Anda di halaman 1dari 6

m   



m              


           

 m     

     


ʹ Formas ʹ foram as formas de roubar o povo no exercício da
sua profissão;
- Avental ʹ simbolicamente serve para ocultar os pecados do
Sapateiro.

      !   


 confiante ͞a     

- trocista ͞       ͟
- persistente ( ao longo de toda a cena)
- resignado ͞     

- decidido       

m  

"  

= A personagem ao entrar em cena traz consigo os símbolos próprios


de um grupo socioprofissional frequentemente acusado de roubar o
povo em ͞solas e cabedais͟.
= Verificamos que esses elementos acompanham o sapateiro durante a
sua permanência no cais.
= Verificamos, ainda, que o seu comportamento religiosos o
transforma numa personagem com representatividade mais ampla,
englobando todos aqueles que julgam ser a prática do culto externo -
missa, confissão e comunhão ʹ suficiente para a sua vivência de fé,
mesmo que vivam de expedientes desonestos.
= De salientar que o avental e as formas são elementos distintivos e
caracterizadores do seu tipo socioprofissional, para além de servirem
como ͞elementos de prova͟
= Assim não havendo modificação no seu comportamento e
representando quer os da sua classe quer os que recorrem à religião
para encobrir a desonestidade, o Sapateiro poderá ser classificado
como personagem plana e tipo social.
#$%&'()*+!

m   
m

,-

  .
|| | 

/ 0|  

| |
 


| 

| 
| |  |
| 
|  |
|
|
| 

 | 

|




 |

| 

| 

| 
 |||||

|  

|
 | 

|
m 1
" 
,
 .
= r Diabo e o Anjo acusam o Sapateiro de haver roubado
    ͟ o povo e de não viver direito, calando
͞  
. A condenação do Anjo que reafirma a
do Diabo, tira qualquer hipótese de salvação à personagem
que de imediato se apressa a chamar o barqueiro do
Inferno.
= mrítica aos preços praticados;
= Denúncia do enriquecimento de certas classes sociais à
custa do povo;
= Denúncia da prática religiosa não vivida interiormente;
= mrítica às falsas atitudes religiosas
= r carácter moralista desta cena é reforçado se verificarmos
que a condenação da personagem assenta mais na ausência
de uma vida moral em conformidade com os preceitos
religiosos do que nos roubos praticados. r autor tem como
objectivo a crítica à falsa religiosidade do Sapateiro, porque
é nas práticas religiosas que o Sapateiro busca argumentos
para a salvação. monfessar-se ouvir missa, comungar e dar
esmolas são actos religiosos que só fazem alcançar o céu
àqueles que levam uma vida honesta e não era certamente
o caso do Sapateiro.

  




= ëível de língua
= - Popular
= - gíria na utilização de
vocábulos relacionados com
a actividade
= - morrente sobretudo na fala
do Anjo
[  

m

de linguagem ʹ ͞se esta é boa


traquitana͟

de carácter ʹ ͞momo poderá isso ser,


/ confessado e comungado?͟

de situação ʹ ͞rra eu me maravilho/


haverdes por grão peguilho/ quatro
forminhas cagadas/ que podem bem
ir chantadas/ num cantinho desse
leito.͟