Anda di halaman 1dari 20

|  

  




  
  
 
  
Conceito moderno de Etnografia
= Os historiadores e lingüistas August Ludwig Schlözer e
Johan Christoph Gatterer, Universidade de Göttingen.

= Entre os anos 1771 e 1791, mais de quarenta


publicações, entre jornais e livros, apareceram
contendo os termos r 
r  

   
todos eles ligados de algum
modo àquela universidade.

= Esta disciplina era relacionada e incorporada à História


Universal (Î   å, cujo objetivo era traçar a
genealogia e as inter-relações entre os diferentes
povos.
* Aual a lógica da separação de disciplinas
como História, Sociologia e Etnografia
(Antropologiaå
* O que fundamenta a existência dessas
disciplinas como campo de saberes
autônomos
* Existe algum fundamento epistemológico
dessa separação
A Etnografia se constitui como um
͞espelho͟ do discurso histórico: conceitos
opostos e complementares
= Consciência x Inconsciência
= Escrita x Oralidade
= Temporalidade x Espacialidade
= Identidade x Alteridade

= Etnografia como ͞tradução cultural͟


°   
  
= Criação da seção de Etnografia em 1851
= >    : como construir um
saber positivo sobre os indígenas
= >    : como esse saber sobre os
indígenas pode orientar e legitimar uma ação
política sobre eles
= >      : ao se
perguntarem se os indígenas podem fazer parte
da civilização, é a própria noção de civilização,
definidora de uma identidade, que está sendo
elaborada a partir da estrutura ͞nós/eles͟.
Auestões que orientavam as primeiras investigações do
IHGB a respeito das populações indígenas

= Causas de sua extinção


= Aual era o estado de civilização dos indígenas ao
momento da descoberta do Brasil: estado de
natureza ou decadência de uma antiga civilização.
= Aual o melhor método de colonizar os indígenas
ainda existentes.
= Se a entrada de africanos prejudicou a
incorporação dos indígenas
Fonte: Januário da Cunha Barbosa. RIHGB, Tomo I, 1839.
> 
    
   
 
  !

= Reconstrução   do passado indígena:


decaídos ou um ͞eterno presente͟

= |ossibilidade de se ͞catequizar͟ a população


que ainda habitava o território nacional.
Esclarecimento do passado indígena

= Condição para a escrita da história nacional.


Aual papel atribuir aos indígena na História do
Brasil

= Condição para ter algum juízo seguro sobre as


ações adequadas a serem tomadas pelo
Estado.
 
  


= Èartius: ͞estendendo as suas investigações


além do tempo da conquista, perscrutinará a
história dos habitantes primitivos do Brasil,
história que por ora não dividida em épocas
distintas, nem oferecendo monumentos
visíveis,       

         


     ͟
r  " 
#  > $

= |olarização do debate etnográfico


= |osicionamentos políticos: catequese ou
conquista
= O passado como ͞prova͟ e ͞justificativa͟ para
a ação política
= Lutas de representação sobre conceitos, como
o de  
Tese da decadência:
= Gonçalves de Èagalhães: ͞A selvageria
completa é uma ficção, ou uma decadência e
aberração temporária do estado normal do
homem, que dela tende sempre a sair
voluntária e instintivamente, como de um
estado de enfermidade͟.
= Èais adequada à teoria cristã da criação e da
revelação.

= Os indígenas seriam igualmente capazes de


ingressar na civilização, com todos os seus
atributos: comércio, religião, governo etc.

= Homem como ser social e religioso por


natureza (т Rousseauå
Civilização/Catequização
= Restauração do modelo dos jesuítas

= Civilização como evangelização

= Tutela: uma   e uma  , pois era a este


homem civilizado que estava destinada a missão de
͞catequizar͟ e ͞recuperar͟ aqueles indivíduos decaídos.

= |rática: Aldeamentos.
Tese do estado de natureza
= Francisco Adolpho de Varnhagen
= ͞os Índios não eram donos do Brasil, nem lhes é
aplicável como selvagens o nome de Brasileiros:
não podiam civilizar-se sem a presença da força,
da qual não se abusou tanto como se assoalha; e
finalmente de modo algum podem ser eles
tomados por nossos guias no presente e no
passado em sentimentos de patriotismo ou em
representação da nacionalidade͟
Civilização como herança
= Homem não social por natureza

= Origem da sociedade: Estado (Hobbeså

= Fundamento histórico da civilização: conquista


e expansão (RomaREuropa RAméricaå
Índia Tupi e Índia Tapuia: Albert r (1610 Ͷ 1666å
|ovos sem história
= ͞De tais povos na infância não há história: ha
só etnografia. A infância da humanidade na
ordem moral, como a do individuo na ordem
física, é sempre acompanhada de pequenez e
misérias. ʹ E sirva esta prevenção para
qualquer leitor estrangeiro que por si, ou pela
infância de sua nação, pense de ensoberbar-
se, ao ler as poucas lisongeiras páginas que
vão seguir͟. Varnhagem, F. A.
Èétodos

= Arqueologia
= Gramaticalização da língua indígena
(dicionárioså
= Comparação filológica: raízes
= Comparação de costumes e mitos
Filologia
= Uma vez gramaticalizada, a linguagem
indígena podia tornar-se ͞objeto͟ de pesquisa.

= A instituição da ͞fala͟ em ͞documento͟


possibilitava ao investigador transformar a
cultura indígena em um quadro fechado e
acabado, dando-lhe uma coerência formal.

= Comparação genealógica das línguas em busca


de uma raiz comum.
= Gonçalves de Èagalhães: ͞A sua lingua é tão
suave, elegante e copiosa, que segundo a opinião
dos que a cultivaram e gramaticaram, não lhe
levam vantagem a Grega e a Latina.  (diz
Èontoya   
  
     !. E Simão de Vascocelos
exclama: em que escolas aprenderam, no meio
dos sertões tão acertadas regras de gramática,
que não falta um ponto de perfeição da praxe de
nomes, verbos, conjugações ativas e passivas
ão dão vantagem nisso as mais polidas artes dos
Gregos e Latinos͟.