Anda di halaman 1dari 38

Fatores que regulam a pressão arterial

Pressão Débito Resistência


Arterial
= Cardíaco
XPeriférica

Volume
Frequência Cardíaca
Arteriolar
Contratilidade
Volume
Pressão de
Sanguíneo
Rim
Enchimento
Tônus
Venoso
Fatores Periféricos
Respostas mediadas pelo sistema simpático
Atividade Ativação de Débito cardíaco
simpática ß1R cardíacos

Resistência
Ativação alfa1R periférica
de vasos
Diminuição
da PA

Aumento
A II da PA
FSR Renina

Aldosterona

RFG Retenção de Volume


sódio e água sanguíneo

Respostas mediadas pelo sistema RAA


Regulação renal de eletrólitos
Regulação renal de volume
Diuréticos
Compartimentos fluidos
Circulação Renal

• Peso dos rins = 0.5% peso corporal


• Débito cardíaco = 6 L/min
• 20-25% do Débito Cardíaco vai aos
rins
• Fluxo Sanguíneo Renal = 1.2-1.5
L/min
• Volume total de sangue = 6 L
• O volume sanguíneo total circula
através dos rins a cada 4-5 min
Taxa de Filtração Glomerular

• Fluxo Sanguíneo Renal = 1.2 L/min


• Fluxo Plasmático Renal = 660 mL/min
• Cerca de 20% do FPR é filtrado (FF = 0.2)
• Ritmo de Filtração Glomerular = 130
mL/min = 180 L/dia
• Volume Plasmático Total = 3 L
• Volume Plasmático (3.000 mL) / RFG (130
mL/min)= 23 min
• Ou seja, a cada 23 min todo o plasma é
filtrado
Anatomia do néfron
Transporte de solutos
Sistema renal geral de transporte de eletrólitos
Filtração, Reabsorção e Secreção
Sistema de contra-corrente
Princípios importantes para entender
os efeitos dos diuréticos (1)

• Interferência com a reabsorção de sódio


em um sítio do néfron interfere com outras
funções renais à ele associadas
• Isto também leva ao aumento da
reabsorção de Na+ em outros sítios
• O aumento do fluxo e da oferta de Na+ ao
néfron distal estimula a secreção de K + e
de H +
Princípios importantes para entender
os efeitos dos diuréticos (2)

• A magnitude do efeito diurético depende da


quantidade de Na+ que alcança um sítio
específico de reabsorção
• A ação de um diurético em diferentes
segmentos do néfron pode produzir
sinergismo
• Todos os diuréticos, exceto a spironolactona,
agem no lado luminal da célula tubular
Diuréticos em uso clínico

Grupos Sítio de ação Potência


primário relativa

Inibidores da AC Proximal 3
Osmóticos Proximal 10
De alça RAGAH 8
Tiazídicos Distal 3
Poupadores de K+ TD final 2
Antagonistas TD final e
de aldosterona coletor 2
Locais de ação dos diuréticos
Diuréticos
Tiazídicos
Mecanismo de ação dos Tiazídicos
Características dos Tiazídicos

• São secretados na luz tubular pelo mecanismo


de transporte de ácidos orgânicos no túbulo
proximal
• Agem no distal inibindo o transporte de sódio
e cloreto
• Diuréticos moderados
• Aumentam excreção de potássio e magnésio
• Reduzem a excreção de cálcio e de uratos
• Não são efetivos em RFG baixo
Diuréticos Tiazídicos

Aumentam a excreção de Na para 5% da carga filtrada

Tratamento Tratamento para


Tratamento
para diabetes
para edema
hipertensão insipidus
discreto
nefrogênico
(mecanismo
desconhecido)

Diminuem a Tratamento para


excreção de Ca nefrolitíase
cálcica
Diuréticos Tiazídicos
• Usos clínicos
• Hipertensão essencial
• primeira escolha (negros e idosos)
• reduzem PAM e o risco associado de AVC
e IAM
• Edema (hepático, renal, cardíaco)
• Hipercalciúria idiopática (cálculos por
excesso de excreção de cálcio)
•Falência cardíaca
• uso em casos moderados
• podem ser associados aos de alça
Diuréticos Tiazídicos
• Efeitos adversos
• Hipocalemia (associação com poupadores de
potássio)
• Desidratação (idosos)
• Arritmias (perda de magnésio e potássio)
• Hiperglicemia
• Precipitação de ataques de gota
• Elevação de LDL e TG
• Interações medicamentosas
Diuréticos
de
Alça
Mecanismo de ação dos Diuréticos de Alça
Características dos Diuréticos de Alça

• São secretados na luz tubular pelo mecanismo


de transporte de ácidos orgânicos no túbulo
proximal
• Agem no RAGAH inibindo o transporte de sódio
e de cloreto
• Causam diurese maior que os tiazídicos
• Efetivos mesmo em baixo RFG
• Aumentam excreção de potásso, cálcio e
magnésio
• Diminuem a excreção de uratos
• Diminuem a capacidade máxima de
concentração/ diluição urinárias
Diuréticos de Alça

• Efeitos adicionais não-tubulares


• Vasodilatação renal e redistribuição do
fluxo sanguíneo renal
• Aumento na liberação de renina
• Aumento na capacitância venosa
• Efeitos mediados pela liberação renal de
eicosanóides
Diuréticos de Alça

Aumentam a excreção Tratamento do


de Na para 25% da carga edema severo
filtrada

Tratamento
Aumentam volume para falência
urinário renal aguda
oligúrica

Aumentam a excreção de Tratamento


Ca para
hipercalcemia

Aumentam a Tratamento
capacitância venosa para edema
pulmonar
Diuréticos de Alça
• Usos clínicos
• Edema decorrente de falência cardíaca,
cirrose e síndrome nefrótica
• Não são muito usados para HE (salvo se
houver indicação renal)

• Falência cardíaca crônica


• primeira escolha
• eficazes mesmo com baixo RFG
• venodilatação e diminuição da pré-carga

• Emergências
• falência aguda esquerda (IAM)
• edema pulmonar agudo
• crise hipertensiva
Diuréticos de Alça

• Efeitos adversos
• Hipocalemia (associação com
poupadores de potássio)
• Hipercalcemia
• Ototoxicidade
•Arritmias (perda de magnésio e
potássio)
• Hiperglicemia (moderada)
• Interações medicamentosas (NSAIDS)
Diuréticos
Poupadores
de Potássio
Mecanismo de ação dos Diuréticos Poupadores
de Potássio: Inibidores de Canais de Sódio
Ações dos Diuréticos Poupadores
de Potássio: Inibidores de Canais de Sódio

Potencializam a diurese
causada por outras Usados em
classes combinação com
tiazídicos e de
Previnem a hipocalemia
alça
Mecanismo de ação dos Diuréticos Poupadores
de Potássio: Antagonistas da Aldosterona
Ações dos Diuréticos Poupadores
de Potássio: Antagonistas da Aldosterona

Potencializa outras classes Usados em


combinação com
tiazídicos e de
Previne a hipocalemia alça

Bloqueia as
ações da
aldosterona

Tratamento Tratamento
do da falência
hiperaldoster Tratamento cardíaca
Tratamento
o-nismo do edema da
primário da cirrose hipertensão
hepática
Diuréticos Poupadores de Potássio
• Inibidores de canais epiteliais de Na+
• Usos clínicos
• associação com tiazídicos ou de alça

• Efeitos adversos
• Hipercalemia
• potencialização intoxicação digitálica

• Antagonistas dos receptores de aldosterona


• Usos clínicos
• hiperaldosteronismo primário ou secundário
• alternativa boa aos tiazídicos (efeitos metabólicos)
• associação com tiazídicos ou de alça

• Efeitos adversos
• ginecomatia e impotência (homens)
• alterações ciclo menstrual e hirsutismo (mulheres)
Resistência aos Diuréticos

• Ativação de sistemas compensatórios (SRAA, SNAS)


• Uso incorreto
• combinações inadequadas
• tiazídicos com baixo RFG
• dose excessiva
• Perfusão renal insuficiente
• hipovolemia causada pelo diurético
• uso concomitante de vasodilatadores
• Interações medicamentosas