Anda di halaman 1dari 14

D

En

For
ra

o
da
D
P

al
Es
TÉCNICO DE
Comércio

Geometria Descritiva

Pedro Pina Nº 10
rofesso : Sílvia Fonseca
Triénio 2010 / 2013
Geometria
In tro d u çã o

Neste trabalho irei falar da

geometria diferencial .
Geometria
O que é a geometria?
A geometria é o estudo do espaço e das
figuras que podem ocupá - lo .
São utilizados números e símbolos para
descrever essas mesmas formas e as
suas relações .
Geometria
A geometria diferencial nasceu da
junção do cálculo com a Geometria ,
apareceu , de certo modo , como uma
ciência aplicada , principalmente em
questões originadas pela cartografia e
pela física .
Geometria
trínseco versus extrínseco
Ao inicio e até a metade do século XIX, a geometria diferencial era
vista de uma maneira extrínseca : curvas, as superfícies eram
consideradas dentro de um espaço euclidiano maior (um plano num
espaço tridimensional, por exemplo).
Começando com o trabalho de Riemann, a maneira intrínseca de se
tratar a geometria foi desenvolvida, na qual não se pode 'sair' do
objecto geométrico (não sair do espaço de um cubo, por exemplo).
A forma intrínseca é a mais flexível, porque a relatividade do
espaço-tempo não pode ser tratada extrinsecamente .
Estas duas maneiras diferentes de tratamento podem ser conciliadas,
por exemplo a geometria extrínseca pode ser considerada como uma
estrutura adicional à intrínseca .
Filiais da
geometria
diferencial
Geometria de Riemannian
A geometria de Riemannian generaliza a geometria euclidiana

aos espaços que não são necessariamente lisos, embora se

assemelhem ao espaço euclidiano.

Vários conceitos baseados no comprimento, tal como o

comprimento do arco das curvas, área das regiões planas, e o

volume dos sólidos.


Filiais da
geometria
diferencial
Geometria pseudo - Riemannian
Geometria pseudo-Riemannian generaliza a geometria de

Riemannian ao caso em que tensor métrico não necessite ser

positivo-definitivo.

Um exemplo deste é a distribuidora de Lorentzian que é a base

matemática de Einstein, teoria geral da relatividade da

gravidade.
Filiais da
geometria
diferencial
Geometria de Finsler
Geometria de Finsler tem o distribuidor de Finsler como o objecto

principal de estudo, este é um distribuidor diferencial com a

Finsler métrico, isto é, a norma de Banach definida em cada espaço da

tangentee.

Um Finsler métrico é uma estrutura muito mais geral do que um

Riemannian métrico.

Uma estrutura de Finsler num distribuidor métrico é uma função F : TM

→ [0, ∞]
Filiais da
geometria
diferencial
Geometria do Contacto
A geometria do contacto de negócios é determina distribuidores
da dimensão impar.

ometria do complexo e do Käh


Geometria diferencial complexa é o estudo de distribuidores complexos,
distribuidores quase complexos são o real distribuidor Métrico,
dotado com o tensor de tipo (1.1), isto é, o endomorfismo do pacote do
vector chamado estrutura quase complexa, tal como J2 = − 1.
Filiais da
geometria
diferencial
Geometria do CR
Geometria do CR está no estudo da geometria intrínseca dos

limites dos domínios dentro dos distribuidores complexos.


Aplicações da
geometria
diferencial
Em física, a geometria diferencial é a língua em que Einstein criou a
teoria geral da relatividade. De acordo com a teoria, o universo é
um distribuidor liso equipado com o métrico pseudo-Riemannian, que
descreveu a curvatura do espaço-tempo.
Compreender esta curvatura é essencial para a posicionamento de
satélites na órbita terrestre. A geometria diferencial é também
indispensável no estudo de leasing gravitacional e buracos negros.
Em economia, a geometria diferencial tem aplicações ao campo de
econometria.
Em engenharia, a geometria diferencial pode ser aplicada para
resolver problemas de processamento de sinais digitais.
Em física, o uso de formulários diferenciais é útil no estudo de
electromagnetismo.
Fim