimavam os pés com óleo fervente...para
punir os crimes contra a fé Católicaµ
'   ÿ %23$
 #  % '/
ùP.247 ´E quem disse que é possível mudar
o mundo? Os reis absolutistas, os nobres e
a Igreja invocavam as tradiçes ancestrais,
como se a sociedade umana e as
instituiçes fossem eternas. Os iluministas
eram ótimos críticos, acreditavam na
possibilidade do progresso...µ
    
ùGalileu morreu como bom católico, com todos
os sacramentos... O morreu queimado, não
foi torturado...
ùGalileu foi agressivo...
sem provas científicas.
ùQueria mudar a Sagrada
Escritura.
ùQuis expor suas teses
Como verdades absolutas.
ùGiordano Bruno. Mártir da Ciência?
ùm verdade é bem outra.
ùPolêmico, racionalismo
na interpretação dos
Dogmas cristãos...
ùEscreveu comédias
Obscenas...aderiu ao
Calvinismo...caiu no panteísmo...
ùC amava os adversários de asnos, porcos...
ùão retratou, foi entregue ao Estado, queimado.
%23$
ùm fé era o patrimônio daquela sociedade. O crime
contra a fé era considerado como que de lesa-majestade.
m eresia colocava em risco sociedade
ù m Heresia era um crime contra a Cristandade e a
ordem social vigente. Praticavam violências...
ùEstado e Igreja eram unidos. m sociedade pressionou a
Igreja para tomar providências...
ù´Caça às bruxasµ.Constatou-se que os tribunais
religiosos eram mais brandos do que os tribunais civis,
tiveram poucas participaçes nestes casos, o que não
aconteceu com os tribunais civis que mataram mil ares
de pessoas.
ù O Estado julgava o erege pertinaz conforme as leis
de então e os abusos eram combatidos pela Igreja.
ù os tribunais eclesiásticos foram muito mais
indulgentes e umanos que os civis, reduziu as
matanças, conteve a fúria das multides...
ù Muitos exageros, em pouquíssimos casos o processo
terminava com a condenação a morte.
ù Inquisidores, formação jurídica e valores cristãos.
ù Santos, sábios e doutores apoiaram a Inquisição.
ù muto de fé, promulgação da sentença, não execução.
ù E as Inquisiçes protestantes? en uma palavra?
† ërÿ %
ë§' [rë)r ë
‘'%%Ê%(45  '%‘rÊ
ù Foi esta civilização moderna, gerada no bojo do
Cristianismo que nos deu o ¶milagre das ciências,
a saudável economia de livre mercado, a
segurança das leis, a caridade como virtude, o
esplendor da arte e da música, uma filosofia
assentada na razão, a agricultura, a arquitetura ,
as universidades, as catedrais e muitos outros
dons que nos fazem recon ecer em nossa
civilização a mais bela e poderosa civilização da
Históriaµ. (r. Woods)
ms construçes representam a alma, a mentalidade e os valores de
uma época
%  ? 

ù›poca de ´rREVmS?µ
ùreocentrismo: ´Cidade de Deusµ. Igreja como guia
ùColaboração entre o poder civil e o poder religioso.
m igreja legitimava o poder político.
ùm razão admitia as luzes e as verdades da fé.
ùm vida era sagrada. Cada um tin a uma missão a
cumprir. m umanidade sabia para onde camin ava.
ùrempo místico, de grandes santos; de eroísmos.
ùDesenvolvimento
tecnológico na Idade
Média: ´Esta longa
Idade Média(...)criou a
cidade, a nação, o
Estado, a cniversidade,
o moin o, a máquina, a
ora e o relógio, o livro,
o garfo, o vestuário, a
pessoa, a consciência e,
finalmente, a
revolução(...)µ Le Goff-
1994
'  
ùHospitais, sanatórios, escolas para crianças
pobres, asilos, crec es, ospedarias
ùVoltaire recon eceu o trabal o das mul eres nos
ospitais.
ùMosteiros: ´Patrimônio dos pobresµ, refúgio dos
peregrinos, cuidado com os doentes...
ùm Revolução Francesa secou a fonte da caridade,
quando fec ou os mosteiros.
ùOrdens religiosas caritativas. Ex. São Lázaro...
ù 1225, França, mais de 2000 leprosários.
ù Ordens religiosas para libertar os cativos: rrinitários,
os Mercedários, que libertaram mais de seiscentos
mil cativos...ex: Cervantes.
ù m maior parte do rendimento dos monges era
aplicada na caridade... Escolas, socorros... Em
períodos de catástrofes, guerras, fome.
ù m Igreja católica foi a primeira a criar os ospitais,
com médicos, enfermeiros, remédios, e demais
procedimentos.
ù m Igreja foi quem mais fez pela caridade.
ë     
ù ´ós afogamos as crianças que nascem doentes e
anormaisµ. Mentalidade pagã, Sêneca.
ù Combateu o suicídio, as lutas de gladiadores, os
duelos, o divórcio, o infanticídio de meninas, a
poligamia, o aborto, a infidelidade conjugal...
ù Valorizou o casamento, protegeu as mul eres,
defendeu a inserção das mul eres: trabal o, estudos,
administração...
ù Reagiu contra a escravidão e protegeu os servos.
ù Contra a violência: ´rrégua de Deusµ, ´Paz de Deusµ
' 
' 
ù Ideal do guerreiro santo. Defender a Cristandade
ù Pureza, sacrifício, defesa das igrejas, dos órfãos, pobres
e viúvas...
ù Fé, coragem, caridade, generosidade, proteção.
ù Sacrifício da vida oferecido a Deus.
ù Cerimonial minucioso para ser armado cavaleiro,
longa vigília de oraçes, depois da Missa prestava
juramento perante o altar. Era então admitido na
´Ordem da Cavalariaµ.
)   
ùPoderosos centros de saber e erudição.
ùO ensino superior era ministrado por
influência da Igreja
ùasceram às sombras das catedrais e dos
mosteiros.
ù´m Igreja passou a ser a matriz de onde saiu a
universidadeµ (Daniel Rops)
ùDas 75 universidades criadas de 1100 até
1500, 47 receberam a Bula Papal de fundação.
ë%[

'?ë%‘

ùmtraíam multides de estudantes. Bolon a, em
1200, tin a dez mil estudantes.
ù´a universidade e em outras partes, nen uma
outra instituição fez mais para promover o saber
do que a Igreja Católicaµ(Woods).
ùm Igreja abriu escolas em todas as dioceses, que
foram sementes das universidades. Havia as
´pequenas escolasµ.
ùa França, no século ,XII, Havia 70 mbadias
com escolas, mais de 50 escolas episcopais, para
rapazes e moças e até ensino técnico.
?  
Os mosteiros, como espécies de
fortalezas em que a civilização se
abrigou sob a insígnia de algum
santo... m cultura da alta
inteligência conservou- se ali com a
verdade filosófica, que renasceu da
verdade filosófica, que renasceu da verdade religiosa. Sem a
inviolabilidade e o tempo disponível do claustro, os livros e
as línguas da mntiguidade não nos teriam sido transmitidos
e o elo que ligava o passado ao presente ter-se-ía rompidoµ
(Montalembert).
? 
ù Copistas. Preservaram os escritos da mntiguidade.
Centros de caridade. Ex. ´o sino dos andaril osµ.
ù Centros de produção e comércio
ù São Bento. Padroeiro principal da Europa.
ù Restauração da agricultura, drenagens...
ù Plantaçes, irrigação, contribuição variada.

[5 r ['ë‘ 
[)ë
ë
'
ù Monges: agricultura, gado, vin os, cerveja, abel as,
mineração (ferro,sal, c umbo, ferro, alumínio, mármore..),
fertilizantes, queijo, criação de Salmon, c ampagne,
propulsão de água...
ù cma fábrica em cada mosteiro,
ù Gerry Mc Donnell, da cniversidade de
Bradford, encontrou evidências perto do
Mosteiro de Rievaulx, em ort
Yorks ire, Inglaterra, de um grau de sofisticação tecnológica
que deu início às grandes máquinas da Revolução Industrial.
ù Stanley Jaki, Historiador da
ciência, prof. Física: as ideias do
Cristianismo, recon ecendo um
Deus que criou uma natureza
dotada pelo Criador de leis
permanentes, inteligentemente
padronizadas e inteligíveis, foram
fundamentais para o surgimento
da ciência moderna.
ùcm conceito de movimento inercial influenciou
os trabal os de Copérnico.
ùPadre Jean Buridan, necessidade de um impulso
inicial no movimento dos planetas, dado por Deus.
ù Escola de C artres, séc. XII: ´é pela razão que nós
somos omensµ. Rejeitava a ideia de que a
investigação científica pudesse ser uma afronta a
Deus. m natureza é distinta de Deus, operando de
acordo com leis físicas.
ù r omas Goldstein, Historiador da Ciência: a Escola
de C artres deu o impulso para o desenvolvimento
da Ciência do Ocidente.
ù unca a Igreja rejeitou a Ciência, ao contrário; ela
apenas não aceita usar as suas descobertas contra
contra a dignidade da pessoa umana.

   % 
ù Roger Bacon(1214-1294). Pai do método científico, da
ciência experimental (eclipses, lentes, óculos...)
ù icolau de Cusa(século XV). Precursor de Copérnico e
Kepler e de Galileu ( Movimentos da rerra, autoridade
das mediçes...)
ù Papa Silvestre II (999-1003). Matemático e
sábio(sistema arábico, mstrolábio...)
ù Padre icolau Steno (1638-1686). Pai da Estratigrafia.
ù Padre Leon Battista mlberti (1404-1472). Estudos de
Geometria mnalítica, Perspectiva.
?   3$
%46[
ù Bússola, as lentes dos óculos,a roda com aros, o
relógio mecânico com pesos e rodas, a pólvora, a
máquina a vapor, o can ão, a caravela, a imprensa, a
ferradura de cavalo, os moin os de água, de maré e
de vento...
ù Fabricação do álcool, de vin os, da c ampagne, de
aguardente e da cerveja.
ù Pavimentação de estradas, pontes, carrin o de mão,
vela latina e vela quadrada, leme, popularização do
mstrolábio e da bússola...
ùConstrução de canais e eclusas (Flandres),
poços artesianos (o 1º em 1126), o
desenvolvimento da sericultura, da roca, roda de
fiar, utilização do lin o, tear orizontal de
pedal...engrenagens, roda d·água, ...
ùEste avanço Científico e tecnológico estava
associado à moralidade, ao respeito à pessoa
umana e, principalmente, ao respeito a Deus.
'  % #/%  ? 
ù ewton, Kepler, Mendel, icolau Copérnico,
ù mlexandro Volta, mndré Marie mmpère, Guglielmo
Marconi, Louis Pasteur...
ù Jesuítas: Desenvolveram relógio de pêndulo,
barômetros, telescópios de reflexão, pantografia,
microscópios, campos da Física como magnetismo,
ótica e eletricidade... Observaram as faixas de Júpter,
a nebulosa de mndrômeda e os anéis de Saturno.

'#  7 #

%
 

?    


ù reorizaram sobre a circulação do sangue, a teoria da
possibilidade do vôo, o efeito da Lua nas marés e a
natureza ondulatória da luz, o mapa das estrelas do
emisfério sul, a lógica simbólica, as medidas das
vazes dos rios, introdução dos sinais mais(+) e de
menos(-)...
ù Colégios, centros de estudos, educação...
ù Descartes estudou na Colégio Jesuíta La Flec e, da
França, que considerava um dos mais avançados
centros de estudos da Europa.
ùPadre Cristóforo Clavio. Mestre mais
influente do Renascimento, Livro de Álgebra,
manuais de mritmética, Geometria e
mstronomia, participou da elaboração do
Calendário Gregoriano.
ùPadre C ristóforo Sc einer, do Colégio
Romano, descobriu as manc as solares antes
que Galileu (janeiro de 1612), fabricou o
primeiro telescópio, estudou o ol o,
publicando a obra ´Oculusµ.
ù Padre Mateo Ricci, evangelizador da C ina, trabal os
de Matemática e mstronomia, tradução para o c inês,
observaçes astronômicas na C ina, mapa da C ina,
compôs o primeiro catecismo em c inês, comprovou
os erros do calendário c inês, entendeu a Doutrina
de Confúcio...prestigiado no país.
ù ´m Cia. De Jesus foi quem deu a maior contribuição
ao estudo experimental da Física no século XVIIµ.
´rodos os importantes tratados de ótica foram
escritos pelos jesuítasµ J. L. Heibron
Direito Internacional
ù Os bispos exerceram papel de juízes no tempo dos
bárbaros. m Igreja foi a grande jurista da Idade
Média.
ù O Direito internacional teve origem com a reflexão
filosófica e teológica surgida na Espan a na época
da descoberta da mmérica.
ù Padre Francisco Vitória, ´Pai do Direito
Internacionalµ. Primeiro rratado de Direito das
açes. Base: Lei atural e Sagradas Escrituras.
Princípios universais, ex:Igualdade.
ù mssuntos: guerra, direitos dos índios, direitos
naturais, lei Divina, ... Bem antes de Locke.
ù Direito Canônico, primeiro corpo sistemático de
leis, modelo dos sistemas legais europeus.
ù ´Direito de asiloµ, ´Direito dos fracosµ, limites ao
poder político, casamento, propriedade,
procedimentos racionais de provas, substituindo os
ordálios e duelos...
ù m Igreja lutou contra os erros, proibiu o trabal o no
domingo, o castigo do perjúrio, fixou normas para
que os juízes fossem omens justos e tementes a
Deus.
%   
ù Pensadores cristãos deram grande contribuição à
ciência econômica.
ù m Igreja, buscando o reino de Deus, tudo l e foi
dado por acréscimo. Daniel Rops.
ù Visão econômica da Igreja: sem espírito de lucro,
riqueza deveria ter uma função social, ´justo preçoµ,
Mosteiros como centros de produção, contra a
´usuraµ
ù m Igreja emprestava sem juros. Mosteiros, como
´bancos agrícolasµ.
ù ´mo proibir a usura, por motivos religiosos a
Igreja prestou um assinalado serviço à sociedade
agrícola da Idade Média, pois l e poupou as
c agas das dívidas de caráter alimentar, que a
mntiguidade sofreu tão dolorosamenteµ. Daniel
Rops, citando H. Pirenne
ùSc umpeter, economista do século XX...Os
omens da Igreja estão sendo c amados
fundadores da ciência econômica, muito antes
de mdam Smit .
ù Jean Buridan (1300-1358). reoria do din eiro;
surgiu espontaneamente no mercado, comodidade
útil, meio de troca...professor da universidade de
Paris, fundador da Ciência Monetária.
ù Oresme, escritos sobre a inflação, o perigo do
desregramento governamental, sugerindo a não
interferência do governo no sistema monetário
como um todo.
ù Pierre de Jean Olivi, teoria do valor baseada na
utilidade subjetiva, interação dos compradores e
vendedores no mercado.
ù Valor subjetivo: um bem não tem o seu valor do
trabal o para produzi-lo; o trabal o gasto nele tem
o seu valor conforme os consumidores o valorizam.
ù m teoria do valor objetivo floresceu nos países
protestantes, por causa do grande valor que Calvino
deu ao trabal o. Isto influenciou mdam Smit e
Jo n Locke, o que acabou alimentando os erros de
Marx.
ù Houve grande influência dos escolásticos na
economia, o que não é dito nas universidades.
'$
ù › ora de os jovens estudantes, especialmente os católicos,
con ecerem o outro lado dessa ´Históriaµ que é mal contada
nas escolas. Hoje é l es mostrado apenas as ´sombrasµ da
vida da Igreja, mas á uma má vontade imensa que encobre
as ´luzesµ bril antes de sua História de 2000 anos. (Felipe
Áquino)
ù ´Bem mais do que o povo oje tem consciência, a Igreja
Católica moldou o tipo de civilização em que vivemos e o
tipo de pessoas que somos. Embora os livros textos típicos
das faculdades não digam isto, a Igreja Católica foi a
indispensável construtora da Civilização Ocidental. m Igreja
Católica não só eliminou os costumes repugnantes do
mundo antigo, como o infanticídio e os combates de
gladiadores, mas, depois da queda de Roma, ela restaurou e
construiu a civilizaçãoµ. [r. Woods, 2005]
Professor Faria
História Igreja mtualidades
Educação Pesquisa

www.professorfaria istoria.blogspot.com